HISTORIANET

Vestibulares

Mackenzie 2003

MACKENZIE

Primeira Prova - Julho 2003

Resolução do curso Objetivo de São Paulo

1) Após vingarem o destino infeliz da mãe Rea Silvia, detida por longo tempo pelo pérfido tio Amúlio, e restituírem o reino de Alba ao avô Numitor, Rômulo e Remo teriam decidido, por conta própria, fundar com seus companheiros, todos homens, uma cidade. De modo muito simples, Rômulo e Remo foram tomados pelo desejo de fundar uma cidade nos mesmos lugares que haviam sido abandonados e criados, ou seja, às margens do Tibre.
Adaptado de Levi G. Schmitt -- História dos jovens
O texto apresenta um trecho da versão escrita pelo poeta Virgílio, em Eneida, acerca da fundação da cidade de:

a) Esparta.
b) Roma.
c) Bagdá.
d) Tebas.
e) Atenas.
Resposta: B
Resolução: O texto apresenta a versão lendária sobre a fundação de Roma, na qual as personagens centrais são os irmãos Rômulo e Remo, que teriam sido lançados ao Rio Tibre pelo rei Amúlio, tendo sido salvos por uma loba e, posteriormente, teriam fundado a cidade de Roma.


2) Diante da crise agrária, fazia-se necessária a conquista de novas áreas produtivas; Diante da crise demográfica, fazia-se necessário o domínio sobre outras populações; Diante da crise social, fazia-se necessário um monarca forte; Diante da crise espiritual, fazia-se necessária uma nova visão de Deus e do homem. Começavam os novos tempos .
Hilário Franco Júnior
O fragmento acima faz referência:
a) ao processo de dissolução da ordem feudal.
b) à expansão do Império Romano por meio da conquista do Mediterrâneo.
c) à formação do Sistema Feudal.
d) à fragmentação do Sistema Absolutista.
e) ao expansionismo do Império Árabe e religião islâmica.
Resposta: A
Resolução: O texto trata da crise geral do feudalismo, destacando seus aspectos socioeconômicos, demográficos e espirituais, abrindo perspectivas para o surgimento de uma nova ordem na Europa Ocidental, mais adequada aos interesses dos novos "atores" sociais e econômicos.


3) Exigiram também que a arrecadação fosse confiada a seus eleitos e o delfim concordou, com mais boa vontade, já que as comunidades tornavam-se, desse modo, responsáveis pela arrecadação. Assim, foi criado o hábito do imposto. Não sem protesto de ambas as partes, a quantia era concedida apenas por certo tempo e para um objetivo determinado. No meio do século XV, o imposto torna-se praticamente permanente.
Philippe Wolff -- Outono da Idade Média
Dentre as características gerais dos Estados Modernos, europeus, no período compreendido entre os séculos XV e XVIII, podemos destacar:
a) a formação de uma burocracia composta por nobres no poder e descentralização administrativa e monetária.
b) a fortalecimento dos poderes locais e da justiça senhorial, para custear as despesas com o exército.
c) a autonomia, pelas unidades feudais, depois do século XV, nos sistemas de pesos, moedas e medidas.
d) a defesa, pela justiça real, das necessidades de um governo democrático, com vistas à manutenção da paz e da ordem.
e) a justificativa do poder do soberano, legitimada pela Teoria do Direito Divino dos Reis.
Resposta: E
Resolução: Dentre as características dos Estados Modernos absolutistas, podemos destacar a excessiva centralização dos poderes nas mãos do monarca. Para Jacques Bossuet, em sua obra Política Segundo as Sagradas Escrituras , o poder absoluto do rei emanava de Deus, resultando em uma das teorias que justificavam o poder real na Época Moderna.


4) Ao longo da história da humanidade, as perseguições aos opositores de regimes políticos despóticos tem sido a marca de várias sociedades. No século XXI, as guerras, a intolerância religiosa e étnica e, principal-mente, as desigualdades econômicas que separam os países ricos dos pobres acabam forçando grandes contingentes de população a mudar de país e de vida. Na Idade Moderna, no século XVII, uma região do planeta serviu de abrigo para uma população que era expulsa dos campos e perseguida por conflitos religiosos e políticos. Essa região era a:
a) Austrália.
b) América do Norte.
c) África do Sul.
d) Europa Central.
e) Ásia.
Resposta: B
Resolução: A questão trata da colonização inglesa, denominada de "povoamento", na América do Norte temperada, que abrigou os refugiados religiosos puritanos, perseguidos na Inglaterra absolutista.


