HISTORIANET

Vestibulares

Unesp 2012

 
Unesp 2012
Prova de Conhecimentos Gerais da 1ª. fase do vestibular de 2012, realizada em 06/11/11
 
Questão 31
Aedo e adivinho têm em comum um mesmo dom de “vidência”, privilégio que tiveram de pagar pelo preço dos seus olhos. Cegos para a luz, eles veem o invisível. O deus que os inspira mostra-lhes, em uma espécie de revelação, as realidades que escapam ao olhar humano. Sua visão particular age sobre as partes do tempo inacessíveis às criaturas mortais: o que aconteceu outrora, o que ainda não é.
(Jean-Pierre Vernant. Mito e pensamento entre os gregos, 1990. Adaptado.)
O texto refere-se à cultura grega antiga e menciona, entre outros aspectos,
A) o papel exercido pelos poetas, responsáveis pela transmissão oral das tradições, dos mitos e da memória.
B) a prática da feitiçaria, estimulada especialmente nos períodos de seca ou de infertilidade da terra.
C) o caráter monoteísta da sociedade, que impedia a difusão dos cultos aos deuses da tradição clássica.
D) a forma como a história era escrita e lida entre os povos da península balcânica.
E) o esforço de diferenciar as cidades-estados e reforçar o isolamento e a autonomia em que viviam.
Resposta: A
Resolução: O Aedo era o poeta grego da época primitiva, que cantava ou recitava com acompanhamento da lira. Antes da invenção do alfabeto, os antigos gregos acreditavam que as Musas davam aos poetas o dom de desencantar as palavras. Eles não eram videntes, mas inspirados pelas musas
- saiba sobre a música na Grecia Antiga
 
 
Questão 32 (...) o elemento religioso não limitou os seus efeitos ao fortalecimento, no mundo da cavalaria, do espírito de corpo; exerceu também uma ação poderosa sobre a lei moral do grupo. Antes de o futuro cavaleiro receber a sua espada, no altar, era-lhe exigido um juramento, que especificava as suas obrigações.
(Marc Bloch. A sociedade feudal, 1987.)
O texto mostra que os cavaleiros medievais, entre outros aspectos de sua formação e conduta,
A) mantinham-se fieis aos comerciantes das cidades, a quem deviam proteger e defender na vida cotidiana e em caso de guerra.
B) privilegiavam, na sua formação, os aspectos religiosos, em detrimento da preparação e dos exercícios militares.
C) valorizavam os torneios, pois neles mostravam seus talentos e sua força, ganhando prestígio e poder no mundo medieval.
D) agiam apenas de forma individual, realizando constantes disputas e combates entre si.
E) definiam-se como uma ordem particular dentro da rígida estrutura feudal, mas mantinham vínculos profundos com a Igreja.
Resposta: E
Resolução – o texto destaca a importância que a religião adquiriu no ritual e na formação do cavaleiro durante a Idade Média européia. Se a origem da cultura guerreira remonta aos costumes bárbaros, a Igreja soube, ao longo do tempo, ritualizar e dotar os cavaleiros de valores morais condizentes com o cristianismo, como a defesa das donzelas ou mesmo do Papa e da Igreja Católica medieval.
 
