HISTORIANET

Notícias

Metodologia do FSM

Por Moacir Gadotti

Revista Fórum

O quinto encontro do Fórum Social Mundial de Porto Alegre (2005) deu um salto de qualidade, inovando na sua metodologia, inspirada no Fórum realizado no ano anterior em Mumbai (Índia). Se a criação do FSM foi o acontecimento político mais importante do ano 2000, a nova metodologia de construção de seus eventos foi o acontecimento político-ideológico mais importante de 2004.

Foram evitadas as grandes conferências organizadas pelo Conselho Internacional que davam mais visibilidade a “grandes nomes” e foram valorizadas as atividades menores, aglutinadas por tema, para evitar a dispersão e facilitar o encontro e a unidade.
No FSM 2005 criou-se o “Território Social Mundial”, com práticas solidárias e sustentáveis, com uma metodologia que fortalece o diálogo, com tradução voluntária, software livre, economia solidária, transporte alternativo, consumo ético etc. O importante é tentar viver, desde já, esse outro mundo possível. Dar exemplo.

O Conselho Internacional tem insistido na metodologia do Fórum, na ética, nas decisões por consenso, evitando, a todo o custo, cair na cilada da disputa pelo controle do processo do FSM. Estaríamos repetindo os métodos políticos que condenamos. O testemunho pessoal não é uma coisa piegas; o exemplo, o comportamento pessoal ético é uma condição necessária para o êxito do FSM. O “outro mundo possível” deve ser construído em cada um de nós e de nossas organizações desde já, aprendendo coisas novas e desaprendendo velhos hábitos.

A primeira condição é aprender a se expressar sem subterfúgios, sem preconceitos, sem falsidade, na transparência da verdade, sem visar o poder, sem manipular, sem querer “ganhar o jogo”. O FSM não é um jogo no qual alguns ganham e outros perdem. Todos precisam ganhar.

O FSM, com sua nova forma de funcionamento autogestionado, é um exemplo desse outro mundo possível, de como deve ser uma sociedade onde todos caibam, onde ninguém é excluído. Porque o velho mundo é um mundo de exclusão. Queremos deixar para trás o mundo da prepotência, da arrogância dos que tudo sabem e, por isso, tudo querem ensinar. O outro mundo possível é um mundo de aprendizagem em rede. O nosso mundo possível é um mundo onde todos podem perguntar, ensinar e aprender.

A metodologia da auto-aglutinação utilizada no FSM 2005 não foi ainda implementada em toda a sua potencialidade. Um passo adiante precisa ser dado. Ela não é só uma metodologia para a definição conjunta de pautas para os eventos do Fórum. Ela precisa ser implementada também no processo do Fórum porque evita o dirigismo e a hierarquização das lutas. Ela parte do princípio da não existência de um sujeito político privilegiado na luta pela transformação social. Todas as iniciativas são importantes. Por isso, o FSM precisa estimular a auto-aglutinação na construção de seu processo de transformação. O princípio da auto-aglutinação não desvaloriza lutas supostamente irrelevantes, porque a diversidade é um dos pilares da Carta de Princípios do FSM. Ninguém decide em nome de outros o que é mais relevante e o que é menos relevante. Essa metodologia refere-se tanto aos eventos quanto ao processo do FSM, ambos intimamente interligados.

No próximo número, trataremos do FSM como ator político novo.

Leia mais:
www.forumsocialmundial.org.br

Pesquisar em
1128 conteúdos

Notícias

MASP

Passagens por Paris - Arte moderna na capital do séc. XIX

Notícias

Universidades latinas atraem poucos estrangeiros

Instituições têm melhorado sua presença em rankings internacionais, mas continua

Roteiros de Aula

Ninguém tira Zero

Província elimina nota zero para proteger autoestima de alunos

Notícias

França e Alemanha lembram 100 anos da Primeira Guerra

Presidentes Hollande e Gauck homenageiam mortos nas batalhas e destacam importân

COPYRIGHT © HISTÓRIANET INTERNETWORKS LTDA

PRODUZIDO POR

SOBRE O HISTORIANET