HISTORIANET

Vestibulares

Fuvest 2001 - 1ª fase

A Prova da Fuvest 2001 pode ser considerada mais fácil, se comparada aos anos anteriores. As questões trouxeram textos curtos e de fácil compreensão, porém exigiram raciocínio do estudante. Como ocorre nos últimos anos, a História Moderna e Contemporânea foi privilegiada, em detrimento da antiguidade, assim como utilizou-se da "história comparada" envolvendo Brasil e América
Apesar de não Ter apresentado elevado grau de dificuldade, pode-se dizer que a prova teve um conteúdo ideológico marcante, destacando em várias perguntas a "questão da liberdade".

Veja as questões, o gabarito e o comentário

1) "Em verdade é maravilhoso refletir sobre a grandeza que Atenas alcançou no espaço de cem anos depois de se livrar da tirania... Mas acima de tudo é ainda mais maravilhoso observar a grandeza a que Roma chegou depois de se livrar de seus reis."
(Maquiavel, Discursos sobre a primeira década de Tito Lívio).
Nessa afirmação, o autor

a) critica a liberdade política e a participação dos cidadãos no governo.
b) celebra a democracia ateniense e a República romana.
c) condena as aristocracias ateniense e romana.
d) expressa uma concepção populista sobre a antigüidade clássica.
e) defende a pólis grega e o Império romano.

alternativa B
Resolução: o texto destaca o desenvolvimento das duas cidades; Atenas, após a tirania, quando da vitória de Clístenes e a implantação do regime democrático, e Roma após a monarquia, durante o regime repunblicano, período de expansão e conquistas.


2) A economia da Europa ocidental, durante o longo intervalo entre a crise do escravismo, no século III, e a cristalização do feudalismo, no século IX, foi marcada pela:

a) depressão, que atingiu todos os setores, provocando escassez permanente e fomes intermitentes.
b) expansão, que ficou restrita à agricultura, por causa do desaparecimento das cidades e do comércio.
c) estagnação, que só poupou a agricultura graças à existência de um numeroso campesinato livre.
d) prosperidade, que ficou restrita ao comércio e ao artesanato, insuficientes para resolver a crise agrária.
e) continuidade, que preservou os antigos sistemas de produção, impedindo as inovações tecnológicas.

alternativa A
Resolução: O século III marca o início da crise do Império Romano, caracterizada pela crise do escravismo, que é um dos fatores para a desorganização da economia, assim como pela invasão dos bárbaros, acentuando o processo de ruralização e retração das atividades econômicas. Considera-se que o domínio muçulmano sobre o mediterrâneo também tenha contribuído para a crise européia.



3) "...o desejo de dar uma forma e um estilo ao sentimento não é exclusivo da arte e da literatura; desenvolve-se também na própria vida: nas conversas da corte, nos jogos, nos desportos... Se, por conseguinte, a vida pede à literatura os motivos e as formas, a literatura, afinal, não faz mais do que copiar a vida."
(Johan Huizinga, O Declínio da Idade Média).
Na Idade Média essa relação entre literatura e vida foi exercida principalmente pela:

a) vassalagem
b) guilda
c) cavalaria
d) comuna
e) monarquia

alternativa C
Resolução: A literatura medieval caracteriza-se pelo romance ou novelas de cavalaria, refletindo o estilo de vida da nobreza feudal. Vale lembrar que muitos definem a sociedade feudal como estamental, onde "Alguns combatem (a nobreza) outros rezam e outros trabalham"


4) "É praticamente impossível treinar todos os súditos de um [Estado] nas artes da guerra e ao mesmo tempo mantê-los obedientes às leis e aos magistrados."
(Jean Bodin, teórico do absolutismo, em 1578).
Essa afirmação revela que a razão principal de as monarquias européias recorrerem ao recrutamento de mercenários estrangeiros, em grande escala, devia-se à necessidade de:

a) conseguir mais soldados provenientes da burguesia, a classe que apoiava o rei.
b) completar as fileiras dos exércitos com soldados profissionais mais eficientes.
c) desarmar a nobreza e impedir que esta liderasse as demais classes contra o rei.
d) manter desarmados camponeses e trabalhadores urbanos e evitar revoltas.
e) desarmar a burguesia e controlar a luta de classes entre esta e a nobreza.