Questão 33
Os centros artísticos, na verdade, poderiam ser definidos como lugares caracterizados pela presença de um número razoável de artistas e de grupos significativos de consumidores, que por motivações variadas — glorificação familiar ou individual, desejo de hegemonia ou ânsia de salvação eterna — estão dispostos a investir em obras de arte uma parte das suas riquezas. Este último ponto implica, evidentemente, que o centro seja um lugar ao qual afluem quantidades consideráveis de recursos eventualmente destinados à produção artística.
Além disso, poderá ser dotado de instituições de tutela, formação e promoção de artistas, bem como de distribuição das obras. Por fim, terá um público muito mais vasto que o dos consumidores propriamente ditos: um público não homogêneo, certamente (...).
(Carlo Ginzburg. A micro-história e outros ensaios, 1991.)
Os “centros artísticos” descritos no texto podem ser identificados
A) nos mosteiros medievais, onde se valorizava especialmente a arte sacra.
B) nas cidades modernas, onde floresceu o Renascimento cultural.
C) nos centros urbanos romanos, onde predominava a escultura gótica.
D) nas cidades-estados gregas, onde o estilo dórico era hegemônico.
E) nos castelos senhoriais, onde prevalecia a arquitetura românica.
Resposta: B
Resolução: o texto se refere às cidades européias da época moderna e a prática do mecenato, principalmente nos séculos Xv e XVI, quando do desenvolvimento do renascimento cultural. A prática do mecenato, de origem romana, deu-se por diversas razões, materiais ou religiosas, e significou principalmente o apoio financeiro aos artistas ou a centros de desenvolvimento cultural, sendo um dos mais famosos a Academia de Florença, mantida pela Família Médici.
 
Questão 34
A Revolução Puritana (1640) e a Revolução Gloriosa (1688) transformaram a Inglaterra do século XVII. Sobre o conjunto de suas realizações, pode-se dizer que
A) determinaram o declínio da hegemonia inglesa no comércio marítimo, pois os conflitos internos provocaram forte redução da produção e exportação de manufaturados.
B) resultaram na vitória política dos projetos populares e radicais dos cavadores e dos niveladores, que defendiam o fim da monarquia e dos privilégios dos nobres.
C) envolveram conflitos religiosos que, juntamente com as disputas políticas e sociais, desembocaram na retomada do poder pelos católicos e em perseguições contra protestantes.
D) geraram um Estado monárquico em que o poder real devia se submeter aos limites estabelecidos pela legislação e respeitar as decisões tomadas pelo Parlamento.
E) precederam as revoluções sociais que, nos dois séculos seguintes, abalaram França, Portugal e as colônias na América, provocando a ascensão política do proletariado industrial.
Resposta: D
Resolução: a Revolução Puritana derrubou a dinastia Stuart e implantou uma República Parlamentar, depois ditatorial, sob o comando de Oliver Cromwell, que reprimiu os movimentos populares e impulsionou o comércio inglês a partir do Ato de Navegação (1651).
Com a Revolução Gloriosa, a burguesia inglesa se libertava do Estado absolutista definitivamente, que com seu permanente intervencionismo era uma barreira para um mais amplo acúmulo de capital. O novo rei, Guilherme de Orange se subordinou ao Bill of Rights. Dessa forma a burguesia, aliada a aristocracia rural, passou a exercer diretamente o poder político através do Parlamento
 
Instrução: Leia o texto para responder às questões de números
35 e 36.
Os africanos não escravizavam africanos, nem se reconheciam então como africanos. Eles se viam como membros de uma aldeia, de um conjunto de aldeias, de um reino e de um grupo que falava a mesma língua, tinha os mesmos costumes e adorava os mesmos deuses. (...) Quando um chefe (...) entregava a um navio europeu um grupo de cativos, não estava vendendo africanos nem negros, mas (...) uma gente que, por ser considerada por ele inimiga e bárbara, podia ser escravizada.
(...) O comércio transatlântico (...) fazia parte de um processo de integração econômica do Atlântico, que envolvia a produção e a comercialização, em grande escala, de açúcar, algodão, tabaco, café e outros bens tropicais, um processo no qual a Europa entrava com o capital, as Américas com a terra e a África com o trabalho, isto é, com a mão de obra cativa.
(Alberto da Costa e Silva. A África explicada aos meus filhos, 2008. Adaptado.)
 