5) Os ideólogos dessa corrente acreditavam que marxistas, após terem derrotado o capitalismo e tomado o poder, se tornariam os novos exploradores do proletariado. Uma vez conquistado o poder, eles se transformariam em uma minoria privilegiada de ex-trabalhadores que, com poder nas mãos, passariam a representar a si mesmos e a defender seus direitos de governar o povo. Para esses ideólogos, o Estado deveria ser destruído pelos trabalhadores imediatamente após a revolução proletária.
Adaptado -- Flavio de Campos e Renan Garcia de Miranda
O texto apresenta algumas das principais preocupações dos:
a) Bolcheviques.
b) Socialistas.
c) Anarquistas.
d) Ludistas.
e) Sociais Democratas.
Resposta: C
Resolução: Contrariando o socialismo revolucionário marxista, que defende a criação da "ditadura do proletariado" após a revolução, os anarquistas advogam a destruição do Estado.


6) Os soberanos do Antigo Regime venceram Napoleão, que eles viam como o herdeiro da Revolução.A escolha de Viena para a realização do Congresso, para a sede de todos os Estados Europeus, foi simbólica, pois Viena era uma das únicas cidades que não havia sido sacudida pela Revolução e a dinastia dos Habsburgos era símbolo da ordem tradicional, da Contra Reforma e do Antigo Regime.
René Rémond
Dentre as decisões acordadas no Congresso de Viena em 1814-1815, podemos assinalar a:
a) criação de um organismo multinacional, denominado Santa Aliança.
b) convocação da Reunião dos Estados Gerais.
c) criação do Comitê de Segurança Geral.
d) formação da II Coligação antifrancesa.
e) restauração dos princípios revolucionários.
Resposta: A
Resolução: O Congresso de Viena, convocado pelos "Quatro Grandes" (Inglaterra, Áustria, Prússia e Rússia), após a primeira queda de Napoleão, em 1814, decidiu criar um organismo ultraconservador -- A Santa Aliança, de caráter intervencionista, militarista e recolonialista.


7) Para os norte-americanos, a decisão de usar as armas nucleares foi descrita em termos puramente humanitários e militares. Nas palavras do então secretário da Guerra, Henry L. Stimson, os artefatos foram usados "a fim de terminar com a guerra no menor prazo possível e evitar as enormes perdas de vidas humanas que, de outra forma, teríamos de enfrentar".
Provavelmente, se os Estados Unidos tivessem sido derrotados na guerra, o general Leslei Groves, responsável pelo projeto que criou a nova arma, o coronel-aviador Paul Tibbetts, comandante do avião Enola Gay que lançou a bomba e os físicos chefiados por Oppenheimer, certamente seriam julgados por crimes contra a humanidade.
Sobre o evento citado no texto é INCORRETO afirmar que:
a) no início de agosto, a vitória americana no Pacífico já estava clara. Era apenas uma questão de tempo, até a rendição do Japão; o governo dos EUA justificou-se, alegando que essa era a forma mais rápida de encerrar, de uma vez por todas a guerra.
b) a primeira bomba atômica explodiu na cidade japonesa de Hiroxima. Três dias depois, outra cidade japonesa, Nagasaki, conheceu o poder da bomba atômica.
c) coube ao vice-presidente dos Estados Unidos, Franklin D. Roosevelt, comandante de todas as forças armadas dos EUA, a responsabilidade de tomar a decisão de lançar as bombas atômicas sobre o Japão.
d) a bomba atômica, lançada sobre a cidade de Hiroxima em 1945, foi um dos fatores que desencadeou, nos anos seguintes à Guerra Fria, um verdadeiro
festival de explosões americanas e russas, que poluíram, com radiação quase todos os espaços da terra.
e) para muitos analistas militares, historiadores, o uso das bombas foi um crime de guerra dos EUA, destinado a impressionar a URSS e a marcar sua força política, tendo em vista a nova ordem internacional do pós-guerra.
Resposta: C
Resolução: A questão trata do episódio que forçou o Japão a render-se na 2ª Guerra Mundial, sendo que a decisão de lançar as bombas atômicas sobre Hiroxima e Nagasáki coube ao vice-presidente dos EUA, Henry Truman, que havia assumido a presidência da República com a morte de Franklin Roosevelt.


8) Após a expulsão dos holandeses do Brasil, em 1654, as relações entre a colônia e a metrópole portuguesa caracterizaram-se pela:
a) prosperidade econômica, tanto da colônia como da metrópole, em função da expansão do mercado açucareiro.
b) estabilidade financeira de ambas, uma vez que não houve o pagamento de indenizações nos tratados de paz.
c) menor opressão da metrópole sobre a colônia, em virtude da extinção do pacto colonial.
d) crise econômica decorrente da concorrência do açúcar holandês das Antilhas, afetando a metrópole e a colônia.
e) superação da dependência econômica de Portugal e Brasil em relação à Inglaterra.
Resposta: D
Resolução: A expulsão dos holandeses do Nordeste brasileiro, provocada pela Insurreição Pernambucana, em 1654, acarretou a decadência da exportação do açúcar brasileiro, devido à concorrência da região das Antilhas, a qual contou com financiamentos flamengos, atingindo os interesses econômicos dos senhores de engenho e de Portugal.


