HISTORIANET

Vestibulares

FUVEST 2006

Vestibular da FUVEST 2006 - 1A. fase

Correção comentada pelo HISTORIANET

HISTÓRIA

1) Vegetius, escrevendo no século IV a. C., afirmava que os romanos eram menos numerosos que os gauleses, menores em tamanho que os germanos, mais fracos que os espanhóis, não tão astutos quanto os africanos e inferiores aos gregos em inteligência criativa. Obviamente Vegetius considerava os romanos, como guerreiros, superiores a todos os demais povos. Já para os historiadores, o fato de os romanos terem conseguido estabelecer, e por muito tempo, o seu vasto império, o maior já visto até então, deveu-se sobretudo
a) à inferioridade cultural dos adversários.
b) ao espírito cruzadista da religião cristã.
c) às condições geográficas favoráveis do Lácio.
d) à política, sábia, de dividir para imperar.
e) à superioridade econômica da Península itálica.

Resposta D
Resolução: Os romanos dominaram vasto território por séculos, controlando diferentes povos. Para preservar tal domínio se utilizaram da força de um numeroso e poderoso exército e, ao mesmo tempo, de uma política de dividir os inimigos para enfraquece-los.
Note que o texto esta datado do século IV a.C., época na qual o império romano ainda não existia, anterior a I Guerra Púnica.


2) Segundo o historiador Robert S. Lopez (A Revolução Comercial da Idade Média 950-1350), "o estatuto dos construtores das catedrais medievais representava um grande progresso relativamente à condição miserável dos escravos que erigiram as Pirâmides e dos forçados que construíram os aquedutos romanos". As catedrais medievais foram construídas por
a) artesãos livres e remunerados.
b) citadinos voluntários trabalhando em mutirão.
c) camponeses que prestavam trabalho gratuito.
d) mão de obra especializada e estrangeira.
e) servos rurais recompensados com a liberdade.

Resposta: A
Resolução: O texto se refere ao período da Baixa Idade Média, época marcada por importantes transformações, como a urbanização e desenvolvimento da produção artesanal, quando construtores (arquitetos) escultores e vitralistas se organizavam em corporações. O fato do trabalho ser remunerado reforça a idéia de que não era servil ou escravo.


3) "O que mais espanta os Índios e os faz fugir dos Portugueses, e por conseqüência das igrejas, são as tiranias que com eles usam, obrigando-os a servir toda sua vida como escravos, apartando mulheres de maridos, pais de filhos, ferrando-os, vendendo-os, etc. [...] estas injustiças foram a causa da destruição das igrejas..."
Padre José de Anchieta, na segunda metade do século XVI.
A partir do texto, é correto afirmar que
a) a defesa dos indígenas feita por Anchieta estava relacionada a problemas de ordem pessoal entre ele e os colonizadores da capitania de São Paulo.
b) a escravidão dos índios, a despeito das críticas de Anchieta, foi uma prática comum durante o período colonial, estimulada pela Coroa portuguesa.
c) os conflitos entre jesuítas e colonizadores foram constantes em várias regiões, tais que: Maranhão, São Paulo e Missões dos Sete Povos do Uruguai.
d) a posição de defesa dos indígenas, assumida por Anchieta, foi isolada nas Américas, tanto na Portuguesa quanto na Espanhola.
e) a defesa dos jesuítas foi assumida pela Coroa nos episódios em que essa ordem religiosa lutou por interesses antagônicos aos dos colonizadores.

Resposta: C
Resolução: No texto o padre José de Anchieta faz uma crítica aos colonos portugueses no Brasil pelo fato de se confrontarem com os índios, destruindo aldeias ou escravizando-os, chocando-se com a ação catequisadora dos jesuítas. Em alguns momentos da história colonial do Brasil o choque de interesses de colonos e jesuítas foi mais acentuado, como durante a "Botada dos padres pra fora" (1641), em São Paulo, a Revolta de Beckman (1684) no Maranhão, ou a Guerra Guaranítica na região sul (1753-1756), neste caso um conflito entre jesuítas e índios contra as tropas portuguesas e espanholas.


4) "As guerras que, há algum tempo, horrorizaram a Europa, as pestes e fomes na Espanha, as rebeliões na Nova Espanha foram causadas por qual cometa? Nenhum. Portanto, os males que porventura aconteçam, não serão causados pelo cometa de agora, ainda que as autoridades se empenhem em prová-lo". Carlos de Sigüenza y Gongora, astrônomo mexicano, 1680.
Com base no texto, é correto afirmar que
a) essa perspectiva nada tinha de inovadora, pois a ciência moderna já havia sido reconhecida pelas autoridades civis e eclesiásticas na Espanha, desde o início do século XVII.
b) a opinião do autor é de exclusivo caráter político, não se podendo estabelecer relações com debates e posições sobre astronomia e ciência moderna.
c) a perspectiva crítica sobre a relação entre a passagem dos cometas e as catástrofes terrenas fazia parte dos manuais religiosos dos jesuítas, desde o início do século XVII.
d) a visão do autor surpreende pois, no México colonial, não havia universidades, imprensa ou uma vida cultural que possa explicar afirmações semelhantes.
e) a visão do autor era a de um estudioso que, mesmo vivendo no México colonial, tomava posição na defesa dos conhecimentos científicos mais avançados produzidos na Europa.