Questão 35
Ao caracterizar a escravidão na África e a venda de escravos por africanos para europeus nos séculos XVI a XIX, o texto
A) reconhece que a escravidão era uma instituição presente em todo o planeta e que a diferenciação entre homens livres e homens escravos era definida pelas características raciais dos indivíduos.
B) critica a interferência europeia nas disputas internas do continente africano e demonstra a rejeição do comércio escravagista pelos líderes dos reinos e aldeias então existentes na África.
C) diferencia a escravidão que havia na África da que existia na Europa ou nas colônias americanas, a partir da constatação da heterogeneidade do continente africano e dos povos que lá viviam.
D) afirma que a presença europeia na África e na América provocou profundas mudanças nas relações entre os povos nativos desses continentes e permitiu maior integração e colaboração interna.
E) considera que os únicos responsáveis pela escravização de africanos foram os próprios africanos, que aproveitaram as disputas tribais para obter ganhos financeiros.
Resposta: C
Resolução: o texto procura desmistificar a ideia de que os africanos são os culpados pela escravização de africanos. Esse ideia ainda hoje é utilizada para reforçar a inferioridade dos povos africanos e isentar os europeus de responsabilidade no desenvolvimento do escravismo na América. O texto destaca ainda a organização de um sistema e mostra suas partes constitutivas e seus interesses.
 
Questão 36
Ao caracterizar a “integração econômica do Atlântico”, o texto
A) destaca os diferentes papéis representados por africanos, europeus e americanos na constituição de um novo espaço de produção e circulação de mercadorias.
B) reconhece que europeus, africanos e americanos se beneficiaram igualmente das relações comerciais estabelecidas através do Oceano Atlântico.
C) afirma que a globalização econômica se iniciou com a colonização da América e não contou, na sua origem, com o predomínio claro de qualquer das partes envolvidas.
D) sustenta que a escravidão africana nas colônias européias da América não exerceu papel fundamental na integração do continente americano com a economia que se desenvolveu no Oceano Atlântico.
E) ressalta o fato de a América ter se tornado a principal fornecedora de matérias-primas para a Europa e de que alguns desses produtos eram usados na troca por escravos africanos.
Resposta: A
Resolução: o texto deixa claro o papel de cada um dos elementos constitutivos do processo conhecido como “tráfico negreiro”. Apesar dos papeis diferenciados, os grupos destacados no texto colaboraram para a consolidação de um sistema de trabalho em grande parte da América colonizada, fortalecendo as bases do mercantilismo e da acumulação de capitais.
 
Questão 37
A tabela contém dados extraídos de A formação do capitalismo dependente no Brasil, 1977, de Ladislau Dowbor, que se referem ao preço médio de um escravo (sexo masculino) no Vale do Paraíba.
 
                Ano      -      Preço (mil réis)
               1835     -             375
               1845     -             384
               1855     -            1075
               1865     -             972
               1875     -            1256
 
Indique a alternativa, que pode ser confirmada pelos dados apresentados na tabela.
A) A comercialização interna de escravos permitiu que os preços se mantivessem altos na primeira metade do século XIX.
B) A Lei do Ventre Livre, de 1871, foi a principal responsável pela diminuição no número de escravos e pela redução dos preços.
C) A grande imigração, a partir de 1870, aumentou o uso de mão de obra escrava e provocou redução nos preços.
D) A proibição do tráfico de escravos, em 1850, provocou sensível aumento nos preços, pois limitou drasticamente o ingresso de africanos.
E) A aplicação da tarifa Alves Branco, em 1844, aumentou os impostos de importação, dificultou o tráfico de escravos e provocou elevação nos preços.
Resposta: D
Resolução: a proibição do tráfico negreiro foi determinada pela Lei Eusébio de Queiroz, fruto das pressões inglesas, numa época de expansão da lavoura cafeeira e de manutenção das demais atividades agrárias, em diversas províncias do Brasil. Tal fato inflacionou o preço do escravo no mercado interno e estimulou o tráfico interno, principalmente de províncias do nordeste para as do sudeste. Se consideramos que São Paulo adotou gradualmente o trabalho do imigrante na lavoura, o Rio de Janeiro procurou preservar a escravidão africana
 
