HISTORIANET

Vestibulares

FGV

FGV - OUTUBRO -- 2003
Correção do HISTORIANET


1) "A partir de então, passou-se a eleger cônsules em número de dois, ao invés de um único rei, com o propósito de que, se um deles tivesse a intenção de agir mal, o outro, investido de igual autoridade, o coibisse."
Flávio Eutrópio, Sumário da história romana, in Historiadores latinos, NOVAK, G., M e outros (orgs.), trad., São Paulo, Martins Fontes, 1999, p. 259.
O trecho acima refere-se ao período da história de Roma conhecido como:

a) Diarquia, instituída logo após a época imperial.
b) Democracia, organizada após a revolta dos plebeus e dos escravos.
c) Consulado, criado para diminuir o poder dos tiranos.
d) República, estabelecida pela aristocracia patrícia.
e) Pax Romana, imposta pelos senadores como forma de limitar o poder dos patrícios.

Resposta: D
Resolução: Em 509 a.C. a elite patricia recuperou o poder e criou a República Romana. Uma das preocupações era diminuir o poder do governante, uma vez que os últimos reis de Roma, de origem etrusca, tinham concentrado muito poder em suas mãos, normalmente com o apoio plebeu. Além do Senado, foram criadas magistraturas, sendo que a magistratura máxima era o Consulado, atribuído a dois patrícios eleitos anualmente e não-reelegíveis. A igualdade de atribuições pretendia um equilibrio de poder, impedindo o despotismo pessoal do governante.


2) "O sacerdote, tendo-se posto em contato com Clóvis, levou-o pouco a pouco e secretamente a acreditar no verdadeiro Deus, criador do Céu e da Terra, e a renunciar aos ídolos, que não lhe podiam ser de qualquer ajuda, nem a ele nem a ninguém [...] O rei, tendo pois confessado um Deus todo-poderoso na Trindade, foi batizado em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo e ungido do santo Crisma com o sinal-da-cruz. Mais de
três mil homens do seu exército foram igualmente batizados [...]."
São Gregório de Tours. A conversão de Clóvis. Historiae Eclesiasticae Francorum. Apud PEDRERO-SÁNCHES, M.G., História da Idade Média. Textos e testemunhas. São Paulo, Ed. Unesp, 2000, p. 44-45.
A respeito dos episódios descritos no texto, é correto afirmar:

a) A conversão de Clóvis ao arianismo permitiu aos francos uma aproximação com os lombardos e a expansão do seu reino em direção ao Norte da Itália.
b) A conversão de Clóvis, segundo o rito da Igreja Ortodoxa de Constantinopla, significou um reforço político-militar para o Império Romano do Oriente.
c) Com a conversão de Clóvis, de acordo com a orientação da Igreja de Roma, o reino franco tornou-se o primeiro Estado germânico sob influência papal.
d) A conversão de Clóvis ao cristianismo levou o reino franco a um prolongado conflito religioso, uma vez que a maioria dos seus integrantes manteve-se fiel
ao paganismo.
e) A conversão de Clóvis ao cristianismo permitiu à dinastia franca merovíngia a anexação da Itália a seus domínios e a submissão do poder pontifício à autoridade monárquica.

Resposta: C
Resolução: Clóvis, considerado o primeiro rei franco, foi responsável pela unificação das tribos francas e segundo a lenda descendia de um guerreiro chamado Meroveu, daí derivando a "Dinastia Merovíngea". A Conversão ao cristianismo em 496 estabeleceu uma aliança que se mostraria duradoura entre o Reino Franco e a Igreja, marcada por inflência e vantagens mútuas. Durante o reinado de Clóvis várias conquistas foram realizadas com o apoio da Igreja Católica.


3) A chamada Guerra dos Trinta Anos (1618-1648) foi considerada como a última grande guerra de religião da Época Moderna. A seu respeito é correto afirmar:

a) O conflito levou ao enfraquecimento do império Habsburgo e ao estabelecimento de uma nova situação internacional com o fortalecimento do reino francês.
b) O conflito iniciou-se com a proclamação da independência das Províncias Unidas, que se separavam, assim, dos domínios do império Habsburgo.
c) O conflito marcou a vitória definitiva dos huguenotes sobre os católicos na França, apoiados pelo monarca Henrique de Bourbon, desde o final do século XVI.
d) O conflito estimulou a reação dos Estados Ibéricos que, em aliança com o papado, desencadearam a chamada Contra-Reforma Católica.
e) O conflito caracterizou-se pelas intervenções inglesas no continente europeu, através de tropas formadas por grupos populares enviadas por Oliver Cromwell.