alternativa D
Resolução: A formação das monarquias nacionais foi acompanhada da formação de exércitos nacionais, eliminando a dependência do rei em relação à nobreza e ao mesmo tempo, evitando a possibilidade de armar setores da população que pudessem fugir ao controle do Estado.


5) Nas Revoluções Francesa (1789), Mexicana (1910), Russa (1917) e Chinesa (1949), há um elemento comum a todas. Trata-se da:

a) presença imperialista.
b) ideologia socialista.
c) ideologia liberal.
d) participação do operariado.
e) participação do campesinato.

alternativa E
Resolução: Questão respondida por exclusão, considerando a participação popular, pois os camponeses tiveram grande destaque no México e China, participação secundária na Revolução Russa e insignificante na Revolução Francesa


6) A incorporação de novas áreas, entre 1820 e 1850, que deu aos Estados Unidos sua atual conformação territorial, estendendo-se do Atlântico ao Pacífico, deveu-se fundamentalmente:


a) a um avanço natural para o oeste, tendo em vista a chegada de um imenso contingente de imigrantes europeus.
b) aos acordos com as lideranças indígenas, Sioux e Apache, tradicionalmente aliadas aos brancos.
c) à vitória na guerra contra o México que, derrotado, foi obrigado a ceder quase a metade de seu território.
d) à compra de territórios da Inglaterra e Rússia que assumiram uma posição pragmática diante do avanço norte-americano para o oeste.
e) à compra de territórios da França e da Espanha que estavam, naquele período, atravessando graves crises econômicas na Europa.

alternativa C
Resolução: Todo o território entre o Texas e a Califórnia foi conquistado pelos EUA a partir da guerra contra o México, quando esse país foi forçado a ceder metade de seu território. Além disso deve-se considerar que, ao mesmo tempo, houve um grande processo de dizimação dos povos indígenas.


7) Gandhi (1869-1948) conseguiu mobilizar milhões de indianos na luta para tornar o país independente da dominação britânica, recorrendo ao:

a) socialismo, à denúncia do sistema de castas e à guerra revolucionária.
b) nacionalismo, à modernização social e à ação coletiva não violenta.
c) tradicionalismo, à defesa das castas e à luta armada.
d) capitalismo, à cooperação com o imperialismo e à negociação.
e) fascismo, à aliança com os paquistaneses e ao fundamentalismo religioso.

alternativa B
Resolução: A luta "nacionalista" foi comandada pela maioria hindu, privilegiando o sentimento anti britânico, rompeu comj o sistema tradicional de divisão social, a parir de um movimento de resistência pacífica, caracterizada pela desobediência civil.


8) Portugal foi o país que mais resistiu ao processo de descolonização na África, sendo Angola, Moçambique e Guiné-Bissau os últimos países daquele continente a se tornarem independentes. Isto se explica:

a) pela ausência de movimentos de libertação nacional naquelas colônias.
b) pelo pacifismo dos líderes Agostinho Neto, Samora Machel e Amílcar Cabral.
c) pela suavidade da dominação lusitana baseada no paternalismo e na benevolência.
d) pelos acordos políticos entre Portugal e África do Sul para manter a dominação.
e) pela intransigência do salazarismo somente eliminada com a Revolução de Abril de 1974.

alternativa E
Resolução: O colonialismo português na África remonta ao século XVI e suas colônias conquistaram a independencia somente na década de 70, em parte devido a derrota do salazarismo. O fato de ser um movimento considerado tardio, comparado com outros na década anterior, também pode ser explicado pelas disputas internas entre facções.



