HISTORIANET

Vestibulares

Universidade Mackenzie - São Paulo

Universidade Mackenzie - São Paulo

Prova 1

Resolução:
Cláudio Recco - HISTORIANET


1) No território da Antiga Grécia existiam dezenas de cidades-Estados, com área e população variáveis, destacando-se Atenas, Tebas, Mégara, Esparta, Corinto, Mileto e Argos. Acerca das cidades-Estados, base da organização política que caracterizou o povo grego, é correto afirmar que:

a) possuíam uma organização econômica solidária.
b) eram politicamente autônomas.
c) mantinham política comum.
d) possuíam princípios religiosos antagônicos.
e) estavam unidas na política de organização do Mediterrâneo.

Resolução:
A principal característica do Mundo Grego na antiguidade era a soberania das cidades-Estado, independentes entre si e não subordinadas a outro poder a não ser o seu.
Resposta: B



2) Chamamos de Cruzadas a uma série de expedições cristãs empreendidas contra os muçulmanos, no Oriente Médio. Elas tiveram início em 1095, quando o papa Urbano II anunciou uma expedição a Jerusalém, contra os muçulmanos, com a finalidade de libertar o Santo Sepulcro - o túmulo de Cristo.
Luiz Koshiba

Relacionam-se com o movimento Cruzadista:
a) a hegemonia muçulmana sobre os territórios europeus, o desenvolvimento das manufaturas nas cidades italianas de Gênova e Veneza e as crises do final da Baixa Idade Média.
b) a reabertura do comércio com o Oriente, o enriquecimento cultural das sociedades mediterrânicas e o renascimento urbano.
c) a vitória de Carlos Martel na batalha de Poitiers, o fortalecimento do império Bizantino e a força militar dos senhores feudais.
d) a reconquista da Península Ibérica, a pouca influência da Igreja católica na Europa central e a unificação do Estado italiano.
e) as epidemias da peste negra, que ocorreram nos séculos XI e XII da era cristã, o estímulo a uma economia não monetária e a reconstrução dos monumentos históricos da Antiguidade Clássica.

Resolução:
As cruzadas foram resposáveis pela "reabertura"do Mediterrâneo, restabelecendo as relações comerciais entre ocidente e oriente, impulsionando o renascimento urbano e os contatos culturais.
Resposta: B




3) Muitos artistas e filósofos do Renascimento escreveram sobre a natureza e o seu valor para a arte, mas nenhum foi tão bom observador como Leonardo da Vinci. A prova, tanto da sua curiosidade insaciável como de seu entendimento profundo da natureza, pode encontrar-se nos seus muitos desenhos e livros de notas.
O Mundo do Renascimento
Dentre as principais características do movimento denominado Renascimento Cultural, encontradas nas obras de Leonardo da Vinci, podemos destacar:

a) o bidimensionalismo estético e a desvalorização do ser humano.
b) o naturalismo e o geocentrismo.
c) o antropocentrismo e o humanismo.
d) o teocentrismo e o uso de conceitos irracionais abstratos.
e) a arte humanista e a ausência da perspectiva linear.

Resolução:
O Renascimento representou a retomada de elementos da cultura greco-romana, como o antropocentrismo, racionalismo e individualismo, contrariando a mentalidade da época, baseada até então nos valores impostos pela Igreja Católica, como o Teocentrismo e o dogmatismo.
Resposta: C



4) Karl Marx (1818-1883) acreditava que a história humana, assim como as operações da natureza, eram governadas por uma lei científica, rejeitadas todas as interpretações religiosas, tanto da natureza como da História. Segundo as suas idéias, a história de todas as sociedades, até nossos dias, tem sido a história da luta de classes.
Assinale a alternativa que NÃO apresenta características das idéias marxistas.

a) A emancipação do proletariado, construída pelo próprio proletariado.
b) A criação de condições, pela própria sociedade capitalista, para a eliminação das classes sociais por meio de revolução liderada pelos operários.
c) A base econômica da sociedade, a infraestrutura, determina a superestrutura que corresponde à organização jurídico-política e à ideologia.
d) As relações estabelecidas entre os proprietários dos meios de produção e os trabalhadores são chamadas de relações sociais de produção.
e) A luta de classe entre o proletariado e a classe operária será o motor da história, uma vez que os seus interesses são irreconciliáveis.

