HISTORIANET

Vestibulares

UNESP 99

O Vestibular da UNESP -- Universidade Estadual Paulista -- enquadra-se nos chamados "grandes vestibulares", ou seja, entre os vestibulares mais concorridos do Estado de São Paulo e do Brasil.

A Universidade Estadual Paulista possui um campus amplo que se espalha por todo estado de São Paulo e oferece, praticamente, todos os cursos nas áreas das Ciências Humanas, Biológicas e Exatas.

O Vestibular da Unesp esta dividido em duas etapas: conhecimentos gerais e conhecimentos específicos

A prova de conhecimentos gerais de História, contou com 12 questões de múltipla escolha -- os famosos testes. Sendo a distribuição a que segue: 5 para História Geral, dividas em 1 para História Antiga, 1 para Medieval, 2 para Moderna e 1 para Contemporânea; 5 para História do Brasil, dividas em 2 para Colônia, 2 para Império e 1 para República; e, finalmente, 2 para América, sendo 1 para Colônia e 1 para América Independente.

De um modo geral, o vestibular da UNESP mostrou-se equilibrado na distribuição da História em seus vários períodos ao destacar 5 questões para a História Geral, 5 para História do Brasil e, seguindo a tendência cada vez mais crescente dos "grandes vestibulares", 2 questões para América.

Notamos que a prova desse ano demonstrou uma especial preocupação com as questões social e cultural. Na parte de História Geral e de História do Brasil, encontramos questões diretamente relacionadas com sociedade e cultura, o que é o caso da questão 2 que questiona os vestibulandos à respeito do significado da arte gótica e a questão 10, a qual deveria ser respondida a partir de uma letra do ilustre compositor Noel Rosa, autor de uma séria critica -- já no início desse século -- contra a dominação cultural norte-americana no país.

Ainda com relação à questão social, as demais questões deram ênfase a esses processos como o caso particular das questões de Brasil, apontando para problemáticas sociais como a imigração italiana e o separatismo da Confederação do Equador.

Nas duas questões de América, o Vestibular deu atenção a uma temática que vem se tornando clássica quando se trata de América: a dominação e o processo dizimador sobre as populações indígenas, durante a fase de Colônia, e a implantação de ditaduras que varreram as democracias latino-americanas em nossa história mais recente.

História Geral também resgatou a temática social ao tratar grandes processos como a democracia em Atenas no Período Clássico, as Revoluções Burguesas e a Descolonização Afro-asiática.

Com exceção às questões 2, 6 e 9, todas as demais utilizaram textos para fundamentá-las e todos dentro de uma linha de contestação e/ou crítica dos processos históricos. Esse fato demonstra a preocupação do vestibular da UNESP em selecionar seus futuros alunos dentro de um grupo com a capacidade de interpretação e análise da realidade, em outras palavras, a UNESP procura através de seu vestibular futuros alunos com o mínimo de capacidade crítica da sociedade.

A prova de conhecimentos específicos manteve sua estrutura clássica, ou seja, duas perguntas (A e B) em cada uma das 10 questões dissertativas, onde novamente prevaleceu o equilíbrio entre história do Brasil -- 5 questões - e história geral -- 4 questões, complementadas com 1 de história da América.

Importante notar que 11 questões apresentaram textos e 1 baseou-se em uma gravura, exigindo portanto um conhecimento visual da história por parte do vestibulando. Os textos são referenciais, a partir dos quais foram cobrados conhecimentos históricos, sendo que as questões formuladas não exigiam simples interpretação

Para o vestibulando que lê e que se mantém atualizado a prova não ofereceu maiores problemas e certamente poderia ser respondida pelos candidatos dentro do perfil solicitado pela UNESP.




VEJA AS QUESTÕES DA PRIMEIRA FASE

"Péricles, governante de Atenas no século V a.C., enaltecendo as glórias da democracia ateniense, declarou: "O poder está nas mãos não da minoria, mas de todo o povo, e todos são iguais perante a lei". (Tucídides, Guerra do Peloponeso.) Na prática da vida política ateniense, a idéia de democracia na época de Péricles, diferentemente da atual, significava que

a) os habitantes da cidade, ricos e pobres, homens e mulheres, podiam participar da vida política.
b) os escravos possuíam direitos políticos porque a escravidão constituída por dívida era temporária.
c) os direitos políticos eram privilégios dos cidadãos e vetados aos metecos, escravos e mulheres.
d) os metecos tinham privilégios políticos por sustentarem o comércio e a economia da cidade.
e) os pobres e os estrangeiros podiam ser eleitos para os cargos do Estado porque recebiam remuneração.


Resposta: C


A partir do século XII, em algumas regiões européias, nas cidades em crescimento, comerciantes, artesãos e bispos aliaram-se para a construção de catedrais com grandes pórticos, vitrais e rosáceas, produzindo uma "poética da luz", abóbadas e torres elevadas que dominavam os demais edifícios urbanos. O estilo da arte da época é denominado

a) renascentista.
b) bizantino.
c) românico.
d) gótico.
e) barroco.