9) Em 1838, o deputado Bernardo Pereira Vasconcelos escrevia:
" Fui liberal, então a liberdade era nova para o país, estava nas aspirações de todos, mas não nas leis, não nas idéias práticas; o poder era tudo, fui liberal. Hoje, porém, é diverso o aspecto da sociedade; os princípios democráticos tudo ganharam e muito comprometeram (...)"
O texto se reporta:
a) ao Ato Adicional, à instabilidade política dele decorrente e as constantes ameaças de fragmentação do território.
b) ao Golpe da Maioridade, estratégia usada pelos liberais, que favoreceu o grupo de políticos palacianos.
c) ao declínio do império, abalado pelas crises militar e da abolição.
d) à crise sucessória portuguesa e à conseqüente abdicação de Pedro I.
e) ao Ministério da Conciliação, marcado pela estabilidade econômica e pela aliança entre liberais e conservadores.
Resposta: A
Resolução: O período regencial (1831-40) foi marcado por grande instabilidade política, com a presença de revoltas separatistas, populares e republicanas. O Ato Adicional de 1834 estabeleceu a criação das Assembléias Legislativas Provinciais, representando um avanço liberal. As constantes crises decorrentes da promulgação dele provocaram a reação de setores conservadores, defensores da centralização política como forma de pacificar o país, o que levou à ascensão do gabinete conservador de Pedro de Araujo Lima, em 1837.



10) O isolamento social e a omissão ou violência do Estado provocaram, na República Velha, movimentos messiânicos que reagiram, dentre outros fatores, contra a crise econômica e a modernidade. Identifique-os nas alternativas abaixo.5
a) Revolução Farroupilha e Balaiada
b) Intentona Comunista e Revolução de 1932
c) Revolta de Canudos e Contestado
d) Revolta do Forte de Copacabana e Coluna Prestes
e) Revolta da Chibata e Vacina
Resposta: C
Resolução A Revolta de Canudos e do Contestado foram manifestações sociais decorrentes da concentração fundiária e da opressão política exercida por coronéis na República Velha. As duas revoltas tiveram conteúdo religioso representado pelo fanatismo das lideranças messiânicas de Antonio Conselheiro em Canudos e do monge José Maria no Contestado.


11) Sobre o Estado Novo, implantado por Vargas em 1937, é INCORRETO afirmar que:
a) o nacionalismo econômico e o intervencionismo estatal foram traços marcantes desse período da Era Vargas.
b) a forte centralização política mantinha, por meio do DIP e do DOPS, o controle da opinião pública e a repressão aos inimigos do regime.
c) a CLT representou uma conquista nas relações entre o capital e o trabalho, embora a manipulação e o paternalismo do governo impedissem um sindicalismo livre.
d) o regime tinha, dentre suas bases de sustentação, as forças armadas e a burocracia estatal.
e) o liberalismo econômico e a neutralidade brasileira, durante a Segunda Guerra Mundial, consolidaram o governo Vargas após o conflito.
Resposta: E
Resolução: A fase do Estado Novo (1937-45) durante a Era Vargas teve caráter ditatorial. Nesse período, a economia foi marcada pela forte intervenção do Estado, e no campo da política externa, apesar da inspiração fascista, Getúlio Vargas, sob pressão dos EUA, apoiou os aliados na Segunda Guerra Mundial, contribuindo para o enfraquecimento do regime Varguista e para a redemocratização do país.






12) "Fato de grande importância, ocorrido em 1956, foi o renascimento do interesse dos capitalistas estrangeiros pelo desenvolvimento industrial do país. Esse renascimento deve-se principalmente ao clima de confiança que o novo governo conseguiu estabelecer no exterior"
Juscelino Kubitschek -- Mensagem ao Congresso 1957
Assinale a alternativa que NÃO se relaciona ao período descrito pelo texto.
a) A existência de sérias contradições, entre uma economia internacionalizada e uma política de massas, eram evidentes no final do governo Kubitschek.
b) A execução do Programa de Metas, viabilizado pelos capitais estrangeiros, acelerou a industrialização mas acentuou os desequilíbrios regionais.
c) O crescimento da inflação e do endividamento externo marcaram esse período, apesar do extraordinário desenvolvimento industrial.
d) A questão da terra permaneceu intocada, mantendo-se a mesma estrutura fundiária.
e) A ênfase dada por esse governo à agricultura reduziu o êxodo rural e os graves problemas urbanos.
Resposta: E
Resolução: O Plano de Metas do presidente Juscelino Kubitschek não priorizou a agricultura e, por isso, milhões de trabalhadores rurais abandonaram o campo e foram procurar emprego no eixo Rio-São Paulo, agravando os problemas urbanos nessa região.