Resolução:
Para Marx, "a história da humanidade é a história da luta de classes"; o autor parte do princípio de que as sociedades são divididas em classes sociais antagônicas, sendo que, no sistema capitalista, essas classes são o proletariado e a burguesia.
Resposta: E



5) No final da segunda metade do século XIX, desencadeou-se um processo que provocou a centralização e a concentração de capitais em torno de grandes empresas. Iniciou-se, aí, nova fase do capitalismo. Assinale a alternativa que corresponde a essa fase do capitalismo.

a) Protecionismo b) Mercantilista c) Concorrencial d) Monopolista e) Comercial

Resolução:
Na segunda metade do século XIX, a Segunda Revolução Industrial e a interferência do capital financeiro na produção deram origem a conglomerados empresariais e a práticas que buscavam controlar determinados setores da produção ou da economia, originando o capitalismo monopolista.
Resposta: D



6) Ainda uma recordação, uma recordação pessoal: você sabe que, em 1937, menos de um ano depois do início da guerra civil na Espanha, a Legião Condor, a legião dos alemães nazistas posta à disposição do general Franco, bombardeou a pequena cidade basca de Guernica, destruindo-a completamente. Pierre Villar
Assinale a alternativa que apresenta a doutrina ideológica comum entre os comandantes da Legião Condor, citada no texto,e o general espanhol Francisco Franco.

a) Comunista b) Fascista c) Socialista d) Anarquista e) Liberal

Resolução:
O próprio texto afirma que a Legião Condor era nazista e que foi colocada por Hitler a disposição do General Francisco Franco, líder fascista durante a Guerra Civil Espanhola (1936-39). Uma das ações mais conhecidas dos alemães na Espanha foi o bombardeio da cidade basca de Guernica.
Resposta: B



7) No século passado, ocorreu a crise de 1929. Assinale a alternativa que apresenta algumas das suas causas.

a) A superprodução de mercadorias e a saturação dos mercados consumidores.
b) O surgimento de ideologias, como o Fascismo e o Nazismo.
c) A diminuição do crédito bancário e o aumento de impostos para as importações.
d) O equilíbrio entre a produção agrícola e o comércio mundial.
e) A quebra da colheita e a demanda ilimitada da indústria automotiva.

Resolução:
A crise de 29 iniciou-se nos EUA, fruto da manutenção do ritmo acelerado de produção, obedecendo à visão liberal da economia, numa época onde os mercados, consumidores interno e externo, estavam em retração.
Resposta: A
.
.
.

8) E se a lição foi aprendida a vitória não será vã. Nesse Brasil holandês tem lugar para português e para o Banco de Amsterdam. Calabar - Chico Buarque e Rui Guerra
Indique a alternativa que justifica o texto relativo às Invasões Holandesas no séc. XVII.

a) Após a vitória holandesa, os senhores de engenho continuaram a resistência, sem jamais aceitar o novo dominador.
b) A administração de Nassau, marcada pela intolerância religiosa, desencadeou a violenta resistência dos colonos.
c) Negros e índios não participaram das lutas contra os invasores holandeses.
d) A Companhia das Índias ofereceu créditos, liberdade religiosa e proteção aos colonos, que aos poucos retornaram aos engenhos e à produção.
e) Os holandeses não conseguiam dominar Pernambuco, nem conseguiam aliados entre os nativos, sofrendo duros revezes.