Questão 38
O caudilhismo é um fenômeno político hispano-americano do século XIX, que se associa
A) à resistência contra o intervencionismo norte-americano, sobretudo nas áreas do Caribe e América Central.
B) às guerras civis entre unitários e federalistas durante o processo de formação dos Estados nacionais.
C) aos pensadores liberais que lutaram pela emancipação política e econômica do continente.
D) às lideranças militares que atuaram nas guerras de independência e defenderam a unificação do continente.
E) ao temor, manifesto sobretudo na região do Prata, de que o Império brasileiro avançasse militarmente para o sul.
Resposta: B
Resolução: o caudilhismo foi um fenômeno político tipicamente latino americano, principalmente nos países de língua espanhola, após a independência e num primeiro momento refletem a luta pela organização do Estado, com maior o menor centralização política, expressa em maior ou menos autonomia às províncias. A luta pelo poder nas nações recém formadas envolveu grandes proprietários, que comandaram exércitos pessoais formados nas guerras de independência e que buscavam o controle da nação através da força e de laços de fidelidade. A concentração de poderes nas mãos de um líder local representava o reforço do poder pessoal e do papel de sua região na economia do país.
 
Questão 39
Com pouco dinheiro, mas fora do eixo revolucionário do mundo, ignorando o Manifesto Comunista e não querendo ser burguês, passei naturalmente a ser boêmio. (...) Continuei na burguesia, de que mais que aliado, fui índice cretino, sentimental e poético. (...) A valorização do café foi uma operação imperialista. A poesia Pau Brasil também. Isso tinha que ruir com as cornetas da crise. Como ruiu quase toda a literatura brasileira “de vanguarda”, provinciana e suspeita, quando não extremamente esgotada e reacionária.
(Oswald de Andrade. Prefácio a Serafim Ponte Grande, 1933.)
O texto de Oswald de Andrade
A) expõe o anseio do autor de que a literatura e as demais formas artísticas fossem controladas pelo Estado e escapassem, assim, da tutela da classe social hegemônica.
B) revela algumas das principais características do movimento modernista de 1922, como a busca da identidade nacional e a adesão a projetos político-partidários de direita.
C) indica o afastamento gradual dos participantes da Semana de Arte Moderna em relação aos componentes ideológicos de esquerda que caracterizaram o movimento.
D) explicita a preocupação dos setores políticos e sociais dominantes frente à crise econômica provocada pela alta do preço do café e sua tentativa de regulamentar o setor.
E) demonstra a defesa, pelo autor, da politização da produção literária e o abandono de parte dos princípios estéticos que guiaram sua obra na década anterior.
Resposta: E
Resolução: o autor, um dos expoentes do modernismo e criador do grupo de poesia Pau Brasil, faz uma crítica ao período inicial do modernismo e, após as crise, considera necessária sua politização.
 
Questão 40
A Coluna Prestes, que percorreu cerca de 25 mil quilômetros no interior do Brasil entre 1924 e 1927, associa-se
A) ao florianismo, do qual se originou, e ao repúdio às fraudes eleitorais da Primeira República.
B) à tentativa de implantação de um poder popular, expressa na defesa de pressupostos marxistas.
C) ao movimento tenentista, do qual foi oriunda, e à tentativa de derrubar o presidente Artur Bernardes.
D) à crítica ao caráter oligárquico da Primeira República e ao apoio à candidatura presidencial de Getúlio Vargas.
E) ao esforço de implantação de um regime militar e à primeira mobilização política de massas na história brasileira.
Resposta: C
Resolução: A "Grande Marcha" de 1925 a 27 foi o ponto culminante de um movimento militar, denominado de Tenentismo. Esse movimento armado visava derrubar as oligarquias que dominavam o país e, posteriormente, desenvolver um conjunto de reformas institucionais, com o intuito de eliminar os vícios da República Velha.
 