Resposta: A
Resolução: A Guerra dos Trinta Anos (1618-48) começou no interior do Sacro Império Romano Germânico, governado pela dinastia dos Habsburgos austríacos, que eram católicos e tentavam ampliar seu poder através da imposição da religião aos luteranos. Ao mesmo tempo a Espanha enfretava a Holanda calvinista (época da União Ibérica). O Cardeal Richelieu não exitou em apoiar tanto os protestantes alemães, como os holandeses, pretendendo enfraquecer a Espanha e, consequentemente, fortalecer a França no plano internacional.


4) Num manuscrito do século XIII pode-se ler: "Os usurários são ladrões, pois vendem o tempo, que não Ihes pertence, e vender o bem alheio, contra a vontade do possuidor, é um roubo."
Apud LE GOFF, J., A bolsa e a vida. A usura na Idade Média. Trad., São Paulo, Brasiliense, 1989, p.39.
A respeito da usura é correto afirmar:

a) A usura foi tolerada pelos teólogos medievais que viviam nas cidades e criticada pelos teólogos que se dedicavam à vida contemplativa nos mosteiros rurais.
b) A usura era considerada um pecado pelos teólogos cristãos porque o usurário podia se apropriar, como um ladrão, de qualquer bem de seu devedor.
c) A prática da usura passou a ser considerada virtuosa pelos teólogos católicos, convencidos de que as críticas desferidas por Lutero eram pertinentes.
d) A usura era considerada um roubo do tempo que pertencia a Deus e foi praticada exclusivamente por judeus durante a Idade Média.
e) A usura foi condenada pelos teólogos medievais num contexto em que se desenvolvia uma economia monetária gerada no interior do feudalismo.

Resposta: E
Resolução: A crise do sistema feudal, foi determinada pela incompatibilidade entre produção e consumo, dada pelo crescimento populacional e pela manutenção de um sistema produtivo limitado, que tendia a auto-suficiência. A expansão do comércio e a monetarização da economia decorrentes do renascimento comercial e urbano passou a ser criticada pelo clero da época, pois pretendiam preservar as concepções teocêntricas de mundo


5) "(...) Que tínhamos feito à forte e opulenta Inglaterra? (...) Não era Portugal um aliado antigo e fiel, correndo com terna solicitude a depor-lhe no estômago insondável pedaços de seus domínios no Ultramar, a assumir a defesa dos seus múltiplos interesses econômico-políticos, e a lançar-se-Ihe nos braços magnânimos nas horas de turbação e de amargura?(...) Pois não lhe bastavam Bombaim, Tânger, Ceuta, e tantas outras paragens longínquas de que mal sabíamos os nomes?(...) O Zaire não tinha já ido na corrente da distribuição leonina de Berlim, em 1885? Então não era nossa, legitimamente nossa, a bacia do Zambeze?(...)"
(TELES. Basílio, Do Ultimatum ao 31 de Janeiro. Esboço de História Política. 28 ed., Lisboa, Portugália Editora, 1968, p.7-8)
O texto acima refere-se a tensões que se estabeleceram:

a) Devido à recusa do governo português em cumprir os ditames do Tratado de Methuen.
b) Devido ao revanchismo português após a perda de suas feitorias localizadas na Índia.
c) Devido ao revanchismo inglês provocado pela aliança histórica entre Portugal e França.
d) Entre Inglaterra e Portugal devido à disputa de territórios situados no interior da África.
e) Entre Inglaterra e Portugal, provocadas pela condenação britânica ao tráfico negreiro.

Resposta: D
Resolução: O texto trata do choque de imperialismo envolvendo a Inglaterra expansionista, organizadora de seu império colonial na África e Portugal, país decadente no século 19, que é forçado a recuar de suas pretensões territoriais no sentido de unir Angola e Moçambique.


6) Entre 1955 e 1973, um grupo de líderes internacionais tentou criar as bases daquilo que ficou conhecido como "movimento dos não-alinhados". A esse respeito é correto afirmar:

a) O movimento procurava estabelecer uma política diplomática independente dos EUA e da União Soviética, as duas superpotências da época.
b) Tratava-se de um movimento de países do Terceiro Mundo, que reunia apenas líderes que não estivessem comprometidos com os interesses da União Soviética.
c) Tratava-se de um movimento que tentava elaborar uma alternativa política à social-democracia européia e ao comunismo da China e dos países do Leste europeu.
c) Os princípios do movimento, definidos na Conferência de Bandung, em 1955, indicavam o alinhamento dos países do Terceiro Mundo com as chamadas potências desenvolvidas.
e) A Conferência de Belgrado, em 1961, condenou a instauração do regime comunista em Cuba, liderado por Fidel Castro.

