HISTORIANET

Livros

Einstein em Berlim



Título: Einstein em Berlim
Autor: Thomas Levenson
Editora Objetiva

No verão de 1913, dois gigantes da ciência moderna viajaram a Zurique com a missão de oferecer o cargo mais prestigioso da vida cientifica européia a um homem que até seis anos antes fora simples funcionário numa repartição de patentes. Albert Einstein aceitou, chegando a Berlim em 1914 para assumir o novo posto. Em dezembro de 1932, partiu da cidade para sempre."Olhe bem para ela", disse ele à mulher, quando se afastaram da casa em que tinham morado."Você nunca mais vai vê-la."
Nesse intervalo, os anos que Einstein passou em Berlim captam num microcosmo a odisséia do século XX.
Foi um século que se iniciou com esperança extraordinárias e chegou a um clímax de calamidades sem precedentes.
Foi um período conturbado, visto através da vida de um homem que foi, ao mesmo tempo, testemunha e arquiteto de seu tempo -- e do nosso tempo. Einstein esteve presente nos acontecimentos que forjariam a jornada desde o começo da Grande Guerra até o clamor da guerra seguinte.
Tudo começa com o iminente cientista já amplamente reconhecido por sua teoria da relatividade especial. Sua vida pessoal já estava tumultuada, com o casamento desmoronando e um caso de amor em andamento. Nos primeiros dois anos de estada em Berlim, ele fez uma das descobertas mais marcantes de todos os tempos: uma nova teoria da gravitação.
Em pouco tempo, transformou-se na primeira celebridade cientifica internacional.
Durante a guerra que detestava, sua carreira progrediu, e ele desempenhou o papel de instrumento de esperança na razão, e, em seguida, tornou-se alvo da loucura e ódio da extrema-direita.
Ao longo desses anos, Berlim é igualmente personagem do livro, com sua espantosa explosão de caminhos revolucionários nas artes plásticas e na arquitetura, na musica, no teatro e na literatura. A vida agitada das ruas dessa época é bem conhecida. Mas Berlim iria se se transformar, com o desastre da depressão e o crescente poder de Hitler, até que, no final de 1932, já não era lugar seguro para Einstein. O antigo herói, agora difamado não apenas como o criminoso autor da "física judaica", mas também como símbolo visível de tudo o que os nazistas odiavam, compreendeu que era hora de partir.

Pesquisar em
1128 conteúdos

Notícias

MASP

Passagens por Paris - Arte moderna na capital do séc. XIX

Notícias

Universidades latinas atraem poucos estrangeiros

Instituições têm melhorado sua presença em rankings internacionais, mas continua

Roteiros de Aula

Ninguém tira Zero

Província elimina nota zero para proteger autoestima de alunos

Notícias

França e Alemanha lembram 100 anos da Primeira Guerra

Presidentes Hollande e Gauck homenageiam mortos nas batalhas e destacam importân

COPYRIGHT © HISTÓRIANET INTERNETWORKS LTDA

PRODUZIDO POR

SOBRE O HISTORIANET