HISTORIANET

Vestibulares

UFPR - 2002

RESOLUÇÃO E COMENTÁRIO DO CURSO POSITIVO


1) Péricles, que governou Atenas de 461 a 429 a. C., definiu o sistema político de sua cidade da seguinte maneira: "Vivemos sob uma forma de governo que não se baseia nas instituições de nossos vizinhos; ao contrário, servimos de modelo a alguns ao invés de imitar outros. Seu nome, como tudo depende não de poucos mas da maioria, é democracia". Porém, para muitos historiadores modernos, ainda que se considere Atenas como local de origem e paradigma da democracia, ela não foi uma democracia modelo, pois existiam grupos sociais que eram excluídos do processo político. Sobre a sociedade e os sistemas políticos da Grécia antiga, é correto afirmar:

I) Diferentemente da vizinha Atenas, a cidade de Esparta adotava uma forma de governo conhecida como oligarquia ou diarquia.
II) Com Péricles, a democracia ateniense foi ampliada; porém seu governo também foi marcado pelo auge do escravismo.
III) Desejando expandir seu sistema político, Atenas submeteu Esparta e Tebas e deu aos habitantes dessas duas cidades os mesmos direitos conferidos aos atenienses.
IV) Durante o governo de Péricles, os cidadãos atenienses, independentemente da situação econômica de cada um, deveriam participar das assembléias e decisões de governo.
V) No século V a. C., as conquistas militares de Alexandre Magno expandiram o domínio político de Atenas até a Península Itálica.
VI) Ao se dizer que o sistema político ateniense não era uma "democracia modelo", faz-se referência ao fato de que apenas uma parte de seus habitantes eram reconhecidos como cidadãos.

RESPOSTA
1ª)VERDADEIRA
2ª)VERDADEIRA
3ª)FALSA
4ª)VERDADEIRA
5ª)FALSA
6ª)VERDADEIRA
COMENTÁRIO: Com relação a essa questão, os elaboradores poderiam ter aprofundado mais sobre um assunto que mereceu grande dedicação dos vestibulandos, em seus estudos, devido à sua importância.




2) Os humanistas do século XVI dividiam a história em dois períodos: a Antigüidade e o próprio tempo em que viviam, aliás marcado por uma retomada dos valores da Grécia e Roma antigas. No final do século seguinte, foi proposto que a história ocidental passasse a ser dividida em três épocas: Idade Antiga, Idade Média e Idade Moderna. Essa nova divisão, porém, continuou valorizando a Antigüidade Clássica e os tempos modernos, considerando-se a Idade Média como um período marcado pela ignorância e barbárie. Sobre esse longo período da história do mundo ocidental, conhecido como Idade Média, é correto afirmar:

I) A Baixa Idade Média, período que se seguiu à queda do Império Romano do Oriente, foi marcada por um intenso obscurantismo, responsável pelo desaparecimento da cultura intelectual.
II) Durante o reinado de Carlos Magno, o reino dos Francos viveu um notável movimento cultural: foram criadas escolas e realizadas diversas traduções de importantes obras da Antigüidade.
III) As Cruzadas tiveram como conseqüência uma drástica redução da área de influência da religião católica, a qual, ao final do século XV, acabou ficando restrita a regiões da Europa Ocidental.
IV) O Império Bizantino pode ser entendido como uma síntese entre os mundos grego (oriente) e romano (ocidente). Sua queda, em 1453, é utilizada para marcar o início de um novo período histórico: a Época Moderna.
V) Na Idade Média, os árabes foram responsáveis pela introdução de novos cultivos e técnicas agrícolas em algumas regiões da Europa Ocidental, especialmente na Península Ibérica.
VI) Ao final da Baixa Idade Média, as atividades dos mercadores e dos banqueiros favoreceram o estabelecimento de regimes políticos descentralizados, cujas bases eram unidades econômicas autônomas.

RESPOSTA

1ª)FALSA
2ª)VERDADEIRA
3ª)FALSA -- As Cruzadas ocorreram entre os séculos XI e XIII e favoreceram a expansão do catolicismo para o Oriente. Ex.: Reino de Jerusalém e Condados de Edessa e de Trípoli.
4ª)VERDADEIRA
5ª)VERDADEIRA
6ª)FALSA
COMENTÁRIO: Questão elaborada sem o interesse de atingir o vestibulando que se preparou para uma prova de História da UFPR. Dessa forma, a superficialidade da questão nos surpreende.