13)
Texto 1
Meu Brasil ...
Que sonha com a volta do irmão do Henfil
Com tanta gente que partiu num rabo de foguete
Chora a nossa pátria mãe gentil
Choram Marias e Clarices no solo do Brasil...
João Bosco e Aldir Blanc

Texto 2
Eu te amo meu Brasil eu te amo
Meu coração é verde amarelo branco e azul anil
Ninguém segura a juventude do Brasil
Don e Ravel

Os trechos das músicas identificam um período da História Brasileira cujas características foram:
a) as idéias liberais e a violência do governo Dutra contra os trabalhadores e partidários do PCB.
b) a exaltação nacionalista e o personalismo do "pai dos pobres", em contraposição aos grupos que visavam à redemocratização do país.
c) a repressão e a ausência de direitos, impostas pela Ditadura Militar por meio de sua proposta ufanista e autoritária.
d) a ideologia do ISEB, legitimando o desenvolvimentismo dos anos JK e a emergência dos centros populares de cultura.
e) o engajamento ao mercado e a temas despolitizados, que marcam o período da Nova República.
Resposta: C
Resolução: A música durante a Ditadura Militar foi utilizada como instrumento de contestação ao regime autoritário, como mostra o texto 1, bem como meio de propagranda ufanista e nacionalista, como mostram os versos de Don e Ravel, particularmente durante o governo do General Médici, de caráter neopopulista.



14) "Sarney convocou os brasileiros e brasileiras para colaborar na execução do Plano e travar uma guerra de vida ou morte contra a inflação"
Boris Fausto
O Plano Cruzado entrava em vigor em fevereiro de 1986, resultando:
a) na abertura da economia e no bloqueio das contas de poupança, medidas que controlaram rapidamente a inflação.
b) inicialmente, na retomada do crescimento e, posteriormente, no fracasso econômico, em virtude de razões eleitorais, ágio e desabastecimento.
c) na elevação das taxas de juros, no retorno do real como moeda e na volta da hiperinflação.
d) no pleno emprego, na criação da URV e no déficit na balança comercial em função da abertura de mercado.
e) em um vasto programa de privatizações, na inadimplência, no desemprego e na queda do consumo.
Resposta: B
Resolução: Embora o Plano Cruzado 1 tenha conseguido êxitos iniciais, ao ser transformado em instrumento político do governo Sarney e do PMDB, acabou fracassando, pois o desabastecimento e o ágio provocaram a retomada dos altos índices inflacionários e da própria recessão da economia.



15) No final da década de noventa, o "Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra" converteu-se numa das principais forças de protesto social no país. As raízes históricas desse secular problema brasileiro remontam:
a) à mal sucedida reforma agrária realizada pelo governo de João Goulart, durante a campanha das Reformas de Base.
b) à criação do Estatuto da Terra, durante o Governo Militar, que implementou todas as mudanças necessárias para modernizar a estrutura fundiária.
c) ao início da colonização brasileira com a doação das sesmarias e a Lei de Terras de 1850, que reforçaram a concentração da propriedade nas mãos da elite.
d) à constante preocupação com o preço dos ali-mentos e com a fixação do homem à terra, presentes no governo Jânio Quadros.
e) à ênfase dada pelos governos da República Velha ao acesso democrático à terra, após o episódio de Canudos.
Resposta: C
Resolução: Na época colonial, a doação de sesmarias (grandes propriedades rurais) objetivava o estreitamento das relações sociais entre os membros da elite, provocando o surgimento de uma estrutura fundiária que excluía a maioria da população. A Lei de Terras, de 1850, confirmou a concentração fundiária e a exclusão social, ao impedir que os ex-escravos e os imigrantes tivessem acesso à terra, pois a única maneira de adquiri-la era por meio da compra.

SEGUNDA




1) Na Antiguidade, o direito à cidadania propriamente dito era restrito a uma reduzida classe de privilegiados. A nítida separação entre cidadão -- membro do grupo dirigente com direito a voto nas assembléias e à participação na vida política -- e os demais estratos sociais, excluídos de opinar sobre o destino da cidade, ocorria, pois, no plano político. A distinção entre o cidadão e o escravo tinha um argumento sutil, que servia para o desencargo de consciência da elite: o escravo era desprezível, não por trabalhar, mas porque, em dado momento de sua existência, tinha preferido a servidão ao risco de morrer pela liberdade.
Adaptado de Carmo, P.S. -- A ideologia do trabalho
Os elementos apresentados no fragmento acima, nos permitem relacioná-lo com a civilização:
a) Egípcia.
b) Fenícia.
c) Mesopotâmica.
d) Grega.
e) Cretense.
Resposta: D
Resolução: Alternativa escolhida por exclusão, uma vez que o conceito de cidadania expresso no texto se aplica à sociedade espartana -- que não pode ser considerada um paradigma do regime vigente nas demais póleis . Em Atenas, que era o modelo seguido pela maioria das cidades-Estado, a cidadania se restringia a 10% da população. Mas esse percentual incluía todos os homens livres nascidos em Atenas, filhos de pai ateniense e maiores de idade, independentemente de sua posição econômica e social. Ademais, a idéia da indignidade da condição de escravo é associada à mentalidade espartana, pois Aristóteles reconhece que o escravo é um ser humano -- embora inferior em sua essência quando comparado com o homem livre.