Resolução:
O governo de Maurício de Nassau, entre 1637 e 1644, caracterizou-se por uma política conciliatória, alongando o prazo para o pagamento de dívidas, concedendo créditos bancários para a aristocracia açucareira das áreas dominadas e também pela tolerância religiosa.
Resposta: D



9) Na qualidade de sertanistas, conhecedores dos perigos e estratégias usados pelos nativos, os bandeirantes paulistas reprimiram quilombos, como Palmares e Rio das Mortes, e atacaram tribos, como Nação Janduim em Pernambuco e Rio Grande do Norte, que ofereceram resistência à expansão portuguesa. Esse tipo de ação dos bandeirantes é denominado:

a) Bandeirismo prospector.
b) Bandeirismo apresador.
c) Bandeirismo de contrato.
d) Bandeirismo de comércio.
e) Bandeirismo militar.
Resolução:
Considera-se que a atividade bandeirante viveu "ciclos" diferentes, sendo que um deles foi caracterizado pela contratação de bandeirantes por fazendeiros e autoridades, para comandarem expedições destinadas a destruir quilombos ou aldeamentos de tribos indígenas hostis.
Resposta: C



10) A nação independente continuaria na dependência de uma estrutura colonial de produção, passando do domínio português à tutela britânica.
Da Monarquia à República - Emília Viotti da Costa
O texto permite concluir que:
Questão 54
a) a Inglaterra teve importante papel na articulação da independência do Brasil, interessada nos amplos mercados que se abririam ao comércio britânico na América Ibérica.
b) após a independência, o país passou por grandes mudanças sociais e econômicas, rompendo com a dependência.
c) os ingleses apoiaram, sem restrições, a política da Santa Aliança, oferecendo ajuda militar para combater a independência das colônias ibéricas.
d) a Inglaterra apoiou nossa emancipação, sem fazer nenhuma exigência de caráter econômico.
e) o liberalismo político e econômico, praticado por nossas elites, mudou radicalmente, após a independência, o quadro sócio-econômico do país.

Resolução:
A Inglaterra industrializada e defensora do liberalismo (do séc. XVIII), colocou-se contra a política expansionista de Napoleão e também contra a política recolonizadora da Santa Aliança, defendendo a independência das colônias ibéricas, como forma de ampliar seus mercados consumidores.
Resposta; A


11) A data de 1868 encerra o período de esplendor da monarquia e abre o de crises que levarão a sua ruína.
História Geral da Civilização Brasileira - Sergio B. de Holanda
Assinale a crise a que se refere o texto acima.

a) A derrota brasileira na Guerra Cisplatina e o endividamento do Império.
b) A queda do gabinete liberal, gerando a dissidência que deu origem ao Partido Republicano.
c) A defesa do centralismo político e o combate às idéias federalistas pela elite cafeeira.
d) A rejeição dos princípios positivistas nas escolas militares, centros de defesa do governo monárquico.
e) A questão da abolição da escravidão, que não produziu mudanças na base política de apoio ao imperador.

Resolução:
Questão especifica envolvendo um conhecimento mais factual, quando da ruptura da política de conciliação adotada até então pelo monarca. Em 1868 formou-se a dissidência no Partido Liberal, que dois anos depois fundaria o Partido Republicano.
Resposta: B



12) A década de vinte iniciou-se marcada por tendências desagregadoras, que ocasionaram sucessivas crises. NÃO são identificadas como dificuldades do período:

a) a Semana de Arte Moderna e a discussão dos artistas sobre a cultura e os problemas da sociedade brasileira na época.
b) os pobres rurais, submetidos ao jugo dos coronéis, organizam movimentos contestatórios, sobretudo no sertão nordestino.
c) os levantes tenentistas, que viam no exército o agente purificador do regime.
d) o movimento operário que, apesar de violentamente reprimido, obteve, liderado pelos anarquistas, conquistas e organizou sindicatos e partidos.
e) a questão social analisada em profundidade pelos governos da época, que a desvincularam dos crimes políticos, resolvendo a relação capital e trabalho.

