HISTORIANET

Notícias

Machu Pichu pode desaparecer nos Andes

As ruínas incas de Machu Pichu no Peru, poderão ser destruídas a qualquer momento por deslizamentos de terra. O alerta foi feito ontem pela revista científica "New Scientist".
De acordo com geólogos japoneses que tem monitorado o local, o declive na parte posterior do sítio arqueológico está recuando cerca de 1 cm por mês.
"É bastante rápido. Trata-se de um estágio que antecede a um deslizamento ou a um desabamento", afirmou Kyoji Sassa, do Instituto de Pesquisas sobre a Prevenção de Desastres da Universidade de Kyoto. "Não é possível dizer quando ocorreria o deslizamento, mas esse será o próximo foco de nossa pesquisa."
Os japoneses dizem acreditar que o deslocamento de terra e rochas poderia destruir Machu Pichu totalmente.
Os pesquisadores calculam que poderá haver uma movimentação de terra de até 100 m de profundidade estão procurando um meio de preservar as ruínas, que atraem cerca de mil turistas por dia.
Algumas edificações já foram danificadas por desabamentos. Sassa verificou que pequenos deslizamentos e distorções no solo já causaram danos às antigas estruturas incas.
Ele explicou ainda que os deslizamentos são comuns no local.
"Vilarejo de áreas montanhosas são construídos usualmente em áreas de deslizamentos. Somente essas áreas podem oferecer água e solo adequado para cultivo e criações.", disse Sassa.
O sítio arqueológico de Machu Pichu situado a 2.500 metros acima do nível do mar, nos Andes peruanos, foi abandonado no século XVI, na época da conquista espanhola, por razões e em circunstâncias ainda ignoradas.


A foto acima foi extraída da enciclopédia Larousse Cultural


Em 1911, o arqueólogo norte-americano Hiran Binghan "descobriu" o local, tombado em 1983 pela Unesco (Organização das Nações Unidas para Educação Ciência e Cultura).
Não há consenso sobre a finalidade das edificações da área, mas alguns historiadores afirmam que ali existiu um importante centro religioso do império inca.

ALGUMAS INFORMAÇÕES SOBRE MACHU PICHU

1- Machu Pichu fica 2.500 metros acima do nível do mar, localizando-se no interior Sudeste do Peru.
2- Acredita-se que suas construções -existem no sítio cerca de 300 habitações incas e mais de 50 outros tipos de edificações- tenham sido erigidas e habitadas entre os séculos XV e XVI. A área não foi vista pelos colonizadores espanhóis e só foi "descoberta" em 1911, por um arqueólogo da Universidade de Yale (EUA)
3- Ainda se ignora se Machu Pichu foi uma cidade, uma fortaleza ou um palácio. O que levou sua população a deixar o local também é uma incógnita. Escassez de água é uma das hipóteses.
4- As ruínas recebem cerca de mil turistas por dia.

O texto acima foi extraído de agências internacionais e publicado pelo jornal "Folha de São Paulo" em 8 de março de 2001.

Pesquisar em
1128 conteúdos

Notícias

MASP

Passagens por Paris - Arte moderna na capital do séc. XIX

Notícias

Universidades latinas atraem poucos estrangeiros

Instituições têm melhorado sua presença em rankings internacionais, mas continua

Roteiros de Aula

Ninguém tira Zero

Província elimina nota zero para proteger autoestima de alunos

Notícias

França e Alemanha lembram 100 anos da Primeira Guerra

Presidentes Hollande e Gauck homenageiam mortos nas batalhas e destacam importân

COPYRIGHT © HISTÓRIANET INTERNETWORKS LTDA

PRODUZIDO POR

SOBRE O HISTORIANET