9) "Eles mesmos [os pobres] são a causa de sua pobreza; os meios de encontrar o remédio estão em suas mãos e não nas mãos de nenhuma outra pessoa."
(R. Malthus, Ensaio sobre a população, 1798).
Nas últimas décadas do século XX, concepções muito semelhantes a esta sobre os pobres e a pobreza são propagadas:

a) pelo neoliberalismo.
b) pela social-democracia.
c) pela democracia cristã.
d) pelo neo-populismo.
e) pelo justicialismo.

alternativa A
Resolução: A teoria malthusiana é característica do liberalismo clássico e em parte retomada pelo neoliberalismo que, ao propor o Estado mínino, elimina os projetos sociais e marginaliza a maioria.


10) Nunca, na história contemporânea mundial, como nesta virada de século e de milênio, a propriedade privada dos meios de produção em geral e da terra em particular foi tão forte e os ideais coletivos tão enfraquecidos. Essa situação pode ser atribuída:

a) à vigência cada vez mais ampla dos Direitos Humanos e do multiculturalismo étnico.
b) às exigências da divisão internacional do trabalho e ao avanço da democracia social.
c) à imposição da política econômica keynesiana e à adoção da terceira via ou política do possível.
d) à vitória do capitalismo na guerra fria sobre o chamado socialismo real e à crise das utopias.
e) à força cada vez maior das religiões e das Igrejas, favoráveis, por princípio, ao individualismo.

alternativa D
Resolução: A crise do "socialismo real" abriu maior espaço para o desenvolvimento capitalista e, em especial, para o processo de globalização amparado nos ideais do neoliberalismo. Nesse sentido, a exploração sobre a classe trabalhadora aumenta, enquanto diminuem as conquistas sociais.


11) "Eu, el-rei D. João III, faço saber a vós, Tomé de Sousa, fidalgo da minha casa que ordenei mandar fazer nas terras do Brasil uma fortaleza e povoação grande e forte na Baía de Todos-os-Santos. (...)Tenho por bem enviar-vos por governador das ditas terras do Brasil."
Regimento de Tomé de Sousa, 1549
As determinações do rei de Portugal estavam relacionadas

a) à necessidade de colonizar e povoar o Brasil para compensar a perda das demais colônias agrícolas portuguesas do Oriente e da África.
b) aos planos de defesa militar do império português para garantir as rotas comerciais para a Índia, Indonésia, Timor, Japão e China.
c) a um projeto que abrangia conjuntamente a exploração agrícola, a colonização e a defesa do território.
d) aos projetos administrativos da nobreza palaciana visando à criação de fortes e feitorias para atrair missionários e militares ao Brasil.
e) ao plano de inserir o Brasil no processo de colonização escravista semelhante ao desenvolvido na África e no Oriente.

alternativa C
Resolução: A adoção do Governo Geral, instalado em Salvador em 1549, é visto como uma política centralizadora por parte de Portugal, como forma de garantir a colonização do Brasil, dado o fracasso do sistema de capitanias hereditárias e as ameaças estrangeiras.



12) Gabriel Soares, um oficial português, escreveu em 1587 sobre os índios Guaianá:
"É gente de pouco trabalho(...); se encontram com gente branca, não fazem nenhum dano, antes boa companhia, e quem acerta de ter um escravo guaianá não espera dele nenhum serviço, porque é gente folgazã de natureza e não sabe trabalhar."
O texto expressa:

a) a diferença entre as concepções de trabalho do mundo europeu e das culturas indígenas.
b) o preconceito racial que coibiu formas de miscigenação cultural na colônia.
c) a ineficiência do ensino dos missionários ministrado aos grupos indígenas sem tradição agrícola.
d) o argumento básico para se elaborarem leis, proibindo a escravização indígena na colônia.
e) a forma usual de resistência indígena para evitar a dominação cultural e a escravização.

alternativa A
Resolução: O texto destaca a visão capitalista de trabalho, ou seja, a visão do colonizador, que será imposta aos povos nativos não só do Brasil, mas da América como um todo.