2) Na Europa, nos séculos XIV e XV, vemos eclodir e prolongar-se uma crise da sociedade feudal. Não a última. Ainda que o declinar do mundo feudal dure relativamente menos tempo que o do mundo antigo, ocupa, não obstante, também vários séculos (XV -- XVIII), até o momento em que uma nova classe, a burguesia, persegue conscientemente sua destruição e sua substituição.
Charles Parrain
Assinale a alternativa que NÃO apresenta fator ou fatores responsáveis pela crise da sociedade feudal européia.
a) A crescente centralização do poder monárquico nas mãos dos reis, em contrapartida ao poder dos senhores feudais.
b) A retração econômica e a crise demográfica, resultantes da diminuição da produtividade do solo.
c) Os valores cristãos e o sucesso das cruzadas em prolongar e expandir o modelo de sociedade feudal pelo Oriente.
d) uma série de insurreições camponesas, como, por exemplo, Jacqueries, na França.
e) a transformação gradual das relações servis de produção, em relações assalariadas.
Resposta: C
Resolução: As Cruzadas, consideradas em seu conjunto, fracassaram no objetivo de reconquistar o Oriente Próximo aos muçulmanos; fracassaram também na tentativa de canalizar para aquela região os excedentes populacionais e sociais da Europa Ocidental, os quais punham em risco a estabilidade do feudalismo.



3) "Deus é soberano, portanto o homem não é livre. Deus concede a quem lhe apraz a graça de crer em Cristo". Essas palavras, de Martinho Lutero, difundiram-se pelo território europeu no século XVI, por meio de inúmeros movimentos que buscavam reformas religiosas, EXCETO, para os:
a) Anglicanos.
b) Calvinistas.
c) Presbiterianos.
d) Jesuítas.
e) Luteranos.
Resposta: D
Resolução: A ordem dos jesuítas (ou Sociedade de Jesus, ou ainda Companhia de Jesus) foi criada no contexto da Contra-Reforma Católica para se opor aos movimentos reformistas protestantes, e também para propagar o catolicismo entre os pagãos da América e Ásia.


4) Os Estados Unidos viviam seus dias de glória. A dança agitava os salões, principalmente aquelas que tivessem características menos convencionais como a valsa, que predominou no século XIX. Houve uma verdadeira busca de ritmos e sons diferentes, emocionantes, como os africanos e latino-americanos. (....) o jazz e o blues conseguiram espaços e se espalharam por todo o mundo, com muita rapidez, auxiliados pelo gramofone e pela prosperidade dos "Anos Felizes" do capitalismo norte-americano.
Eric J. Hobsbawm -- História social do jazz
Assinale a alternativa que NÃO corresponde ao período caracterizado no fragmento de texto acima.
a) O clima de otimismo econômico do período do pós-guerra dissimulou os conflitos envolvendo negros e imigrantes, assim como a intolerância social, o crime organizado e a corrupção política.
b) Possuindo aproximadamente a metade de todo o ouro que circulava nos mercados financeiros do mundo, os EUA saíram da Primeira Guerra como
grandes credores da Europa.
c) O pós-guerra, período conhecido como os "anos felizes", foi uma fase de enorme euforia e prosperidade para os EUA, que durou até a crise econômica
de 1929.
d) A prosperidade econômica dos EUA, na década de 1920, não era partilhada por todos os norte-americanos; havia grande concentração de renda e cerca
de 50% da população vivia abaixo da linha de pobreza.
e) Nessa época, as leis de segregação racial, que proibiam os negros de freqüentar as mesmas escolas e bares que os brancos e até de entrar em ônibus e banheiros públicos exclusivos dos brancos, foram abolidas na região sul dos EUA.
Resposta: E
Resolução: As leis segregacionistas vigentes nos estados sulistas somente foram abolidas na década de 1960, como decorrência da luta dos negros por seus direitos civis, sob a liderança maior de Martin Luther King (havia
movimentos negros mais radicais -- os Panteras Negras e os Muçulmanos Negros -- mas com influência muito menos significativa).