Resposta: E
Resolução: Uma questão de interpretação de texto e que trata de uma situação de exceção. O enunciado deixa claro a situação do autor, um astrônomo que não aceita a idéia de que os "fenômenos celestes", como a passagem de um cometa, sejam considerados responsáveis por catástrofes naturais ou pelos erros dos governantes. O autor, apesar de viver no México, possui a visão cientifica que se desenvolve na Europa moderna, no século XVII. Vale lembrar que a astronomia foi uma das ciências que conheceu grande desenvolvimento desde o renascimento cultural.


5) De uma publicação francesa, em 1787: "Quais são as fontes da força econômica da Inglaterra? - o comércio marítimo e a agricultura; a agricultura, sobretudo, é lá mais conhecida do que em qualquer outra parte, e, geralmente, praticada segundo princípios diferentes". Podemos deduzir que os "princípios diferentes" aos quais a frase se refere são os do
a) feudalismo.
b) capitalismo.
c) mercantilismo.
d) cooperativismo.
e) escravismo.
Resposta B
Resolução: A questão trata da Inglaterra no século XVIII e de momentos que antecederam a Revolução Industrial, então em curso. No entanto, antes da industrialização, desde meados do século XVI, a Inglaterra conheceu transformações significativas na propriedade rural, derivada dos cercamentos, quando a terra passou para as mãos da "gentry" e dos "yeomen", transformando-se em mercadoria e ao mesmo tempo ampliando a produtividade. Durante a industrialização ocorreu a Revolução Agrícola, com grande aumento da produtividade no campo. Todos esses elementos nos remetem a organização capitalista da produção, superando as características feudais, vigentes nos demais países europeus.


6) "Para mim, o mais absurdo dos costumes vale mais do que a mais justa das leis. A nossa legislação alemã contenta-se com evocar o espírito atual, notadamente o espírito francês, mas não faz alusão ao espírito do povo". Essa frase do alemão William Gerlach, em 1810, exprime uma visão
a) liberal e democrática.
b) romântica e nacionalista.
c) socialista e comunitária.
d) teocrática e tradicionalista.
e) conservadora e realista.

Resposta: B
Resolução: O romantismo esta presente na valorização idealizada dos costumes e tradições e a sua crítica às leis do Estado. Percebe-se o nacionalismo pela crítica à influência Francesa, associada ao fato de o autor ser alemão e ao contexto, inicio do século XIX.


7) Durante o período em que o Brasil foi Império houve, entre outros fenômenos, a
a) consolidação da unidade territorial e a organização da diplomacia.
b) predominância da cultura inglesa nos campos literário e das artes plásticas.
c) constituição de um mercado interno nacional, integrando todas as regiões do país.
d) incidência de guerras externas e a ausência de rebeliões internas nas províncias.
e) inclusão social dos índios e a abolição da escravidão negra.

Resposta: A
Resolução: O período imperial iniciou-se com a independência, ou seja, com o início da condição de soberania do país. Nas primeiras décadas que se seguiram a independência os governos conseguiram derrotas os movimentos separatistas e consolidar a unidade territorial do país, diferentemente do ocorria com as colônias espanholas que conheciam um processo inverso, de fragmentação. Ao mesmo tempo o Brasil definiu sua política externa, marcada pelo imperialismo na região do Prata, na busca da hegemonia na América do Sul , vinculado aos interesses econômicos ingleses.


8) Na América Latina, no século XX, aconteceram duas grandes revoluções: a Mexicana de 1910 e a Cubana de 1959. Em ambas, os
a) camponeses sem terra lideraram sozinhos os movimentos.
b) EUA enviaram tropas que lutaram e quase derrotaram os rebeldes.
c) grupos socialistas iniciaram a luta armada, tornando hegemônicas suas idéias.
d) revolucionários derrubaram governos autoritários e alcançaram a vitória.
e) programas revolucionários foram cópias de movimentos europeus.

Resposta: D
Resolução: A Revolução Mexicana de (1910-17) foi responsável pela derrubada do ditador Porfírio Diaz, que governava desde 1876, enquanto a Revolução Cubana (1959) derrubou Fulgêncio Batista, no poder desde 1952.
Muitos alunos ficaram em dúvida na questão, pois normalmente pensam a Revolução Mexicana sob a liderança de Zapata e de Pancho Villa, que efetivamente não chegaram ao poder, apesar das conquistas em suas regiões, particularmente em Morellos com a implantação do Plano de Ayala.