13) O barroco no Brasil foi:

a) uma manifestação artística de caráter religioso limitada às regiões de mineração.
b) uma expressão artística de origem européia reelaborada e adaptada às condições locais.
c) um estilo original na pintura, mantendo a tradição manuelina nas edificações.
d) uma criação artística popular predominante em todo o Brasil colônia e no império.
e) uma produção artística, imposta pelo modelo absolutista português, na época da mineração.

alternativa B
Resolução: o barroco é um estilo que predominou na Europa no século XVII, arte vinculada aos desdobramentos da Contra Reforma e que repercutiu no Brasil no século XVIII, época da mineração, tanto na região das Gerais como em Salvador

14) Os Estados Nacionais que se organizam depois das independências no Brasil e nos países americanos de colonização espanhola, entre as décadas de 1820 e 1880, são semelhantes quanto à:

a) adoção de regimes políticos e diferentes com relação às posições implementadas sobre a escravidão negra.
b) decisão de imediata abolição da escravidão e diferentes com relação à defesa da propriedade comunal indígena.
c) defesa do sufrágio universal e diferentes com relação às práticas do liberalismo econômico.
d) defesa da ampliação do acesso à terra pelos camponeses e diferentes com relação à submissão à Igreja Católica.
e) vontade de participar do comércio internacional e diferentes quanto à adoção de regimes políticos.

alternativa E
Resolução: O processo de independência na América Ibérica tem em comum a defesa do livre comércio, ou seja, a luta contra o monopólio metropolitano. Pode considerar o Brasil como o único país que adotou o regime monárquico após a independência


15) A economia brasileira, durante o período monárquico, caracterizou-se fundamentalmente:

a) pelo princípio da diversificação da produção agrária e pelo incentivo ao setor de serviços.
b) pelo estímulo à imigração italiana e espanhola e pelo fomento à incipiente indústria.
c) pela regionalização econômica e pela revolução no sistema bancário nacional.
d) pela produção destinada ao mercado externo e pela busca de investimentos internacionais.
e) pela convivência das mãos-de-obra escrava e imigrante e pelo controle do "deficit" público.

alternativa D
Resolução: No período monárquico predominou a "herança colonial", ou seja, a mesma estrutura socioeconômica da colônia, baseada no latifúndio agro exportador, ao mesmo tempo em que os investimentos estrangeiros no país, sobretudo ingleses, se multiplicavam, principalmente no setor de transporte e serviços.


16) "Com efeito, a política científica evidencia que a separação entre o poder espiritual e o poder temporal é a condição indispensável de toda Ordem e de todo Progresso na sociedade moderna."
Miguel Lemos, Rio de Janeiro, 1890
As afirmações apresentadas no texto correspondem às idéias

a) evolucionistas
b) positivistas
c) católicas
d) românticas
e) republicanas

alternativa B
Resolução: "Ordem e Progresso" é o lema do positivismo, teoria desenvolvida por Augusto Comte no século XIX, refletindo o avanço da "política científica" a partir da Segunda Revolução Industrial e que teve reflexos na formação militar brasileira.



17) "Visitei todo o comércio,
Fiz muito bom apurado,
E vi que de muito povo
Eu me achava acompanhado.
Alguns pediam esmolas:
Então não me fiz de rogado."

Os versos de Chagas Baptista em homenagem ao cangaceiro Antonio Silvino, o "Governador do Sertão", sugerem que o cangaço

a) possuía um caráter político institucional que ameaçava a estabilidade social e econômica do nordeste.
b) contava com o apoio popular, propondo a reforma agrária e uma nova distribuição de renda.
c) representava a faceta do movimento anarquista, com propostas de socialização da terra nas áreas rurais.
d) era uma forma de banditismo sem ameaças à estabilidade fundiária e, portanto, aceito pelas oligarquias e trabalhadores.
e) tinha apoio popular e representava uma forma de resistência à opressão dos grandes proprietários rurais.

alternativa E
Resolução: O movimento cangaceiro surgiu como uma das formas de oposição à concentração fundiária e ao coronelismo e, nesse sentido, contou na maioria dos casos com a simpatia da população sertaneja.