5) Hoje, os historiadores chamam, de revolução, as transformações profundas (políticas e econômicas, técnicas, de valores, costumes, etc) que provocam a destruição total ou parcial da velha ordem e a sua substituição por uma nova ordem. (...) Toda vez que técnicas, costumes, tradições ou valores
que eram dominantes são substituídos por outros, alterando profundamente a vida das pessoas e as relações entre elas, nós usamos a palavra revolução.
Joelza Éster Rodrigues -- História em documentos
Assinale a alternativa que NÃO corresponde ao conceito acima apresentado.
a) A independência dos EUA.
b) A descoberta da agricultura e domesticação dos animais na Pré-História.
c) Os movimentos liberais e nacionalistas europeus de 1830 e 1848.
d) A crise da bolsa de Nova York em 1929.
e) A tomada do poder pelos bolcheviques, em 1917, na Rússia.
Resposta: D
Resolução: A Crise de 29 não constituiu uma revolução porque o capitalismo não só sobreviveu a ela, mas se fortaleceu nas décadas seguintes. O fato de a superação da Grande Depressão ter resultado de uma nova política econômica (o New Deal intervencionista de Franklin Roosevelt) não chega a caracterizar uma mudança estrutural -- não podendo, portanto, ser considerado uma revolução.


6) Os primeiros socialistas, ao formularem profundas críticas ao progresso industrial, estavam ainda impregnados de valores liberais. Atacando os grandes proprietários, mas tendo, em geral, muita estima pelos pequenos, esses teóricos acreditavam que pudesse haver um acordo entre as classes.
Cláudio Vicentino e Gianpaolo Dorigo
Os historiadores acima estão se referindo aos:
a) socialistas científicos.
b) socialistas utópicos.
c) anarquistas.
d) marxistas.
e) socialistas liberais.
Resposta: B
Resolução: O socialismo utópico, que precedeu o científico, foi assim denominado por Marx porque suas propostas eram reformistas, e não revolucionárias. Assim sendo, os pensadores utópicos acreditavam ser possível manter o capitalismo, apenas modificando-o em certos aspectos para torná-lo mais humano. Já o marxismo pregava a destruição do capitalismo por meio da revolução armada do proletariado.


7) A população que, em 1790, era de quase 4 milhões de habitantes passou para cerca de 31 milhões em 1860. Dez anos depois, alcançava os 40 milhões. Boa parte desse contingente era formado por estrangeiros: entre 1830 e 1860 entraram no país quase 5 milhões de imigrantes europeus.
José Robson de A. Arruda e Nelson Piletti
A História dos Estados Unidos da América, no que diz respeito à fase do expansionismo interno e à ocupação e ao povoamento do atual território norte-americano, teve como justificativa a Doutrina do Destino Manifesto, sobre a qual é INCORRETO afirmar que:
a) explicitava uma visão racista que agia como alimento moral para o desenvolvimento da nação.
b) seus objetivos nunca foram utilizados para legitimar invasões, intervenções ou conquistas territoriais em países do continente americano.
c) baseava-se em um sentimento de superioridade do imigrante europeu branco, diante dos índios e dos mexicanos.
d) contém elementos inspirados no Darwinismo Social, no qual as relações sociais destacam a sobrevivência dos mais capazes.
e) os norte americanos tinham sido predestinados por Deus à conquista dos territórios situados entre os oceanos Atlântico e Pacífico.
Resposta: B
Resolução: O México, que perdeu para os Estados Unidos cerca de 1/3 de seu território, em 1848, constitui o exemplo mais clamoroso de aplicação da doutrina do "Destino Manifesto" no continente americano.



7) Em 1711, Antonil afirmava que os escravos eram as mãos e os pés dos senhores de engenho, porque, sem eles no Brasil, não é possível conservar, aumentar fazenda nem ter engenho corrente"
Antonil -- Cultura e Opulência do Brasil
Sobre o trabalho e a resistência do negro à escravidão, é correto afirmar que:
a) os escravos negros constituíam uma minoria nos canaviais, já que índios e trabalhadores livres eram responsáveis pelas plantations açucareiras.
b) o engenho tinha no escravo negro a base de toda a produção; qualquer reação era punida violentamente.
As fugas, os quilombos e a prática do suicídio eram evidências da resistência dos negros à escravidão.
c) o negro só foi utilizado como mão-de-obra para a economia açucareira, não participando da mineração ou criação de gado que usaram, prioritariamente, trabalhadores livres.
d) a escravidão no Brasil se revestiu de grande tolerância, mestiçagem e grandes oportunidades de ascensão social para o negro após a abolição.
e) o negro era submisso, resignado, não reagia à escravidão, ao contrário dos indígenas; o tráfico negreiro não tinha importância para a economia da metrópole.
Resposta B
Resolução A alternativa se explica por si mesma e, em sua primeira parte, corrobora o texto citado.