9)
Olhando para esta tela do pintor brasileiro, Candido Portinari, Família de Retirantes, de 1944, pode-se estabelecer relações com
a) as idéias integralistas dos nacionalistas.
b) a doutrina social da hierarquia da Igreja católica.
c) a propaganda oficial da política de Vargas.
d) a desesperança típica do pós-guerra.
e) a postura de engajamento e crítica social.

Resposta: E
Resolução: Questão de interpretação. O quadro "Família de Retirantes" é uma crítica a situação de miséria da camada rural, principalmente á situação dos nordestinos; retrata ainda o engajamento político de Portinari, que foi militante do Partido Comunista.


10) A política externa dos Estados Unidos com relação à América Latina, na segunda metade do século XX, se pautou
a) pelo modelo criado pela Política de Boa Vizinhança (PBV), em particular nos momentos de rejeição às intervenções armadas.
b) por tratados de comércio nos quais os participantes recebem tratamento simétrico em nome dos princípios do pan-americanismo.
c) pelo papel decisivo dos EUA nas diretrizes da Organização dos Estados Americanos (OEA), em especial no tocante a Cuba.
d) pela defesa constante da democracia no continente, inclusive no período das ditaduras militares no Cone Sul.
e) pela escolha da América Latina, como principal alvo político e mercado de investimentos, escalonada depois da Europa e Ásia.

Resposta: C
Resolução: A segunda metade do século XX foi marcada pela "guerra fria", quando a política imperialista dos EUA procurou exercer grande influência sobre a América Latina, atraindo aos países da região para sua política externa, desde a criação da OEA em 1948 e principalmente após a vitória da Revolução Cubana.
Comandando a OEA, os Estados Unidos promoveram a expulsão de Cuba do organismo internacional e impeliram os demais Estados membros a promoveram o embargo econômico à Ilha.


11)
"... a morte da URSS foi a maior catástrofe geopolítica do século. No que se refere aos russos, ela se tornou uma verdadeira tragédia"
(Vladimir Putin, presidente da Rússia, abril de 2005)

"Para mim, o maior evento do século XX foi o colapso da URSS, que completou o processo de emancipação das nações"
(Adam Rotfeld, chanceler da Polônia, abril de 2005)
As duas declarações
a) coincidem, a partir de pontos de vistas opostos, sobre a importância do desaparecimento da União Soviética.
b) revelam que a Polônia, ao contrário da Rússia e dos demais ex-países do Pacto de Varsóvia, beneficiou-se com o fim da União Soviética.
c) mostram ainda ser cedo para afirmar que o desaparecimento da União Soviética não foi historicamente importante.
d) consideram que o fim da União Soviética, embora tenha sido uma tragédia, beneficiou russos e poloneses.
e) indicam já ser possível afirmar, em caráter definitivo, que o fim da União Soviética foi o acontecimento mais importante da história.

Resposta: A
Resolução: Questão de interpretação dos textos. Apesar de divergiram na análise sobre a URSS, os dois líderes políticos concordam que sua desintegração em 1991 foi marco decisivo na história de seus países, a Polônia e a Rússia.


12) Em Brasília, em julho de 2005, numa das sessões da CPI dos Correios, o relator citou o início das Catilinárias, de Cícero (63 a.C.): "Até quando, Catilina, abusarás da nossa paciência? Por quanto tempo ainda esse teu rancor nos enganará? Até que ponto a (tua) audácia desenfreada se gabará?" Transcendendo a história romana, o nome de Cícero continua presente no
vocabulário político-cultural do Ocidente, estando associado a
a) democracia, oligarquia e moralismo.
b) realeza, ruralismo e sobriedade.
c) império, populismo e tolerância.
d) república, civismo e eloqüência.
e) aristocracia, demagogia e ostentação.

Resposta: D
Resolução: Nesta questão a data apresentada (63 a.C.) pode ajudar o estudante, pois é uma referência ao período republicano da história romana, em particular, época das "guerras civis". O discurso eloqüente de Cícero contra Catilina, acusado de conspiração contra o Senado reforça a idéia de civismo como respeito às leis.

Pesquisar em
1128 conteúdos

Notícias

MASP

Passagens por Paris - Arte moderna na capital do séc. XIX

Notícias

Universidades latinas atraem poucos estrangeiros

Instituições têm melhorado sua presença em rankings internacionais, mas continua

Roteiros de Aula

Ninguém tira Zero

Província elimina nota zero para proteger autoestima de alunos

Notícias

França e Alemanha lembram 100 anos da Primeira Guerra

Presidentes Hollande e Gauck homenageiam mortos nas batalhas e destacam importân

Enquete

Acerca das questões de História no ENEM, você considera:




Desafio Histórico

Sobre a criação das Capitanias no Brasil pode-se considerar como correto:




COPYRIGHT © HISTÓRIANET INTERNETWORKS LTDA

PRODUZIDO POR

SOBRE O HISTORIANET