Resposta: A
Resolução: Em 1955, realizou-se a Conferência de Bandung na Indonésia, quando os governantes dos países recém-descolonizados reuniram-se para definir uma posição comum diante da bipolarização produzida pela Guerra Fria. A política adotada foi de não alinhamento, criando-se um bloco que pretendia a neutralidade frente as disputas que envolviam as duas maiores potencias da época: EUA e URSS.


7) "Atrás do jovem, a guerra, em frente a ele a ruína social, à sua esquerda ele está sendo empurrado pelos comunistas, à direita, pelos nacionalistas e por toda a sua volta não existe um só traço de honestidade, de racionalidade, e todos os seus bons instintos estão sendo distorcidos pelo ódio."
Apud GAY, P., A cultura de Weimar, trad., Rio, Paz e Terra, 1978, p. 160.
A análise acima foi feita pelo novelista alemão Jakob Wassermann e diz respeito à situação social durante a República de Weimar, quando a Alemanha:

a) Presenciou a derrocada do nazismo e o esta-belecimento da democracia tutelada pelas principais potências ocidentais e pela União Soviética.
b) Vivenciou uma experiência democrática marcada pelos sucessivos governos de centro-esquerda, encabeçados pelo Partido Democrata Alemão.
c) Passou por uma experiência democrática abalada por graves crises econômicas e pelas investidas de partidos e grupos extremistas de esquerda e de direita.
d) Assistiu à consolidação no poder do grupo espartaquista liderado por Rosa de Luxemburgo, que questionava duramente as concessões ideológicas feitas pelos social-democratas.
e) Enfrentou a guerra contra a Tríplice Aliança, mantendo o regime democrático a partir de uma coalizão de centro-esquerda liderada pelos social-democratas.

Resposta: C
Resolução: O período que se seguiu a Primeira Guerra Mundial na Alemanha foi marcado por sucessivas crises econômicas e políticas, em parte devido as imposições que o país sofrera com a imposição do Tratado de Versalhes. Do ponto de vista político foi eliminado o II Reich e a monarquia cedeu lugar a um governo republicano e liberal formado a partir do final de 1918, que, desde seu início, sofreu forte oposição de comunistas e nazistas, em um processo normalmente tratado como "polarização ideológica"


8) Durante o período da Guerra Fria, o cenário internacional foi marcado:

a) Pela expansão de regimes comunistas no interior da América Latina e pela Europa Ocidental.
b) Pela bipolarização do poder mundial envolvendo as duas superpotências, União Soviética e Estados Unidos da América.
c) Pela militarização da Alemanha, a despeito das decisões das conferências de Yalta e Potsdam.
d) Pela polarização do mundo em dois blocos compostos por URSS, Inglaterra, EUA e França, contra Alemanha, Itália e Japão.
e) Pelo equilíbrio de forças entre os países desenvolvidos e os países do chamado Terceiro Mundo.

Resposta: B
Resolução: A Guerra Fria foi o nome dado ao período posterior a Segunda Guerra Mundial, marcado pela polarização entre os interesses dos EUA e da URSS, as duas superpotências da época. A definição tradicional, derivada da Doutrina Trumam apresenta os dois países com interesses opostos. Outra definição apresenta os dois países com interesses semelhantes, ou seja, o expansionismo.


9) A respeito da Revolta dos Alfaiates de 1798, podemos afirmar:

a) Trata-se de uma revolução burguesa que tinha por objetivo eliminar o sistema colonial e estimular a entrada de imigrantes no Brasil.
b) Os rebeldes foram influenciados pelas idéias do comunismo francês, que pregava a igualdade social e a distribuição de terras entre os mais pobres.
c) Influenciados pelas doutrinas sociais da Igreja francesa, os líderes da revolta pretendiam garantir o ingresso no clero de homens de todas as raças.
d) O discurso rebelde era marcado pelo anti-clericalismo e defendia uma reforma na ordem vigente, de modo a eliminar as diferenças sociais.
e) O movimento foi liderado pela elite baiana, descontente com a falta de incentivos do governo metropolitano com relação às necessidades da produção açucareira.

