HISTORIANET

Notícias

Lamentável

Salário de professor só sobe em ano eleitoral

O ministro da Educação, Fernando Haddad, afirmou na última terça-feira, dia 25, que professor brasileiro "ganha mal mesmo" e que o salário "só aumenta em ano eleitoral". "É inadmissível que em um país como o Brasil, 50% dos professores ganhem menos que o piso em tramitação no Congresso Nacional, que é de apenas R$ 950. Estamos lutando para aprovar uma lei que fixa esse piso, e metade ganha menos que isso." Para melhorar a remuneração, o ministro apontou a criação de um sistema nacional de formação de professores. "Se você fizer um censo e perguntar quantos [professores da rede pública] são formados nas universidades publicas, vai encontrar menos de 15%. Nós temos que aumentar o percentual de professores formados em boas escolas."

O ministro afirmou, porém, que o aumento salarial é uma maneira de atrair o jovem talentoso para o magistério. "Sobretudo em municípios longínquos". O ministro participa na tarde desta terça-feira de sabatina da Folha, no Teatro Folha (shopping Pátio Higienópolis, av. Higienópolis, 618, São Paulo). Ele responde a perguntas da platéia e de quatro jornalistas da Folha: a secretária de Redação Suzana Singer, o colunista Gilberto Dimenstein e os repórteres Antônio Gois (sucursal do Rio) e Vera Magalhães ("Painel").

Incentivos

Haddad criticou a concessão de bônus para professores. Para ele, a medida só faz sentido quando inserida em um pacote de melhorias e, do contrário, "tem vida curta". "Tem vida longa quando se discute em termos de plano de carreira." O ministro ressaltou que indicadores não refletem um impacto importante no pagamento de bônus por desempenho e classificou os bônus como "uma novidade". "Não sou contra as inovações, só recomendo cuidado com as expectativas que isso gera."

No último dia 13, o governo anunciou que implementará um bônus a docentes e funcionários das escolas e faculdades técnicas com base no desempenho dos seus alunos. A premiação irá considerar a evolução dos indicadores de cada escola ano a ano. Para fazer essa avaliação, o governou chamou a Fundação Getúlio Vargas para elaborar um projeto de avaliação aos alunos do ensino técnico (só nas Etecs, são 82 cursos diferentes, que vão de eletrônica a produção de açúcar e álcool).

Fonte: Folha Online

Pesquisar em
1128 conteúdos

Notícias

MASP

Passagens por Paris - Arte moderna na capital do séc. XIX

Notícias

Universidades latinas atraem poucos estrangeiros

Instituições têm melhorado sua presença em rankings internacionais, mas continua

Roteiros de Aula

Ninguém tira Zero

Província elimina nota zero para proteger autoestima de alunos

Notícias

França e Alemanha lembram 100 anos da Primeira Guerra

Presidentes Hollande e Gauck homenageiam mortos nas batalhas e destacam importân

COPYRIGHT © HISTÓRIANET INTERNETWORKS LTDA

PRODUZIDO POR

SOBRE O HISTORIANET