8) Abertura de Portos foi um ato historicamente previsível, mas ao mesmo tempo impulsionado pelas circunstâncias do momento. Portugal estava ocupado por tropas francesas e o comércio não podia ser feito através dele. Para a Coroa, era preferível legalizar o extenso contrabando existente entre Colônia e a Inglaterra e receber os tributos devidos.
Boris Fausto
A Abertura de Portos produziu inúmeras transformações EXCETO:
a) a escalada inglesa pelo controle do mercado colonial brasileiro, consolidada nos Tratados de 1810.
b) a necessidade do governo Joanino de conciliar os interesses dos grandes proprietários brasileiros e comerciantes reinóis.
c) que a medida foi acompanhada da revogação dos decretos de proibição da produção de manufaturas na Colônia.
d) que a presença inglesa não anulou nossos esforços de industrialização, em virtude das tarifas protecionistas e do pequeno volume de importações
inglesas.
e) a questão da escravidão, que interessava à Inglaterra nesse momento, foi incluída nos tratados e acordos entre Portugal e Inglaterra.
Resposta: D
Resolução: Esta alternativa realmente não corresponde a uma conseqüência da Abertura dos Portos Brasileiros, em 1808. Todavia, o examinador cometeu um descuido grave na alternativa b porque, da maneira como esta foi redigida, também não é um resultado da Abertura dos Portos. A medida joanina beneficiou os proprietários brasileiros, que passaram a comerciar diretamente com a Inglaterra, sem a intermediação da metrópole portuguesa. Mas, por outro lado, os comerciantes reinóis (isto é, do Reino , ou seja, de Portugal)
foram prejudicados de forma gravíssima, pois perderam o monopólio que até então detinham sobre o comércio com o Brasil. Na verdade, a alternativa b
somente se tornaria historicamente correta se o examinador tivesse acrescentado: "comerciantes renóis residentes no Brasil", pois estes efetivamente foram favorecidos pela Abertura dos Portos, juntamente com
os latifundiários brasileiros.





9) Sobre o desenvolvimento da economia cafeeira no Segundo Reinado, é INCORRETO afirmar que:
a) do ponto de vista sócio-econômico, o complexo cafeeiro deslocou definitivamente o polo dinâmico do país para o centro-sul.
b) em função do café, aparelharam-se portos, criaram-se empregos e novos mecanismos de crédito, revolucionaram-se os transportes, sendo a ferrovia sua
maior expressão.
c) após a extinção do tráfico negreiro, em 1850, a solução para a mão-de-obra veio da imigração, cujas primeiras iniciativas estão ligadas à firma Vergueiro e Cia.
d) o destino do mercado cafeeiro dependia do mercado externo; progressivamente, os EUA converteram-se no maior consumidor do café brasileiro.
e) a produção de café foi inovadora, com técnicas agrícolas avançadas, uso de pequenas propriedades, trabalho exclusivamente livre e grande preocupação com a preservação do solo.
Resposta: E
Resolução: A prática da cafeicultura no Vale do Paraíba apresenta características que contrariam frontalmente os elementos apresentados na alternativa e.



10) O povo assistiu aquilo bestializado, atônito, surpreso, sem conhecer o que significava. Muitos acreditavam sinceramente estar vendo uma parada.
Aristides Lobo
O texto refere-se à Proclamação da República, em 15 de novembro de 1889. Podemos, então, concluir que:
a) o movimento contou com sólido apoio popular, luta armada e resistência violenta dos monarquistas.
b) a proclamação vitoriosa resultou da conjugação de parte do exército, fazendeiros do oeste paulista e classes médias urbanas.
c) a Guerra do Paraguai não teve relação com o crescimento das idéias republicanas e positivistas, fundamentais para o advento da república.
d) o Terceiro Reinado era visto de forma positiva e otimista pela população, já que a Princesa Isabel tinha uma liderança expressiva, apesar dos valores patriarcais da época.
e) as críticas à centralização monárquica e o surgimento de novos segmentos sociais não tiveram influência no sucesso do movimento republicano.
Resposta: B
Resolução:Mais uma alternativa escolhida por exclusão, pois as classes médias (chamadas de "republicanos revolucionários" pelos "republicanos evolucionistas" ou "históricos", isto é, conservadores) não participaram da Proclamação da República. Prova disso é a célebre frase de Silva Jardim (principal líder dos "revolucionários" da classe média) ao assistir a toda aquela movimentação militar: "Acho que está acontecendo alguma coisa..."
Observação: O comentário de Aristides Lobo fala do povo "bestificado" (estupefato, abobalhado, perplexo), e não "bestializado" (animalizado, inumano, feroz).
Note-se que esse erro de transcrição já existe há algum tempo nos textos sobre o assunto.