3) O século XVIII europeu foi marcado por profundas transformações econômicas e políticas. Sobre esse período, é correto afirmar:

I) Em meados do século XVIII, Portugal havia atingido um estágio de desenvolvimento econômico que permitiu seu ingresso na produção industrial, com o conseqüente abandono das atividades agrícolas.
II) Na França, novas teorias econômicas passaram a defender a valorização do trabalho, considerado como a verdadeira fonte de riqueza das nações.
III) Portugal e Espanha, grandes produtores de tecidos de lã, entraram em concorrência com o algodão inglês, colocando no mercado tecidos destinados às regiões colonizadas pelos países europeus.
IV) A Inglaterra dominou os mercados mundiais, em função de sua hegemonia naval e das transformações internas de sua economia em direção ao processo de industrialização.
V) Diversas e diferentes teorias econômicas foram produzidas no século XVIII: para os fisiocratas, por exemplo, a economia deveria seguir as leis da natureza.
VI) No âmbito da política, o despotismo esclarecido propunha uma aliança entre os princípios filosóficos iluministas e o exercício de uma forma de governo extremamente centralizada.

RESPOSTA

1ª)FALSA
2ª)FALSA
3ª)FALSA
4ª)VERDADEIRA -- De fato, a Inglaterra tornou-se uma potência econômica.
5ª)VERDADEIRA -- "Fisiocracia" quer dizer "Governo da natureza".
6ª)VERDADEIRA -- Os "déspotas esclarecidos" procuraram, de acordo com suas con veniências, colocar em prática algumas das idéias iluministas.
COMENTÁRIO: Questão medíocre. Qualquer "resumo" sobre o tema possibilita a resposta.


4) A exploração do ouro e a consolidação da centralização do poder político e da administração em mãos dos reis portugueses foram os processos mais marcantes para o Brasil do século XVIII. Sobre essa conjuntura, é correto afirmar:

I) A descoberta de jazidas de ouro no Brasil foi providencial aos interesses de Portugal, pois liberou a metrópole européia de parte de sua dependência em relação à Inglaterra.
II) Os comerciantes portugueses residentes no Brasil não detinham privilégios de monopólio comercial, visto que o Tratado de Methuen também abriu o mercado brasileiro às companhias holandesas e italianas.
III) A política colonial portuguesa aplicada no século XVIII impediu o crescimento do mercado interno e o processo de urbanização no Brasil.
IV) A partir da segunda metade do século XVIII, a produção aurífera brasileira entrou em declínio, em função do esgotamento das minas.
V) Os negros, principal mão-de-obra da economia do ouro, construíram igrejas e criaram irmandades em que buscavam assistência e visibilidade social.
VI) Com a economia do ouro, a sociedade brasileira tornou-se mais complexa, dando oportunidade ao surgimento de camadas médias da população, formadas por funcionários, profissionais liberais, artesãos e comerciantes.

RESPOSTA

1ª)FALSA
2ª)FALSA
3ª)FALSA
4ª)VERDADEIRA
5ª)VERDADEIRA
6ª)VERDADEIRA
COMENTÁRIO: Tratamento superficial do assunto, como, aliás, em toda a Prova. Considerando que os professores do Departamento de História da Federal têm um ano inteiro para elaborar uma prova condizente com a expectativa de mais de 50 mil estudantes, e resultar nisso, é desanimador!


5) As tendências artísticas do último quartel do século XIX podem ser consideradas as raízes das vanguardas do início do século XX. Todo esse período foi marcado por atitudes que pregavam a negação dos padrões vigentes de representação, que já estavam consagrados pelo gosto burguês. Sobre o contexto artístico-cultural do final do século XIX e do início do século XX, é correto afirmar:

I) As vanguardas artísticas do início do século XX retomaram os postulados do Realismo, tendência marcada pela negação do cotidiano como elemento de inspiração.
II) O Futurismo italiano, inspirando-se em elementos como fábricas, multidões urbanas e máquinas, buscou a construção de uma nova sensibilidade para a apreensão das transformações tecnológicas do início do século XX.
III) A pintura expressionista, que conheceu seu auge nas décadas iniciais do século XX, procurou atingir o público com quadros de grande intensidade dramática, enfocando o drama humano frente aos dilemas trazidos pela industrialização.
IV) Uma das propostas do Cubismo era a redução do corpo humano aos seus elementos geométricos básicos, como demonstra a produção artística de Pablo Picasso, seu grande representante.
V) O Impressionismo, na tentativa de se afastar dos padrões acadêmicos vigentes, buscou destacar o efeito da luz solar sobre os objetos, privilegiando a pintura ao ar livre no lugar da pintura dos ateliês.
VI) Diferentes regimes políticos da Europa, especialmente o nazismo, reconheceram a importância da estética expressionista e adotaram-na como veículo de seus ideais sociais.