Resposta: D



"A conquista de Ceuta foi o primeiro passo na execução dum vasto plano, a um tempo religioso, político e econômico. A posição de Ceuta facilitava a repressão
da pirataria mourisca nos mares vizinhos; e sua posse, seguida de outras áreas marroquinas, permitiria aos portugueses desafiar os ataques muçulmanos à cristandade da Península Ibérica." (João Lúcio de Azevedo. Época de Portugal econômico: esboços históricos.)

De acordo com o texto, é correto interpretar que

a) a expansão marítima portuguesa teve como objetivo expulsar os muçulmanos da Península Ibérica.
b) a influência do poder econômico marroquino foi decisiva para o desenvolvimento das navegações portuguesas.
c) o domínio dos portugueses sobre Ceuta era pane de um vasto plano para expulsar os muçulmanos do comércio africano e indiano.
d) a expansão marítima ibérica visava cristianizar o mundo muçulmano para dominar as rotas comerciais africanas.
e) o domínio de territórios ao norte da África foi uma etapa fundamental para a expansão comercial e religiosa de Portugal.

Resposta: E



..." desde o começo até hoje a hora presente os espanhóis nunca tiveram o mínimo cuidado em procurar fazer com que a essas gentes fosse pregada a fé de Jesus Cristo, como se os índios fossem cães ou outros animais: e o que é pior ainda é que o proibiram expressamente aos religiosos, causando lhes inumeráveis aflições e perseguições, a fim de que não pregassem, porque acreditavam que isso os impediria de adquirir o ouro e riquezas que a avareza lhes prometia." (Frei Bartolomeu de Las Casas. Brevíssima relação da destruição das Índias, 1552.)

No contexto da colonização espanhola na América, é possível afirmar que:



a) existia concordância entre colonizadores e missionários sobre a legitimidade de sujeitar os povos indígenas pela força;

b) os missionários influenciaram o processo de conquista para salvar os índios da cobiça espanhola.

c) colonizadores, soldados e missionários respeitavam os costumes, o modo de vida e a religião dos povos nativos.

d) os padres condenavam as atitudes dos soldados porque pretendiam ficar com as riquezas das terras descobertas.

e) os missionários condenavam o uso da força e propunham a conversão religiosa dos povos indígenas.

Resposta: E



"E o pior é que a maior parte do ouro que se tira das minas passa em pó e em moedas para os reinos estranhos e a menor é a que fica em Portugal e nas cidades do Brasil, salvo o que se gasta em cordões, arrecadas e outros brincos, dos quais se vêem hoje carregadas as mulatas de mau viver e as negras, muito mais que as senhoras". (André João Antonil. Cultura e opulência do Brasil, 1711.)

No trecho transcrito, o autor denuncia

a) a corrupção dos proprietários de lavras no desvio de ouro em seu próprio benefício e na compra de escravos.
b) a transferência do ouro brasileiro para outros países em decorrência de acordos comerciais internacionais de Portugal.
c) o prejuízo para o desenvolvimento interno da colônia e da metrópole gerado pelo contrabando de ouro brasileiro.
d) o controle do ouro por funcionários reais preocupados em esbanjar dinheiro e dominar o poder local.
e) a ausência de controle fiscal português no Brasil e o desvio de ouro para o exterior pelos escravos e mineradores ingleses.

Resposta: C



A escravidão negra no período colonial brasileiro relaciona-se à

a) eliminação da escravidão indígena.
b) constituição de quilombos como forma de resistência.
c) invasão holandesa no Nordeste.
d) ausência de conflitos no processo emancipatório.
e) expansão da agricultura de subsistência.

Resposta: B



A Declaração de Direitos (Bill of Rights) da Inglaterra de 1689, a Declaração de Independência dos Estados Unidos da América de 1776 e a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão de 1789 da França são documentos que expressam um processo revolucionário abrangente que pode ser caracterizado como

a) declínio da aristocracia feudal, fim do poder monárquico e redemocratização dos Estados.
b) ascensão política da burguesia, queda do poder absolutista e fortalecimento do liberalismo.
c) igualdade de direitos para todos, fim das monarquias e difusão das ideias iluministas.
d) fim dos privilégios da nobreza, organização de repúblicas e difusão do positivismo.
e) ampliação dos direitos da burguesia, estabelecimento de democracias e declínio do liberalismo.

Resposta: C



"Itália bela, mostre-se gentil
e os filhos não a abandonarão,
senão vamos todos para o Brasil,
e não se lembrarão de retornar.
Aqui mesmo ter-se-ia no que trabalhar
Sem ser preciso para a América emigrar.