Resposta: D
Resolução: A Revolta dos Alfaiates ou Conjuração baiana foi um movimento emancipacionista ocorrido em 1798. O abuso fiscal português, as influências das idéias iluministas e da fase popular da Revolução Francesa foram fundamentais para a eclosão do movimento, que contou com a participação de camadas populares e, além da independência, defendia a "igualdade racial"


10) A conquista colonial inglesa resultou no estabelecimento de três áreas com características diversas na América do Norte. Com relação às chamadas "colônias do sul" é correto afirmar:


a) Baseava-se, sobretudo, na economia familiar e desenvolveu uma ampla rede de relações comerciais com as colônias do Norte e com o Caribe.
b) Baseava-se numa forma de servidão temporária que submetia os colonos pobres a um conjunto de obrigações em relação aos grandes proprietários de terras.
c) Baseava-se numa economia escravista voltada principalmente para o mercado externo de produtos, como o tabaco e o algodão.
d) Consolidou-se como o primeiro grande pólo industrial da América com a transferência de diversos produtores de tecidos vindos da região de Manchester.
e) Caracterizou-se pelo emprego de mão-de-obra assalariada
e pela presença da grande propriedade agrícola monocultora.

Resposta: C
Resolução: As "Colônias do Sul" se caracterizaram pela estrutura tradicional de produção, a saber, latifúndio, monocultura, voltada para o mercado externo, com trabalho escravo africano.


11) "(...) assistimos no final do século XVII, após a descoberta das minas, não a uma nova configuração da vila nem à ruptura brusca com o padrão anterior, ao contrário, à consolidação de todo um processo de expansão econômica, de mercantilização e de concentração de poder nas mãos de uma elite local. A articulação com o núcleo mineratório dinamizará este quadro mas não será, de forma alguma, responsável por sua existência."
BLAJ, Ilana, A trama das tensões.São Paulo, Humanitas, 2002, p.125.
O texto acima refere-se:

a) À vila de São Luís e ao seu papel de núcleo articulador entre a economia exportadora e o mercado interno colonial.
b) À vila de São Paulo, cuja integração a uma economia de mercado teria ocorrido antes da descoberta dos metais preciosos.
c) À vila de Ouro Preto, importante centro agrícola e pecuarista encravado no interior da América Portuguesa.
d) À vila de Cuiabá, principal entreposto de tropeiros e comerciantes que percorriam as precárias rotas do Centro-Sul.
e) À vila de Mariana, importante centro distribuidor de indígenas apresados pelos bandeirantes.

Resposta: B
Resolução: O texto refere-se a São Paulo, que desenvolveu atividades econômicas diferenciadas, ligadas principalmente ao bandeirismo e esteve vinculada indiretamente à mineração a partir do final do século 17.

12) O estabelecimento da família real portuguesa no Brasil, a partir de 1808:

a) Significou apenas o deslocamento do imenso aparelho burocrático português sem nenhum desdobramento no processo de emancipação política brasileira.
b) Interrompeu os vínculos entre os grupos estabelecidos em torno da Coroa Portuguesa e aqueles dedicados às diversas atividades econômicas coloniais.
c) Deu inicio à campanha abolicionista, devido à atuação dos letrados portugueses junto aos integrantes da aristocracia escravista colonial.
d) Criou vínculos estreitos entre os grupos dominantes da América espanhola e da América portuguesa, unidos contra as agressões e usurpações patrocinadas
por Napoleão Bonaparte.
e) Deu início à chamada "interiorização da metrópole" e permitiu uma aproximação entre os membros da burocracia imperial e grupos dominantes coloniais.

Resposta: B
Resolução: Muitos denominam de "inversão brasileira" a situação marcada pela presença da burocracia portuguesa no Brasil e a efetiva mudança em seu estatuto econômico, uma vez que o monopólio lusitano foi rompido. Essa situação prejudicou a economia metropolitana e a burguesia mercantil do país e, ao mesmo tempo, abriu caminho para o aumento das exportações brasileiras.