RESPOSTA
1ª)FALSA
2ª)VERDADEIRA
3ª)VERDADEIRA
4ª)VERDADEIRA
5ª)VERDADEIRA
6ª)FALSA
COMENTÁRIO: Uma réstia de luz em meio às trevas. Boa questão. Parabéns ao elaborador!


6) Após a Segunda Guerra Mundial, ocorreu o chamado "processo de descolonização", que envolveu uma série de lutas de libertação nacional ocorridas na África e na Ásia. Sobre esse contexto, é correto afirmar:

I) Todas as independências africanas foram feitas em nome do liberalismo econômico; politicamente, seus líderes adotaram o regime democrático norte-americano como modelo.
II) Apesar de alguns episódios violentos, o processo de descolonização das possessões portuguesas ocorreu de forma pacífica, permitindo uma transição que assegurou a estabilidade política dos novos países.
III) Nos processos de descolonização da Ásia, assim como na África, verificou-se a intervenção da União Soviética e dos Estados Unidos, interessados em fazer crescer suas áreas de influência.
IV) Os líderes dos movimentos africanos de independência eram, em sua maioria, intelectuais formados nas universidades das metrópoles européias, preparados para se tornarem administradores coloniais.
V) Embora importantes na definição das nacionalidades, as etnias e credos religiosos não tiveram papel significativo nos processos de independência africanos e asiáticos.
VI) A Índia foi uma das primeiras possessões coloniais a alcançar sua independência, graças ao movimento de desobediência civil encabeçado por Mahatma Gandhi.
VII) As colônias européias na Ásia e África conseguiram suas independências como parte dos acordos de paz da Segunda Guerra; com esses acordos, os líderes aliados reconheceram o direito de autodeterminação dos povos.

RESPOSTA
1ª)FALSA
2ª)FALSA
3ª)VERDADEIRA
4ª)VERDADEIRA
5ª)FALSA
6ª)VERDADEIRA
7ª)FALSA
COMENTÁRIO: A questão perdeu a oportunidade de se aprofundar no panorama político do pós-Segunda Guerra. Apenas resvalou na Guerra Fria (item 3) e foi superficial ao tratar da independência da Península Indostânica (item 6).


7) Na década de 1960, foi realizada uma interessante análise do coronelismo na sociedade rural pernambucana. Seus autores afirmavam: "O coronel torna-se, nos últimos anos e sobretudo depois de 1945, figura de coalisão entre tempos e estruturas sociais. Herda o nome e a força da velha ordem semi-patriarcal e semi-feudal; mas, ao tentar sobreviver ao processo de mudanças que a reverte, como que as incorpora e as promove, prolongando a sua existência nos novos tempos". (VILAÇA, M. V.; ALBUQUERQUE, R. C. de. Coronel, coronéis. 2. ed. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1978. p. 17-21.) Sobre esse fenômeno político -- o coronelismo --, é correto afirmar:

I) O coronel foi uma figura política restrita a umas poucas regiões do Brasil, particularmente àquelas que estavam sendo ocupadas nos anos iniciais do século XX.
II) O início do coronelismo deu-se após o golpe republicano, quando o Marechal Floriano concedeu a patente de coronel do exército a diversos chefes políticos locais que apoiavam as idéias liberais do novo regime.
III) Além do poder econômico, os coronéis exerceram seu domínio sobre as populações rurais com a ajuda de bandos de homens armados, que ficaram conhecidos como jagunços.
IV) No contexto político da Primeira República, os principais beneficiados das ações dos coronéis eram os governadores dos estados, que recebiam apoio para a eleição de seus candidatos.
V) De acordo com a citação acima, o coronelismo não conseguiu sobreviver às mudanças sociais e políticas promovidas durante o Estado Novo.
VI) Na vida política brasileira, o coronelismo é entendido como a manifestação de um poder privado em estruturas políticas locais e regionais, com influência na nomeação de cargos e nos diversos processos eleitorais.