Questão 41
Nas primeiras sequências de O triunfo da vontade [filme alemão de 1935], Hitler chega de avião como um esperado Messias. O bimotor plaina sobre as nuvens que se abrem à medida que ele desce sobre a cidade. A propósito dessa cena, a cineasta escreveria: “O sol desapareceu atrás das nuvens. Mas quando o Führer chega, os raios de sol cortam o céu, o céu hitleriano”.
(Alcir Lenharo. Nazismo, o triunfo da vontade, 1986.)
O texto mostra algumas características centrais do nazismo:
A) o desprezo pelas manifestações de massa e a defesa de princípios religiosos do catolicismo.
B) a glorificação das principais lideranças políticas e a depreciação da natureza.
C) o uso intenso do cinema como propaganda política e o culto da figura do líder.
D) a valorização dos espaços urbanos e o estímulo à migração dos camponeses para as cidades.
E) o apreço pelas conquistas tecnológicas e a identificação do líder como um homem comum.
Resposta: C
Resolução: O Partido Nazista, fundado em 1925, definiu seu programa político, caracterizado pelo anti-semitismo, extremo nacionalismo e críticas ao capitalismo internacional. Mesmo antes de chegar ao poder, utilizou-se da intensiva propaganda como forma de difundir seus ideais. No poder, o controle sobre a produção cultural foi fundamental para a produção de obras que valorizassem a figura do líder, reforçando o culto à personalidade.
 
Questão 42
A situação de harmonia no Congresso entraria em crise nas eleições de 1974, marco importante do avanço pela retomada do Estado de Direito.
(Edgard Leite Ferreira Neto. Os partidos políticos no Brasil, 1988.)
O texto menciona as eleições parlamentares de 1974, ocorridas durante o regime militar. Pode-se dizer que essas eleições
A) representaram uma vitória significativa do partido da situação e eliminaram os esforços reformistas de deputados e senadores.
B) revelaram a ampla hegemonia de que o governo desfrutava nos estados economicamente mais fortes do Sudeste e sua fragilidade no Centro-Norte do país.
C) reforçaram a convicção de que o bipartidarismo era o modelo político-partidário adequado para a consolidação da República brasileira.
D) demonstraram insatisfação de parte expressiva da sociedade brasileira e provocaram forte reação do governo, que alterou as leis eleitorais para assegurar a manutenção do controle sobre o Congresso Nacional.
E) expressaram a popularidade dos candidatos do partido de oposição e o desejo dos oposicionistas de manterem a ordem política então predominante.
Resposta: D
Resolução: Nas eleições de 1974 o único partido de oposição obteve expressiva votação, reflexo da crise econômica que se iniciara no ano anterior e de todo o processo de repressão desenvolvido pelo governo Médici. Sentindo-se ameaçado, o governo Geisel promoveu uma série de alterações para as eleições seguintes, como a imposição da Lei Falcão que limitava a propaganda política nas rádios, a eleição indireta do 1/3 dos senadores (apelidados biônicos), a divisão do estado de Mato Grosso e a União do Estado da Guanabara com o Rio de Janeiro, ampliando o número de deputados e senadores da ARENA.

Pesquisar em
1128 conteúdos

Notícias

MASP

Passagens por Paris - Arte moderna na capital do séc. XIX

Notícias

Universidades latinas atraem poucos estrangeiros

Instituições têm melhorado sua presença em rankings internacionais, mas continua

Roteiros de Aula

Ninguém tira Zero

Província elimina nota zero para proteger autoestima de alunos

Notícias

França e Alemanha lembram 100 anos da Primeira Guerra

Presidentes Hollande e Gauck homenageiam mortos nas batalhas e destacam importân

COPYRIGHT © HISTÓRIANET INTERNETWORKS LTDA

PRODUZIDO POR

SOBRE O HISTORIANET