13) Em 21 de dezembro de 1941, Getúlio Vargas recebeu Osvaldo Aranha, seu ministro das Relações Exteriores, para uma reunião. Leia alguns trechos do diário do presidente: "À noite, recebi o Osvaldo. Disse-me que o governo americano não nos daria auxílio, porque não confiava em elementos do meu governo, que eu deveria substituir. Respondi que não tinha motivos para desconfiar dos meus auxiliares, que as facilidades que estávamos dando aos americanos não autorizavam essas desconfianças, e que eu não substituiria esses auxiliares por imposições estranhas."
VARGAS, Getúlio, Diário. São Paulo / Rio de Janeiro, Siciliano/ Fundação Getúlio Vargas, 1995, vol. II, p. 443.
A respeito desse período, podemos afirmar:

a) As desconfianças norte-americanas eram completamente infundadas porque não havia nenhum simpatizante do nazi-fascismo entre os integrantes do governo brasileiro.
b) Com sua política pragmática, Vargas negociou vantagens econômicas com o governo americano e manteve em seu governo simpatizantes dos regimes
nazi-fascistas.
c) Apesar das semelhanças entre o Estado Novo e os regimes fascistas, Vargas não permitiu nenhum tipo de relacionamento diplomático entre o Brasil e os
países do Eixo.
d) No alto escalão do governo Vargas havia uma série de simpatizantes do regime comunista da União Soviética e de seu líder Joseph Stalin.
e) As pressões do governo norte-americano levaram Vargas a demitir seu ministro da Guerra, o general Eurico Gaspar Outra, admirador dos regimes nazi-fascistas.

Resposta: B
Resolução: A política pragmática adotada por Vargas foi justificada elo discurso nacionalista, ou seja, "o bem do país" independentemente das posturas ideológicas e dos interesses dos outros países. Dessa maneira Vargas negócios acordos tanto com a Alemanha, como com os EUA, alinhando-se a este país em 1942.


14) "Vai-se o marechal ingente, / vai-se o grande alagoano. / E eu leitor, digo somente: Floriano foi um prudente; / seja o Prudente um Floriano."
Essa é uma quadrinha do escritor Artur de Azevedo. A respeito dos personagens e do período aos quais se refere podemos dizer que:

a) O escritor, como um crítico dos governos militares, posicionara-se contra a decretação do estado de sítio e o fechamento do Congresso por parte de Floriano Peixoto.
b) O escritor, como um defensor dos ideais socialistas no Brasil, fora contrário ao estado de sítio decretado por Deodoro da Fonseca e prorrogado por Floriano
Peixoto.
c) O escritor, como um defensor do "marechal de ferro", mostrava-se satisfeito com a prudência do presidente que, com pulso firme, havia debelado a
Revolta de Canudos.
d) O escritor, como um admirador de Floriano Peixoto, saudava a prudência do ex-presidente, que teve de lidar com a Revolução Federalista e com a Revolta
da Armada.
e) O escritor, como um democrata, reconhecia o despojamento de Floriano, que aceitou a realização imediata de eleições logo após a renúncia de Deodoro
da Fonseca.

Resposta: D
Resolução: interpretação de texto.


15) Em 1968, o Brasil foi surpreendido pelas greves operárias de Osasco e Contagem. A esse respeito é correto afirmar:

a) Lideradas pelo torneiro-mecânico Luís Inácio da Silva, constituíram a primeira grande contestação política ao regime militar.
b) As movimentações operárias provocaram uma flexibilização do regime, que acabaram por conduzir ao processo de abertura política.
c) As greves acabaram por provocar a destituição do ministro do Trabalho Jarbas Passarinho e levaram ao reconhecimento das lideranças sindicais por parte do governo.
d) As greves provocaram uma reação em cadeia contra o regime militar, que culminou na organização da greve geral de 1968.
e) As greves adicionaram um ingrediente a mais nesse ano de grande agitação política, que culminaria no endurecimento do regime com a implementação do AI-5.

Resposta: E
Resolução: O ano de 1968 foi marcado pelo início de grandes mobilizações contra a ditadura militar no Brasil, destacando-se as greves operárias mencionadas no enunciado, o movimento estudantil e as manifestações artísticas, principalmente no teatro. A resposta do governo foin o endurecimento do regime com a decretação do AI - 5

Pesquisar em
1128 conteúdos

Notícias

MASP

Passagens por Paris - Arte moderna na capital do séc. XIX

Notícias

Universidades latinas atraem poucos estrangeiros

Instituições têm melhorado sua presença em rankings internacionais, mas continua

Roteiros de Aula

Ninguém tira Zero

Província elimina nota zero para proteger autoestima de alunos

Notícias

França e Alemanha lembram 100 anos da Primeira Guerra

Presidentes Hollande e Gauck homenageiam mortos nas batalhas e destacam importân

COPYRIGHT © HISTÓRIANET INTERNETWORKS LTDA

PRODUZIDO POR

SOBRE O HISTORIANET