RESPOSTA
1ª)FALSA
2ª)FALSA
3ª)VERDADEIRA
4ª)VERDADEIRA -- Também os governadores, mas não somente. E aí fica a dúvida, em face da falta de clareza do enunciado.
5ª)FALSA -- A frase é de uma ambigüidade ímpar. Que o getulismo impôs duro golpe ao coronelismo é fato; que foi só no Estado Novo, não; que o coronelismo foi atingido é verdade; mas que "não conseguiu sobreviver" é muito. Enfim, pela confusão, que fique como errado e pronto. Até porque o texto-base fala da "sobrevivência" do coronelismo pós-45. Aliás, o texto-base é tão confuso quanto a questão.
6 VERDADEIRA
COMENTÁRIO: Questãozinha. Lamentamos pelo ano de preparo, discussão, proposta de questões relacionando História Geral e Brasil, abrangência, caráter crítico, enfim, aquilo que, às duras penas, tentamos convencer nossos alunos usando a UFPR como referência. Como convencê-los a estudar em 2002 com uma prova dessas como parâmetro?


8) Nas décadas de 1970 e 1980, o cinema norte-americano produziu diversos filmes sobre a participação dos Estados Unidos na Guerra do Vietnã. Muitos deles apoiavam a intervenção americana no conflito; outros, porém, criticavam essa política, manifestando posições antimilitaristas, como, por exemplo, Amargo Regresso (de H. Ashby, 1978), O Franco Atirador (de M. Cimino, 1978), Apocalypse Now (de F. F. Coppola, 1979), Nascido para Matar (de S. Kubrick, 1987) e Nascido em 4 de Julho (de O. Stone, 1989). Sobre a sociedade e a política norte-americanas das décadas de 1960 e 1970, é correto afirmar:

I) Os Estados Unidos enviaram tropas para o Vietnã em 1960, após o Congresso americano declarar formalmente a guerra, atendendo a um pedido da França, país que ainda exercia o domínio colonial da região.
II) Paralelamente ao conflito asiático, os Estados Unidos também intervieram militarmente na República Dominicana, a pretexto de combater a presença comunista nas Américas.
III) Na política interna, os movimentos pacifistas norte-americanos promoveram diversas manifestações com o objetivo de pressionar o governo para que retirasse suas tropas do conflito vietnamita.
IV) Com o Acordo de Genebra, os Estados Unidos reconheceram sua derrota militar no Vietnã, mas mantiveram ações de guerrilha em território norte-vietnamita até o final dos anos 1970.
V) Ao final de sua participação na Guerra do Vietnã, os Estados Unidos haviam sofrido, além de pesadas perdas humanas e econômicas, um desgaste na sua imagem de potência militar capaz de resolver conflitos internacionais.
VI) Devido aos gastos militares e à alta dos preços do petróleo no mercado internacional, o governo e a sociedade norte-americana enfrentaram uma séria crise econômica, na década de 1970.

RESPOSTA

1ª)FALSA
2ª)VERDADEIRA
3ª)VERDADEIRA
4ª)FALSA
5ª)VERDADEIRA
6ª)VERDADEIRA
COMENTÁRIO: Apesar da tentativa dos examinadores em elaborar uma questão sofisticada, com citação de filmes que retrataram a Guerra do Vietnã, a superficialidade foi mantida. Chega a criar uma certa expectativa até o item 2, quando comenta o "Big Stick" contra Juan Bosch (1965). Mas peca, no item 6, quando afirma que a alta do preço do petróleo no mercado internacional foi a motivadora da crise dos EUA nos anos 70. A crise em questão, que já se desenrolava em 1968, surgiu do esgotamento do modelo econômico norte-americano inaugurado em Bretton-Woods (1944).


9) Em 1994, Fernando Henrique Cardoso, então candidato à Presidência da República, afirmava: "O grande desafio histórico que temos que enfrentar e resolver é justamente esse: redefinir um projeto de desenvolvimento que possa abrir para o Brasil a perspectiva de um futuro melhor -- de uma qualidade de vida decente -- para o conjunto da sociedade". (Mãos à obra Brasil. Proposta de Governo. Brasília, 1994. p. 9-11.) Sobre o Brasil da última década do século XX, é correto afirmar:

I) Juntamente com a Argentina, o Brasil tem demonstrado sinais de afastamento comercial e diplomático do Mercado Comum Europeu e dos países asiáticos.
II) Graças às políticas econômicas protecionistas inseridas no Plano Real, não se verificou no Brasil, na década de 1990, a instalação de novas empresas transnacionais.
III) Na agricultura, a produção de grãos destinados à exportação beneficiou-se de um modelo de exploração empresarial baseado na grande propriedade, na utilização de maquinário moderno e na redução da mão-de-obra.
IV) Apesar de um grande número de problemas, o Plano Real conseguiu atingir uma de suas principais metas: manter o crescimento da economia nacional sem a necessidade de recorrer a financiamentos externos.
V) Desde o início do Plano Real, um dos principais problemas enfrentados pela população brasileira é o desemprego, causado, em grande parte, pelo aumento da importação de bens de consumo e pela alta dos juros.
VI) A partir de 1992, o Brasil passou a ser o país que, dentre os integrantes do Mercosul, apresenta a maior renda per capita, em função do baixo índice de concentração de riqueza de sua economia.
VII) Um dos principais programas do governo do presidente Fernando Henrique Cardoso propõe a venda de empresas estatais para a iniciativa privada. As estatais já privatizadas integravam principalmente os setores siderúrgico, telefônico, elétrico e petroquímico.