O século presente já nos deixa,
o mil e novecentos se aproxima.
A fome está estampada em nossa cara
e para cura-la remédio não há.
A todo momento se ouve dizer:
eu vou lá, onde existe a colheita do café."
(Canção ltalia bella, mostrati gentile. Apud Zuleika M. F. Alvim. Brava gente! )

Os versos fazem pane de um contexto no qual

a) os italianos emigravam para o Brasil em decorrência de acordos entre os dois países, envolvendo contratos de trabalhos sazonais para a colheita do café.
b) a imigração italiana foi favorecida pela promulgação da Lei de Terras brasileira de 1850 que fornecia créditos para compra de lotes para produção de café.
c) as condições econômicas da ltália favoreciam a emigração para as regiões cafeeiras em expansão após a abolição da escravidão no Brasil.
d) a industrialização na ltália conduzia o país a uma política internacional de acordos com o Brasil para que os italianos se tornassem cafeicultores.
e) a emigração italiana para o Brasil tendia a crescer devido às propagandas dos grupos pacifistas realizadas durante as guerras de unificação da Itália.

Resposta: C


Assinale a alternativa que indica um movimento separatista ocorrido no período do Império brasileiro que incorporou o ideal republicano.


a) Confederação do Equador.
b) Revolta de Beckman.
c) Inconfidência Mineira.
d) Canudos.
e) Conjuração Baiana.

Resposta: A



Leia os versos da canção e responda.

"O cinema falado
É o grande culpado
Da transformação
Dessa gente que sente
Que um barracão
Prende mais que um xadrez.
(...)
Amor, lá no morro, é amor pra chuchu,
As rimas do samba não são 'I love you'.
E esse negócio de 'alô, alô, boy',
'Alô, Johnny',
Só pode ser conversa de telefone.'
(Noel Rosa. Cinema falado, 1933.)

Os versos do compositor Noel Rosa refletem uma crítica. Eles expressam

a) a ausência das inovações tecnológicas estrangeiras na difusão da cultura popular brasileira.
b) a influência do jazz norte-americano no ritmo e nas letras do samba.
c) a expansão da dominação cultural norte-americana e a desvalorizaçâo da cultura popular nacional.
d) a resistência da arte popular quanto às inovações tecnológicas, especialmente o cinema falado e o rádio.
e) o predomínio da música estrangeira em substituição ao samba autenticamente nacional.

Resposta: C


"Sob esse disfarce, uma enxurrada de propaganda antilibertária emana das principais cidades do Ocidente, dirigida contra a China, Vietnã, Indonésia, Argélia, Gana e todas as nações que desbravam o próprio caminho rumo à independência. O preconceito domina. Por exemplo, onde quer que haja luta armada contra as forças de reação, os nacionalistas são chamados de rebeldes, terroristas ou freqüentemente terroristas comunistas." (Kwame N'Krumah. Neocolonialismo - Último estágio do imperialismo.) A análise do autor, presidente deposto de Gana em 1966, refere-se ao período
a) do Colonialismo Pan-Africano.
b) da Guerra Fria.
c) do imperialismo Asiático.
d) da Grande Depressão.
e) do Neoliberalismo.

Resposta: B





"Um dos fatos mais importantes destes anos da década de 70 foi, sem dúvida, uma tragédia: a insurreição militar que em 11 de setembro de 1973 derrubou o governo democrático de Salvador Allende e mergulhou o Chile num banho de sangue." (Eduardo Galeano. As veias abertas da América Latina.) Este acontecimento relaciona-se

a) aos golpes de Estado promovidos pelos militares em países latino-americanos, com apoio dos Estados Unidos, na defesa de seus privilégios econômicos no continente.
b) ao projeto de integração latino-americana promovido pela OEA, que possuía o direito de intervenção nos países onde o governo favorecesse interferências norte-americanas na economia.
c) à política de militarização dos países da América Latina, que visava promover a integração econômica por intermédio da ALALC e impedir a internacionalização socialista de Cuba.
d) à política de direitos humanos dos Estados Unidos, que auxiliava os setores militares latino-americanos a incrementar a indústria nacional e promover reformas sociais nas áreas mais carentes do continente.
e) às ditaduras militares impostas por intermédio de golpes de Estado em países latino-americanos, que visavam impedir a interferência de potências estrangeiras e nacionalizar a economia.

Resposta: A

Pesquisar em
1128 conteúdos

Notícias

MASP

Passagens por Paris - Arte moderna na capital do séc. XIX

Notícias

Universidades latinas atraem poucos estrangeiros

Instituições têm melhorado sua presença em rankings internacionais, mas continua

Roteiros de Aula

Ninguém tira Zero

Província elimina nota zero para proteger autoestima de alunos

Notícias

França e Alemanha lembram 100 anos da Primeira Guerra

Presidentes Hollande e Gauck homenageiam mortos nas batalhas e destacam importân

COPYRIGHT © HISTÓRIANET INTERNETWORKS LTDA

PRODUZIDO POR

SOBRE O HISTORIANET