HISTORIANET

Vestibulares

PUC - SP 2003

RESOLUÇÃO DO CURSO OBJETIVO DE SAO PAULO


1) Atenas foi dividida por Clístenes, no ano 508 a.C., em distritos (demos). Neles:


a)as decisões eram tomadas pelo conjunto de habitantes, independentemente do fato de serem ou não livres.
b) os cidadãos eram reconhecidos como iguais perante as leis, que derivavam de sua vontade.
c) as guerras eram preparadas por meio de uma rigorosa organização militar, que envolvia todos os moradores.
d) os estrangeiros eram plenamente aceitos e tinham direito a voz e a voto nas assembléias.
e) as divisões sociais eram estabelecidas de forma rígida e os plebeus eram excluídos das tomadas de decisão.

Resolução: A democracia, estabelecida pela primeira vez na História por Clístenes, em Atenas, baseava-se no princípio da igualdade de direitos políticos entre todos os cidadãos. E, sendo uma democracia direta, as leis emanavam dos próprios cidadãos, que as aprovavam em uma assembléia geral (Eclésia) .
Resposta: B



2) As Cruzadas tiveram caráter:

a) exclusivamente religioso, buscando resgatar a Terra Santa das mãos dos árabes e expandir o catolicismo.
b) exclusivamente comercial, buscando novas terras para a agricultura e mercado para os produtos europeus.
c) religioso e comercial, buscando conciliar a ação expansionista religiosa à abertura de novas rotas comerciais.
d) político e religioso, buscando ampliar o poder do Papado e produzir uma fusão entre o catolicismo e o islamismo.
e) político e comercial, buscando expandir o absolutismo monárquico e abrir mercados para produtos do Vaticano.

Resolução: As Cruzadas tinham efetivamente um caráter religioso (retomar a Terra Santa aos muçulmanos e tentar reunificar a Cristandade, recém-dividida entre católicos, romanos e ortodoxos) e comercial (passar para o controle cristão as rotas de produtos orientais então dominadas pelos islâmicos). Não obstante, a alternativa não faz menção ao caráter militar do empreendimento; igualmente não esclarece que as Cruzadas objetivavam também superar a crise do feudalismo europeu, transferindo para o Oriente Próximo os excedentes populacionais da Europa Ocidental.
Resposta: C



3)


(...) Outras coisas que viu, mui numerosas,
Pedem tempo que o verso meu não dura,
Pois lá encontrou, guardadas e copiosas,
Mil coisas de que andamos à procura.

Só de loucura não viu muito ou pouco
Que ela não sai de nosso mundo louco.
Mostrou-se-lhe também o que era seu,
O tempo e as muitas obras que perdia, (...)

Viu mais o que ninguém suplica ao céu,
Pois todos cremos tê-lo em demasia:
Digo o siso, montanha ali mais alta
Que as erguidas do mais que aqui nos falta.

ARIOSTO, Ludovico. Orlando Furioso. São Paulo: Atelier, 2002. p. 261.
O trecho acima, de um livro de 1516, narra parte de uma viagem imaginária à Lua. Lá, o personagem encontra o que não há na Terra e não encontra o que aqui há em excesso. Pode-se identificar o caráter humanista do texto na

a) certeza, de origem cristã, de que a reza ( suplicar ao céu) é a única forma de se obter o que se busca.
b) constatação da pouca razão ( siso) e da grande loucura existente entre os homens.
c) aceitação da limitada capacidade humana de fazer poesia ( o verso meu não dura).
d) percepção do desleixo e da indiferença humanos ( o tempo e as muitas obras que perdia).
e) ambição dos homens em sua busca de bens ( Mil coisas de que andamos à procura).

Resolução
Dois trechos do texto transcrito mostram que, para o autor, o siso (razão), que existe em abundância na Lua, falta na Terra; e que entre os homens abunda a loucura, embora todos pensemos ter siso suficiente para não precisar pedi-lo a Deus. Os trechos referidos são os seguintes: "Só de loucura não viu muito ou pouco Que ela não sai de nosso mundo louco".
"Viu mais o que ninguém suplica ao céu, Pois todos cremos tê-lo em demasia: Digo o siso, montanha ali mais alta Que as erguidas do mais que aqui nos falta."
Resposta: B


4) Entre os eventos que antecederam a independência política do Brasil e propuseram ou criaram condições para a autonomia, podem-se mencionar

a) as iniciativas da Coroa portuguesa no Brasil, no início do século XIX, como a permissão ao comércio internacional sem mediação da Metrópole e a criação de sistema bancário oficial.
b) as revoltas ocorridas na região das Minas Gerais, no decorrer do século XVIII, com características e projetos, em todos os casos, emancipacionistas e propositores de um Estado brasileiro autônomo.
c) as mudanças ocorridas no cenário europeu, entre o final do século XVIII e o início do XIX, com a ascensão de Napoleão ao trono francês e a conquista, por
suas tropas, de toda a Europa Ocidental e de suas possessões coloniais.
d) as ações de grupos de comerciantes da Colônia, desde o início do século XIX, desejosos de ampliar sua independência comercial e de estabelecer vínculos diretos com países do Ocidente europeu e do Extremo Oriente.
e) as vitórias, no século XVIII, das lutas pela independência nas regiões de colonização espanhola, francesa e inglesa das Américas, gerando um conjunto de impérios autônomos, possíveis parceiros comerciais para o Brasil.

