HISTORIANET

Vestibulares

2008 – Fuvest – 1ª. Fase

1ª. Fase do vestibular – prova realizada em 25 de novembro de 2007

71) Na atualidade, praticamente todos os dirigentes políticos, no Brasil e no mundo, dizem-se defensores de padrões democráticos e de valores republicanos. Na Antigüidade, tais padrões e valores conheceram o auge, tanto na democracia ateniense, quanto na república romana, quando predominaram
a) a liberdade e o individualismo.
b) o debate e o bem público.
c) a demagogia e o populismo.
d) o consenso e o respeito à privacidade.
e) a tolerância religiosa e o direito civil.

RESPOSTA: B
A democracia é um dos principais valores destacados na história política das cidades gregas e seu apogeu, na cidade de Atenas, coincide com o governo de Péricles e com o estímulo a participação dos cidadãos. Em Roma, o período de maior participação política dos cidadãos foi a República (Res pública = “coisa” pública)

72) Nos séculos XIV e XV, a Itália foi a região mais rica e influente da Europa. Isso ocorreu devido à
a) iniciativa pioneira na busca do caminho marítimo para as Índias.
b) centralização precoce do poder monárquico nessa região.
c) ausência completa de relações feudais em todo o seu território.
d) neutralidade da península itálica frente à guerra generalizada na Europa.
e) combinação de desenvolvimento comercial com pujança artística.

RESPOSTA: E
Desde o período das cruzadas, em especial desde o século XII, as cidades italianas promoveram a expansão do comércio pelo Mediterrâneo, em um contato cada vez maior com mercadores árabes e bizantinos, trazendo para a Europa as especiarias. Esse comércio foi responsável pelo enriquecimento das camadas mercantis urbanas e propiciou o desenvolvimento cultural e científico, na medida em que estimulou o desenvolvimento do mecenato. O período retratado pelo enunciado corresponde ao florescimento e apogeu do Renascimento Cultural italiano (séculos XIV e XV)

73) “Os cosmógrafos e navegadores de Portugal e Espanha procuram situar estas costas e ilhas da maneira mais conveniente aos seus propósitos. Os espanhóis situam-nas mais para o Oriente, de forma a parecer que pertencem ao Imperador (Carlos V); os portugueses, por sua vez, situam-nas mais para o Ocidente, pois deste modo entrariam em sua jurisdição.”
Carta de Robert Thorne, comerciante inglês, ao rei Henrique VIII, em 1527.
O texto remete diretamente
a) à competição entre os países europeus retardatários na corrida pelos descobrimentos.
b) aos esforços dos cartógrafos para mapear com precisão as novas descobertas.
c) ao duplo papel da marinha da Inglaterra, ao mesmo tempo mercantil e corsária.
d) às disputas entre países europeus, decorrentes do Tratado de Tordesilhas.
e) à aliança das duas Coroas ibéricas na exploração marítima.

RESPOSTA: D
O texto do comerciante situa-se no período da expansão marítima e refere-se à disputa que envolveu Portugal e Espanha, antes de depois da assinatura do Tratado de Tordesilhas (1494), que dividia as terras da América entre os dois países.

74) Em novembro de 1807, a família real portuguesa deixou Lisboa e, em março de 1808, chegou ao Rio de Janeiro. O acontecimento pode ser visto como
a) incapacidade dos Braganças de resistirem à pressão da Espanha para impedir a anexação de Portugal.
b) ato desesperado do Príncipe Regente, pressionado pela rainha-mãe, Dona Maria I.
c) execução de um velho projeto de mudança do centro político do Império português, invocado em épocas de crise.
d) culminância de uma discussão popular sobre a neutralidade de Portugal com relação à guerra anglo-francesa.
e) exigência diplomática apresentada por Napoleão Bonaparte, então primeiro cônsul da França.

RESPOSTA: C
A questão aborda uma situação que está em evidência, na medida em que completa-se 200 anos da transferência da Corte para a colônia e talvez muitos vestibulandos tenham sido influenciados por uma visão grotesca da história do Brasil, que procura passar a imagem de covardia e desespero da família real. Toda a Europa vivia uma grave crise fruto da expansão francesa e das pressões da Inglaterra industrializada. Em Portugal, em alguns momentos de crise, como no início da União Ibérica, aventou-se a possibilidade de transferência da Corte para o Brasil.

75) Com relação ao período colonial, tanto na América Portuguesa quanto na América Espanhola, considere as seguintes afirmações:

1. a mão-de-obra escrava africana, empregada nas atividades econômicas, era a predominante.
2. as Coroas controlavam as economias por intermédio de monopólios e privilégios.
3. os nascidos nas Américas não sofriam restrições para ascender nas administrações civis e religiosas.
4. a alta hierarquia da Igreja Católica mantinha fortes laços políticos com as Coroas.
5. as rebeliões manifestavam as insatisfações políticas de diferentes grupos sociais.
Das afirmações acima, são verdadeiras apenas
a) 1, 2 e 3
b) 1, 3 e 4
c) 2, 3 e 5
d) 2, 4 e 5
e) 3, 4 e 5

RESPOSTA: D
O período colonial praticamente coincide com a Idade Moderna, que é caracterizada pela política econômica mercantilista, com forte intervenção do Estado, pela grande influência da Igreja na administração e formação cultural e, principalmente em seu final, por movimentos de contestação da exploração e por movimentos de emancipação.
Na América Espanhola predominou a mão de obra indígena e os nascidos na América tinham seus direitos limitados e participavam apenas da administração municipal ou ocupavam cargos religiosos.