RESPOSTA
1ª)FALSA
2ª)FALSA
3ª)VERDADEIRA
4ª)FALSA
5ª)VERDADEIRA -- Desde o início do Plano Real? E antes o desemprego não era um problema? Mas que vá...
6ª)FALSA
7ª)VERDADEIRA -- As "estatais já privatizadas integravam os setores siderúrgico..." Não integram mais? O que aconteceu com elas?
COMENTÁRIO: Tudo bem que a História busca compreender os fatos humanos no tempo, em suas diversas relações, compreensões e desdobramentos. Tudo bem que o "ontem" faz parte da História. E também que o Programa de História do Brasil exige a compreensão de um vasto período -- 500 anos -- do ponto de vista econômico, político, social, cultural, etc. E daí a perplexidade com esta questão sobre o "hoje" da História, ainda tão ausente de decantação temporal e distanciamento crítico. Tudo bem que foi uma questão bobinha, sem maiores comprometimentos. Vai selecionar o quê? Vai selecionar por quê? E ficamos todos assim, alunos e professores, com aquele olhar de pasmo diante da falta de critério, rigor e abrangência. Mas tudo bem, né!?



10) Recentemente, Alan Greenspan, o presidente do Federal Reserve (Banco Central dos Estados Unidos), declarou: "Antes dos trágicos eventos de 11 de setembro, as discussões de economia internacional concentravam-se cada vez mais em questões relacionadas à crescente integração de nossas economias. A contenda que vínhamos testemunhando em torno da globalização econômica era a versão do século XXI de debates sobre organização social que remontam pelo menos ao alvorecer da revolução industrial, sendo que muitas das raízes intelectuais desses debates remontam há mais tempo ainda". (O Estado de São Paulo, 28 out. 2001. p. B12.) Com relação ao atual processo de integração e interdependência das economias nacionais, é correto afirmar:

I) A globalização é um processo complexo: além da dinâmica dos mercados, os aspectos culturais também desempenham aí um papel relevante.
II) No início de 2001, o Brasil aderiu à Área de Livre Comércio das Américas (ALCA), atendendo a disposições contidas no acordo assinado com o Fundo Monetário Internacional (FMI).
III) Visando a integração de mercados, o Mercosul prevê a eliminação de tarifas internas de importação e o livre trânsito de trabalhadores e de capitais entre os países signatários do acordo.
IV) A Organização Mundial do Comércio (OMC) foi criada para mediar conflitos e facilitar a realização de acordos entre empresas mundiais, de modo a viabilizar o comércio internacional.
V) A economia globalizada tem gerado a criação de mercados regionais, como é o caso do Mercado Comum do Sul (Mercosul), do Acordo de Livre Comércio da América do Norte (NAFTA) e do Mercado Comum Europeu (MCE).
VI) Para racionalizar a produção e diminuir seus custos de operação, as grandes empresas transnacionais têm concentrado suas instalações industriais nos países mais desenvolvidos.

RESPOSTA

1ª)VERDADEIRA
2ª)FALSA
3ª)VERDADEIRA
4ª)VERDADEIRA
5ª)VERDADEIRA
6ª)FALSA
COMENTÁRIO: De qual "almanaque" foi retirada a questão? "Decoreba" no sentido mais tradicional. O discurso é um; a prática é outra. Quanta mediocridade!

Pesquisar em
1128 conteúdos

Notícias

MASP

Passagens por Paris - Arte moderna na capital do séc. XIX

Notícias

Universidades latinas atraem poucos estrangeiros

Instituições têm melhorado sua presença em rankings internacionais, mas continua

Roteiros de Aula

Ninguém tira Zero

Província elimina nota zero para proteger autoestima de alunos

Notícias

França e Alemanha lembram 100 anos da Primeira Guerra

Presidentes Hollande e Gauck homenageiam mortos nas batalhas e destacam importân

COPYRIGHT © HISTÓRIANET INTERNETWORKS LTDA

PRODUZIDO POR

SOBRE O HISTORIANET