Resolução: Durante o Período Joanino (1808-1821), o governo português instalado no Brasil adotou diversas medidas que, mais tarde, favoreceriam a existência do Brasil como país independente. A Abertura dos Portos de 1808 (que quebrou o "exclusivo" metropolitano e praticamente pôs fim ao Pacto Colonial) e a criação do Reino Unido (1815) foram, sem dúvida, as iniciativas mais importantes. Mas a criação do Banco do Brasil (também em 1808) deve ser levada em conta.
Resposta: A



5) As lutas por direitos civis nos Estados Unidos na década de 60 (século XX) tiveram, entre suas características centrais, a:

a) ausência de mulheres e a manutenção do caráter patriarcal da sociedade norte-americana.
b) defesa dos interesses das grandes corporações industriais e o questionamento da legislação trabalhista.
c) união entre os movimentos ambientalista e gay e a escolha do arco-íris como símbolo comum desses dois grupos.
d) proposta de saídas pacíficas para os conflitos internos americanos e a insistência numa política internacional belicosa.
e) mobilização dos negros norte-americanos pela busca da ampliação de seus direitos e pelo fim das leis raciais segregacionistas.

Resolução: Nos anos 60, o movimento negro pelos direitos civis contou com uma corrente principal de cunho pacifista, liderada por Martin Luther King. Mas havia correntes afro-americanas radicais, como os "Muçulmanos Negros" de Malcolm X e os "Panteras Negras" de Stokely Carmichael. Embora o presidente Kennedy tenha apoiado a luta pelos direitos civis, estes somente foram efetivamente concedidos durante o governo de Lyndon Johnson (1963-1969).59
Resposta: E



6) A República criou uma cidadania precária, porque calcada na manutenção da iniqüidade das estruturas sociais - acentuou as distâncias entre as diversas regiões do país, cobrindo-as com a roupagem do federalismo difuso da ‘política dos governadores’, ou dando continuidade à geografia oligárquica do poder que, desde o Império, diluía o formalismo do Estado e das instituições.

SALIBA, Elias Thomé. Raízes do riso: a representação humorística na história brasileira; da Belle Époque aos primeiros tempos do rádio. São Paulo: Companhia das Letras, 2002. p.67.
O fragmento de texto acima refere-se aos primeiros tempos da República no Brasil. É correto afirmar que a implantação da República

a) renovou as instituições políticas, ampliando o poder do Estado e dissolvendo os poderes locais.
b) alterou radicalmente a estrutura social do Império, devido à ascensão da burguesia e declínio da aristocracia.
c) introduziu um modelo federalista, que permitiu maior autonomia local e integração nacional.
d) manteve os desníveis sociais presentes no Império e não ofereceu ampliação significativa dos direitos de cidadania.
e) centralizou agudamente o poder nas mãos dos governadores, diminuindo as atribuições das instituições políticas e do Presidente da República.

Resolução: A Proclamação da República (1889) não representou uma ruptura no processo histórico brasileiro. A preservação da estrutura latifundiária e oligárquica manteve a maioria da população à margem da cidadania - entendida como o pleno exercício dos direitos políticos e sociais. A exclusão política dos analfabetos, bem como a prática do "voto de cabresto" e das eleições fraudadas, garantiram essa situação ao longo de toda a Primeira República (1889-1930).
Resposta: D






7) 1930: Vamos deixar como está para ver como fica. 1945: Vamos deixar como está para ver como eu fico. Máximas e mínimas do Barão de Itararé. Rio de Janeiro: Record, 1987. p.67.
As frases, atribuídas pelo humorista Barão de Itararé a G. Túlio Vargas, são evidentemente uma brincadeira com o nome do Presidente da República e com as diferenças políticas entre 1930 e 1945. As alusões à posição de Vargas em 1930 e em 1945 referem-se, respectivamente, à

a) ausência de uma proposta de reformulação constitucional e à tentativa de manter-se na Presidência num contexto de redemocratizações.
b) aliança com a política café-com-leite e à candidatura presidencial, por via direta, de Vargas.
c) manutenção do modelo econômico de base agro-exportadora e à política industrialista voltada à busca da auto-suficiência nacional.
d) reiteração da proposta federalista da Primeira República e à defesa de um Estado em que o poder estivesse centralizado nas mãos do Presidente.
e) dependência econômica em relação à Inglaterra e aos Estados Unidos e à tentativa de consolidar um Estado Nacional autônomo.