76) A atividade extrativista desenvolvida na Amazônia, durante o período colonial, foi importante, porque:
a) garantiu a ocupação da região e aproveitou a mão-deobra indígena local.
b) reproduziu, na região, a estrutura da grande propriedade monocultora.
c) gerou riquezas e permitiu a abertura de estradas na região.
d) permitiu a integração do norte do Brasil ao contexto andino.
e) inviabilizou as aspirações holandesas de ocupação da floresta.

RESPOSTA: A
A ocupação da Amazônia no período colonial foi secundária, a presença de portugueses era muito pequena, restrita a grupos de jesuítas e a atividade extrativista de “drogas do sertão”, em sua região ocidental, para a produção de óleos e ceras, além de plantas medicinais.

77) “No Chile, a lei não serve para outra coisa a não ser produzir a anarquia e a ausência de sanções [...] Se eu, por exemplo, prendo um indivíduo que sei que está tramando uma conspiração [contra o governo], violo a lei. Maldita lei então que não deixa o braço do governo proceder livremente no momento oportuno. [...] De minha parte, sei dizer que, com lei ou sem ela, essa senhora que chamam de Constituição tem que ser violada quando as circunstâncias são extremas.”
Carta de Diego Portales, ministro chileno, em 1834. Nesse texto, Portales está defendendo uma visão:
a) liberal, que privilegia o respeito às leis e à justiça.
b) aristocrática, que valoriza o regime monárquico.
c) federalista, que salvaguarda os interesses das províncias.
d) elitista, que defende os direitos do indivíduo.
e) autoritária, que garante a ordem acima de tudo.

RESPOSTA: E
Uma questão de interpretação, que não depende do conhecimento da História do Chile ou do ministro citado. O ministro sugere que a Constituição seja violada, numa postura que pode ser considerada conservadora e autoritária.

78) Sobre a economia brasileira durante a Primeira República, é possível destacar os seguintes elementos:
a) exportações dirigidas aos mercados europeus e asiáticos e crescimento da pecuária no Nordeste.
b) investimentos britânicos no setor de serviços e produção de bens primários para a exportação.
c) protecionismo alfandegário para estimular a indústria e notável ampliação do mercado interno.
d) aplicação de capital estrangeiro na indústria e consolidação do café como único produto de exportação.
e) integração regional e plano federal de defesa da comercialização da borracha na Amazônia.

RESPOSTA B
A Primeira República, tradicionalmente denominada República Velha (1889-1930) é caracterizada, do ponto de vista econômico, pela produção e exportação de café, oriundo principalmente de São Paulo e Minas Gerais, enquanto outras regiões do país, principalmente no nordeste, se destacam outros gêneros agrícolas de exportação. Ao mesmo tempo se mantêm os investimentos estrangeiros no país, notadamente ingleses, no setor de serviços – como transporte, iluminação e serviços financeiros. A política estatal de “valorização do café” procurou proteger esse setor e, apesar da extração do látex na Amazônia, não houve uma política de integração, além de ter curta duração.

79) “O livre-comércio é um bem – como a virtude, a santidade e a retidão – a ser amado, admirado, honrado e firmemente adotado, por si mesmo, ainda que todo o resto do mundo ame restrições e proibições, que, em si mesmas, são males – como o vício e o crime – a serem odiados e detestados sob quaisquer circunstâncias e em todos os tempos.” The Economist, em 1848.
Tendo em vista o contexto histórico da época, tal formulação favorecia particularmente os interesses:
a) do comércio internacional, mas não do inglês.
b) da agricultura inglesa e da estrangeira.
c) da indústria inglesa, mas não da estrangeira.
d) da agricultura e da indústria estrangeiras.
e) dos produtores de todos os países.

RESPOSTA: C
Na metade do século XIX a Inglaterra era, efetivamente, o único país industrializado e em condições de desenvolver um comércio em nível mundial, adotando a discurso liberal, como forma de ampliar os mercados para seus produtos.

80) “Há oitenta anos, a Rússia era forte por causa do dinamismo revolucionário do comunismo, incluindo o poder de atração da sua ideologia. Há quarenta anos, a Rússia Soviética era forte por causa do poderio do Exército Vermelho. Hoje, a Rússia de Putin é forte por causa do gás e do petróleo.”
Timothy Garton Ash, historiador inglês, janeiro de 2007.
Do texto, depreende-se que a Rússia
a) manteve inalterada sua posição de grande potência em todo o período mencionado.
b) recuperou, na atualidade, o seu papel de país líder da Europa.
c) conheceu períodos de altos e baixos em função das conjunturas externas.
d) passou de força política, a força militar e desta, a força econômica.
e) conservou, sempre, a sua preeminência graças ao incomparável poderio militar.

RESPOSTA: D
A questão aborda três momentos diferentes na história da União Soviética / Rússia e pode ser respondida a partir dos elementos destacados no próprio texto, um elemento político, “o dinamismo revolucionário do comunismo”, um elemento militar, “o poderio do exército vermelho”, e sua força econômica “por causa do gás e do petróleo”.

Respostas dos professores Claudio Recco e Hélio Moreti para o ALFERES VESTIBULARES de S Paulo.

Veja a prova da 2ª. Fase da Fuvest

Pesquisar em
1128 conteúdos

Notícias

MASP

Passagens por Paris - Arte moderna na capital do séc. XIX

Notícias

Universidades latinas atraem poucos estrangeiros

Instituições têm melhorado sua presença em rankings internacionais, mas continua

Roteiros de Aula

Ninguém tira Zero

Província elimina nota zero para proteger autoestima de alunos

Notícias

França e Alemanha lembram 100 anos da Primeira Guerra

Presidentes Hollande e Gauck homenageiam mortos nas batalhas e destacam importân

COPYRIGHT © HISTÓRIANET INTERNETWORKS LTDA

PRODUZIDO POR

SOBRE O HISTORIANET