11) "Tens que combater três inimigos: a sacristia, o capital e o quartel. O primeiro é a noite, o segundo é a fome e o terceiro é a morte".
Jornal Questão Social-- Santos 1896

"São Paulo é uma cidade morta(...)
Há ordem de atirar sobre quem fique parado nas ruas.
Nos bairros fabris do Brás, Moóca e Barra Funda sucedem-se tiroteios com grupos populares"
Everardo Dias

A relação entre os dois textos com a História Brasileira no início do século XX está:
a) nas idéias e lutas operárias lideradas pelos libertários anarcosindicalistas, que entendiam a greve geral como estratégia na luta por direitos.
b) no modernismo de 1922 e no ideário dos intelectuais que se posicionavam contra o convencional, o preconceito e o conformismo.
c) no tenentismo e sua contestação da ordem oligárquica, evidenciadas nas revoltas da década de XX.
d) no queremismo, que pretendia garantir a continuidade de Vargas no poder.
e) no integralismo, que propunha o Estado totalitário e integral, estruturado nas corporações.
Resposta: A
Resolução: A greve geral constituía uma das formas de mobilização operária utilizadas pelas lideranças anarcossindicalistas. Mas somente o segundo texto se refere a ela, ao descrever a greve geral de São Paulo em 1917. O primeiro texto tem um caráter mais ideológico, ao elencar a Igreja, o empresariado e as Forças Armadas como os inimigos a serem combatidos pelo proletariado.



12) A política industrial da Era Vargas caracterizou-se por promover:
a) internacionalização da economia, com ênfase na produção de bens de consumo.
b) as bases para a expansão industrial, por meio de uma política econômica intervencionista, pragmática e nacionalista.
c) a introdução de capitais estrangeiros e a prática econômica liberal.
d) a redução do papel do Estado no desenvolvimento econômico.
e) a reintegração do país no sistema econômico mundial, por meio da monocultura cafeeira.
Resposta: B
Resolução: A política econômica de Vargas, voltada para a implantação das indústrias de base e a substituição das importações, caracterizou-se pelos elementos citados na alternativa.



13) Foram onze dias em clima de golpe de Estado. O país, dividido entre os legalistas, que apoiavam a posse do vice-presidente, e os golpistas, que desejavam alterar as normas constitucionais para impedir a ascensão de João Goulart. A grave crise foi solucionada por meio:
a) da renúncia do vice-presidente João Goulart.
b) da emenda constitucional que introduziu o parlamentarismo.
c) do confronto militar entre as duas facções.
d) do retorno ao poder do ex-presidente Jânio Quadros.
e) do golpe de Estado liderado pelos militares.
Resposta: B
Resolução: O texto refere-se à crise político-institucional aberta com a renúncia de Jânio Quadros à Presidência da República, pois o vice-presidente João Goulart era vetado pelos setores conservadores e pela cúpula das Forças Armadas. A solução para o impasse foi a introdução do sistema parlamentarista, que satisfez momentaneamente as duas partes: os partidários de Jango (João Goulart), porque ele assumiria a Presidência; e seus adversários, porque os poderes presidenciais seriam reduzidos, já que a chefia do governo caberia a um primeiro-ministro aprovado pelo Congresso Nacional.





14) "Horas mais tarde, Gama e Silva anunciou diante das câmeras de TV o texto do Ato Institucional nº 5. Pela primeira vez, desde 1937, e pela quinta vez na História do Brasil, o Congresso era fechado por tempo indeterminado (...). Restabeleciam-se as demissões sumárias, cassações de mandatos, suspensões de direitos políticos."
Elio Gaspari -- A ditadura envergonhada
Dentre as conseqüências do AI-5 para a sociedade brasileira, é correto afirmar que:
a) os funcionários públicos e os professores universitários não foram atingidos pelo processo de expurgo proposto pelo AI-5.
b) o Ato não reforçou a tese da luta armada, já que o regime mostrava-se capaz de ceder e se reformar, desestimulando assim as organizações clandestinas.
c) houve o retorno, ao país, de intelectuais, cientistas e políticos exilados no período anterior ao Ato.
d) houve a redução do poder da chamada comunidade de informações e órgãos de vigilância e repressão.
e) houve a suspensão do Habeas Corpus aos acusados de crimes contra a segurança nacional, abrindo caminho para prisões arbitrárias e torturas.
Resposta: E
Resolução: O Ato Institucional nº 5, de 13 de dezembro de 1968, concedia ao presidente da República poderes quase absolutos, por tempo indeterminado. A suspensão do direito de habeas corpus para os presos políticos foi um dos instrumentos autoritários permitidos por aquele Ato.
Observação: Luís Antônio da Gama e Silva era o ministro da Justiça do governo Costa e Silva.

Pesquisar em
1128 conteúdos

Notícias

MASP

Passagens por Paris - Arte moderna na capital do séc. XIX

Notícias

Universidades latinas atraem poucos estrangeiros

Instituições têm melhorado sua presença em rankings internacionais, mas continua

Roteiros de Aula

Ninguém tira Zero

Província elimina nota zero para proteger autoestima de alunos

Notícias

França e Alemanha lembram 100 anos da Primeira Guerra

Presidentes Hollande e Gauck homenageiam mortos nas batalhas e destacam importân

COPYRIGHT © HISTÓRIANET INTERNETWORKS LTDA

PRODUZIDO POR

SOBRE O HISTORIANET