Resolução:
A década de 1920 caracterizou a crise da república Velha, marcada pela contestação social através do movimento cangaceiro, de greves operárias, comandadas principalmente pelas lideranças anarquistas e inclusive por novas manifestações culturais, como o modernismo. Considera-se que a principal manifestação de crise porém foram as manifestações tenentistas. Por outro lado, a política governamental não demonstrava nenhuma preocupação com a "questão social".
Resposta: E



13) Em 10 de novembro de 1937, Getúlio Vargas, em discurso pelo rádio, afirmava: "A disputa presidencial estava levando o país à desordem. Os comunistas infiltram-se dia a dia nas instituições nacionais. A nação corre perigo de uma luta de classes e os partidos inquietam nosso povo."
As afirmações de Vargas serviram de pretexto para:

a) o Plano Cohen e a implantação do Estado Novo.
b) a eclosão da Revolução Constitucionalista de São Paulo.
c) a Intentona Comunista, liderada por Luís Carlos Prestes.
d) o Queremismo e as pretensões continuístas de Vargas.
e) o golpe militar que depôs Vargas e elegeu o General Dutra.

Resolução:
O teste não tem resposta. O discurso de Vargas serviu de pretexto para a implantação do Estado Novo, porém o chamado Plano Cohen é anterior e, ao contrário, foi ele que serviu de pretexto para a implantação da ditadura varguista.



14) Sobre a política desenvolvimentista de Juscelino Kubitschek, configurada no Plano de Metas, podemos afirmar que:

a) teve índices medíocres de crescimento anuais, inferiores ao restante da América Latina na época.
b) mudou radicalmente a estrutura fundiária do país, realizando ampla reforma agrária.
c) controlou a inflação, apesar de atender às reivindicações salariais do proletariado urbano.
d) reduziu as disparidades regionais, por meio de medidas pontuais sobre a agricultura e educação.
e) apesar do crescimento industrial, deixou à margem setores fundamentais da sociedade, como a agricultura, a saúde e a educação.


Resolução:
A política desenvolvimentista de JK se baseou no Plano de Metas, que tinha como eixo, a rápida industrialização do país, apoiada em capitais privados internacionais e nacionais e na ação do Estado. A saúde e educação foram tratadas de forma secundária e a questão da terra praticamente não sofreu alterações.
Resposta: E
re


15) A política econômica, desenvolvida pela ditadura militar nos anos 70 no Brasil, NÃO teve como resultados:

a) a construção de obras "faraônicas" sem alcance social, favorecendo grupos e interesses privados.
b) a boa distribuição de renda, reduzindo a desigualdade e beneficiando a ascensão das classes trabalhadoras.
c) a modernização da infra-estrutura ligada a portos, estradas e telecomunicações.
d) a internacionalização da economia por meio da entrada maciça de capitais estrangeiros e empresas multinacionais.
e) a preservação da dependência estrutural configurada na crise do petróleo, que demonstrou a vulnerabilidade de nossa economia.

Resolução:
Apesar do propalado "milagre econômico", durante a ditadura o país conheceu um processo de concentração de renda, quando o pobre ficou mais pobre e portanto foi ampliada a desigualdade social
Resposta: B

Pesquisar em
1128 conteúdos

Notícias

MASP

Passagens por Paris - Arte moderna na capital do séc. XIX

Notícias

Universidades latinas atraem poucos estrangeiros

Instituições têm melhorado sua presença em rankings internacionais, mas continua

Roteiros de Aula

Ninguém tira Zero

Província elimina nota zero para proteger autoestima de alunos

Notícias

França e Alemanha lembram 100 anos da Primeira Guerra

Presidentes Hollande e Gauck homenageiam mortos nas batalhas e destacam importân

COPYRIGHT © HISTÓRIANET INTERNETWORKS LTDA

PRODUZIDO POR

SOBRE O HISTORIANET