Resolução: Recém-empossado na chefia do Estado em 1930, Vargas suspendeu a Constituição de 1891 e procurou retardar ao máximo a promulgação de uma nova Carta Magna, pois assim gozaria de poderes ditatoriais. Já em 1945, com o Estado Novo em franco declínio, Vargas tentou permanecer no poder por meio do "Movimento Querenista"; acabou, no entanto, sendo derrubado por um golpe militar que levou o País a concluir o processo de redemocratização.
Resposta: A




8) A viagem levou uns vinte minutos. O caminhão parou; via-se um grande portão e, em cima do portão, uma frase bem iluminada (cuja lembrança ainda hoje me atormenta nos sonhos): ARBEIT MACHT FREI - o trabalho liberta. Descemos, fazem-nos entrar numa sala ampla, nua e fracamente aquecida. Que sede! O leve zumbido da água nos canos da calefação nos enlouquece: faz quatro dias que não bebemos nada. Há uma torneira e, acima, um cartaz: proibido beber, água poluída (...). Isto é o inferno. Hoje, em nossos dias, o inferno deve ser assim: uma sala grande e vazia, e nós, cansados, de pé, diante de uma torneira gotejante, mas que não tem água potável, esperando algo certamente terrível acontecer, e nada acontece, e continua não acontecendo nada.

LEVI, Primo. É isto um homem? Rio de Janeiro: Rocco, 1988. p. 20. A descrição acima - de um prisioneiro chegando a Auschwitz - revela angústia e horror. Os campos de concentração nazistas eram

a) lugares de reabilitação de doentes mentais, criminosos comuns e prisioneiros políticos, adversários do Nazismo.
b) instalados apenas na Alemanha e, neles, foram alojados, durante a Segunda Guerra Mundial, judeus, homossexuais e comunistas.
c) lugares de execução sumária e imediata de inimigos nacionais alemães e de pessoas que se recusavam a trabalhar.
d) instalados para acolher os imigrantes que, vindos da Europa Oriental, tentavam penetrar no território do Terceiro Reich sem autorização.
e) lugares onde os considerados indesejáveis eram submetidos a humilhações, trabalhos forçados ou execuções em massa.

Resolução: Alternativa escolhida por exclusão, já que nos "campos de concentração" nazistas havia humilhações dos prisioneiros e trabalhos forçados, mas não "execuções em massa" (os milhares de mortos desses campos pereciam por maus-tratos, doenças e, sobretudo, por desnutrição). Exemplos: Dachau, Buchenwald, Bergen-Belsen. A alternativa descreve, na verdade, os "campos de extermínio", em número de seis e localizados todos na Polônia (o mais tristemente célebre foi Auschwitz).
Resposta: E



9) Após duas décadas de governos militares e da intensa campanha popular pelas diretas em 1984, as eleições presidenciais de 1985 foram:

a) diretas, vencidas por José Sarney, candidato do PDS (Partido Democrático Social), que apoiava o regime militar.
b) diretas, vencidas pelos partidos de esquerda que nasceram após a anistia política de 1979: PT (Partido dos Trabalhadores) e PDT (Partido Democrático Trabalhista).
c) indiretas, vencidas pelo general João Figueiredo, da ARENA (Aliança Renovadora Nacional), que se tornou o último presidente militar do Brasil.
d) indiretas, vencidas pela Aliança Democrática, que reunia o PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro), de oposição, e setores dissidentes do
PDS.
e) diretas, vencidas pelo PFL (Partido da Frente Liberal), que apoiara o regime militar e que, após a redemocratização, passou para a oposição.

Resolução: A eleição presidencial de 1985 foi a última a se realizar pelo processo indireto e também a derradeira do regime militar. Nela, o candidato governista Paulo Maluf, do PDS, foi derrotado pelo oposicionista Tancredo Neves, do PMDB, apoiado pelo PTB, pelo PDT e por uma dissidência do PDS, que se autodenominou "Frente Liberal" e forneceu José Sarney como candidato a vice de Tancredo. O PT absteve-se de votar e os três de seus deputados que o fizeram foram excluídos do partido.
Resposta: D

Pesquisar em
1128 conteúdos

Notícias

MASP

Passagens por Paris - Arte moderna na capital do séc. XIX

Notícias

Universidades latinas atraem poucos estrangeiros

Instituições têm melhorado sua presença em rankings internacionais, mas continua

Roteiros de Aula

Ninguém tira Zero

Província elimina nota zero para proteger autoestima de alunos

Notícias

França e Alemanha lembram 100 anos da Primeira Guerra

Presidentes Hollande e Gauck homenageiam mortos nas batalhas e destacam importân

COPYRIGHT © HISTÓRIANET INTERNETWORKS LTDA

PRODUZIDO POR

SOBRE O HISTORIANET