INSERIR FIGURA

18) A charge da revista ilustra:

a) os conflitos do governo de Getúlio Vargas com as companhias norte-americanas para nacionalizar a extração e produção de petróleo.
b) a pressão de empresas internacionais contra o processo de nacionalização do petróleo brasileiro, intensificado após a 2ª Guerra Mundial.
c) a crise de produção de petróleo, após a 2ª Guerra Mundial, que levou as "sete irmãs" a exigirem a desnacionalização da produção no Brasil.
d) o momento da criação da Petrobrás, com o apoio das companhias de petróleo internacionais, interessadas em explorar o solo brasileiro.
e) as dificuldades de extração de petróleo pela Petrobrás que foi obrigada a recorrer ao capital e a técnicos estrangeiros.

alternativa B
Resolução: A campanha de nacionalização do petróleo iniciou-se logo após a Segunda Guerra Mundial, intensificou-se durante o governo Vargas como parte de sua política nacionalista e populista, e encontrou forte oposição das empresas multinacionais, como destaca a charge.



19) Sobre os últimos 50 anos no Brasil, é possível afirmar que:

a) cresceu a população das cidades, desapareceu a dependência econômica e acentuou-se o preconceito racial.
b) progrediu a tendência ao federalismo, a Igreja Católica perdeu seu poder e foram raras as crises econômicas.
c) aumentou o setor de serviços, houve significativo êxodo rural e a condição da mulher transformou-se.
d) melhorou a pesquisa científica, a economia atingiu patamares de primeiro mundo e a tecnologia alcançou a maioria da população.
e) avançou a reforma agrária, a renda nacional passou a ser melhor distribuída e aumentou o protecionismo à produção nacional.

alternativa C
Resolução: Durante os anos 50 tivemos os governo de Vargas e JK, época de intensificação da industrilaização e de acentuado crescimento urbano, em grande parte concentrado na região sudeste e portanto responsável pelo desequilíbrio regional. Desde então, acentuou-se a presença da mulher no mercado de trabalho, modificando sua posição social, apesar da manutenção do preconceito.


20) Sobre a política indigenista do governo brasileiro no século XX, é possível afirmar que ela:

a) concedeu emancipação jurídica aos indígenas, equiparando-os durante todo o período aos cidadãos brancos.
b) criou vários serviços de proteção ao silvícola, permitindo que fossem dirigidos pelos próprios grupos indígenas.
c) enviou expedições oficiais para contato com grupos indígenas, comandadas por membros da Igreja Católica.
d) preocupou-se com a demarcação de terras indígenas, sem conseguir protegê-las de invasores brancos.
e) copiou a política dos Estados Unidos, já que a situação dos indígenas, nos dois países, tem sido muito semelhante.

alternativa D
Resolução: Desde o início do século, com a criação do SPI (serviço de Proteção ao Índio) o governo pretendeu desenvolver uma política de demarcação das terras indígenas que, porém, foi muito lenta e portanto ineficaz, possibilitando que mineradores, madeireiras e fazendeiros passassem a ocupar grande parte dos territórios indígenas.

Pesquisar em
1128 conteúdos

Notícias

MASP

Passagens por Paris - Arte moderna na capital do séc. XIX

Notícias

Universidades latinas atraem poucos estrangeiros

Instituições têm melhorado sua presença em rankings internacionais, mas continua

Roteiros de Aula

Ninguém tira Zero

Província elimina nota zero para proteger autoestima de alunos

Notícias

França e Alemanha lembram 100 anos da Primeira Guerra

Presidentes Hollande e Gauck homenageiam mortos nas batalhas e destacam importân

COPYRIGHT © HISTÓRIANET INTERNETWORKS LTDA

PRODUZIDO POR

SOBRE O HISTORIANET