HISTORIANET

Notícias

Museu em Congonhas - MG

Fica pronto o projeto do Museu de Congonhas (MG)

Projeto do museu que reunirá patrimônio histórico artístico e religioso foi apresentado ao Ministro Gilberto Gil

Agência Carta Maior

Desde matéria publicada na Agência Carta Maior em agosto de 2004, estamos acompanhando a evolução do tratamento dado à urgente questão da preservação do patrimônio histórico do barroco mineiro, especialemnte ao conjunto artístico da Basílica Bom Jesus de Matosinhos em Congonhas do Campo. Voltamos a falar no assunto em novo artigo, datado de abril de 2005, quando a eminência de destruição de obras de Aleijadinho foi repelida pelo Ministério da Cultura que informava, àquela altura, ter começado o trabalho de restauro e preservação das estatuas dos Profetas.
Às vésperas do bicentenário da morte de Aleijadinho, com as obras de restauro em andamento, o primeiro estudo do Museu de Congonhas foi apresentado ao Ministro Gilberto Gil em reunião realizada no Ministério da Cultura, na qual estiveram presentes o coordenador nacional do Programa Monumenta, Luiz Fernando de Almeida, a representante da Unesco, Jurema Machado e o arquiteto mineiro Gustavo Penna, que supervisiona o projeto.

O projeto de criação do Museu é resultado do trabalho desenvolvido pelo Ministério da Cultura junto como a Arquidiocese de Mariana (MG) e a prefeitura de Congonhas (MG) com intuito de criar um centro que possa reunir arte, história, tecnologia e fé. ?O projeto do Museu de Congonhas é também uma intervenção que qualifica urbanisticamente a colina do Santuário. Ele potencializa o significado do local, criando uma dinâmica na vida urbana, aumentando o tempo de permanência do turista na cidade e auxiliando na compreensão da importância do conjunto escultórico de Aleijadinho. É uma feliz coincidência que isto aconteça quando se aproxima a efeméride dos 200 anos de sua morte?, diz Luiz Fernando de Almeida.
Ao todo serão sete mil metros quadrados de área construída onde funcionarão salas para exposições, restaurantes, oficinas e laboratórios de estudo. Na sala dos Profetas e na sala do Barroco serão disponibilizados recursos multimídia e de audiovisual para que os visitantes possam ter acesso à história do barroco e conheçam outras cidades brasileiras onde este estilo prevalece nas manifestações. artísticas e arquitetônicas. O Museu que abrigará também o Centro de Estudos da Pedra e do Barroco será construído ao lado da Basílica do Santuário do Bom Jesus do Matosinhos, em Congonhas (MG), área que concentra uma das mais expressivas manifestações do barroco mineiro.
?O projeto inicial, que foi selecionado a partir de um concurso realizado pela Unesco, ainda vai sofrer pequenos ajustes na área funcional?, explica o arquiteto responsável pelo estudo, Gustavo Penna. Os materiais pré-selecionados para serem usados na construção do Museu foram escolhidos de acordo com aqueles utilizados na arquitetura colonial. O prédio terá paredes brancas, piso de pedra da região e algumas interferências em vidro ?Procuramos criar uma construção que não dispute com o Santuário onde se encontra o conjunto escultórico feito por Aleijadinho. O resultado que conseguimos não entra em desarmonia com a arquitetura existente e ainda permite ver as montanhas no entorno?, defende o arquiteto que contou com a colaboração de mais sete arquitetos para desenvolver o estudo.
O projeto ainda será submetido à Arquidiocese de Mariana e ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Se for aprovado, as obras deverão começar no segundo semestre deste ano, tão logo termine a festa do jubileu do Bom Jesus.


Pesquisar em
1128 conteúdos

Notícias

MASP

Passagens por Paris - Arte moderna na capital do séc. XIX

Notícias

Universidades latinas atraem poucos estrangeiros

Instituições têm melhorado sua presença em rankings internacionais, mas continua

Roteiros de Aula

Ninguém tira Zero

Província elimina nota zero para proteger autoestima de alunos

Notícias

França e Alemanha lembram 100 anos da Primeira Guerra

Presidentes Hollande e Gauck homenageiam mortos nas batalhas e destacam importân

COPYRIGHT © HISTÓRIANET INTERNETWORKS LTDA

PRODUZIDO POR

SOBRE O HISTORIANET