HISTORIANET

Notícias

Sigilo eterno

Dilma orienta base no Senado a aprovar fim do sigilo eterno
22de julho de 2011
 
Para presidente, nada há que impeça endosso de projeto de Lei de Acesso à Informação como foi definido pela Câmara
 
BRASÍLIA - A presidente Dilma Rousseff disse na sexta-feira, 22, que a orientação do governo na votação da Lei de Acesso à Informação, que tramita no Senado, é para que a base aliada aceite o fim do sigilo eterno nos documentos ultrassecretos, como decidiu a Câmara.
 
"Não há nada que impeça os 25 por 25 anos, acho que isso é um avanço, um processo de evolução", disse a presidente.
 
Quando ministra-chefe da Casa Civil do governo Lula (2005 a 2010), Dilma defendeu o fim do sigilo eterno. Mudou de posição, já como presidente, e pregou o sigilo eterno, depois de uma pressão capitaneada pelos senadores José Sarney (PMDB-AP) e Fernando Collor (PTB-AL), ambos ex-presidentes da República.
 
Embora também houvesse resistência ao fim do sigilo em setores das Forças Armadas, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, defendeu junto à presidente a posição institucional de que os militares tinham os segredos protegidos. Disse, ainda, que os documentos de arquivo relativos ao passado não impediam a aprovação da proposta da Câmara. O receio maior era do Itamaraty. Depois de algumas reuniões, porém, a diplomacia também apoiou o fim do sigilo eterno.
 
Hoje, só o senador Fernando Collor ainda resiste à proposta da Câmara. Os deputados mudaram o projeto do governo Lula, em favor do sigilo eterno, e decidiram que documentos ultrassecretos devem ficar em segredo durante 25 anos, podendo esse prazo ser renovado por, no máximo, mais 25 anos.
 
Auto de infração. "Qual é a justificativa para ter algum problema se os dois órgãos que são do Estado já têm a sua posição?", perguntou Dilma, na sexta-feira, numa referência aos ministérios da Defesa e das Relações Exteriores.

Pesquisar em
1128 conteúdos

Notícias

MASP

Passagens por Paris - Arte moderna na capital do séc. XIX

Notícias

Universidades latinas atraem poucos estrangeiros

Instituições têm melhorado sua presença em rankings internacionais, mas continua

Roteiros de Aula

Ninguém tira Zero

Província elimina nota zero para proteger autoestima de alunos

Notícias

França e Alemanha lembram 100 anos da Primeira Guerra

Presidentes Hollande e Gauck homenageiam mortos nas batalhas e destacam importân

COPYRIGHT © HISTÓRIANET INTERNETWORKS LTDA

PRODUZIDO POR

SOBRE O HISTORIANET