HISTORIANET

Vestibulares

Unicamp 2009

UNICAMP – 2009

Prova da segunda fase, realizada em 12 de janeiro de 2009

Questão 13
Após a tomada e o saque de Roma pelos visigodos, em 410, pagãos e cristãos interrogaram-se sobre as causas do acontecimento. Para os pagãos, a resposta era clara: foram os maus princípios cristãos, o abandono da religião de Roma, que provocaram o desastre e o declínio que se lhe seguiram. Do lado cristão, a queda de Roma era explicada pela comparação entre os bárbaros virtuosos e os romanos decadentes: dissolutos, preguiçosos, sendo a luxúria a origem de todos os seus pecados.
(Adaptado de Jacques Le Goff, “Decadência”, em História e Memória. Campinas, Ed. da Unicamp, 1990, p. 382-385.)
a) Identifique no texto duas visões opostas sobre a queda de Roma.
b) Entre o surgimento do cristianismo e a queda de Roma, que mudanças ocorreram na relação do Império Romano com a religião cristã?
Resolução
a) as duas visões partem de uma interpretação religiosa para a Queda de Roma. Para os pagãos, a causa foi o abandono dos deuses devido as práticas cristãs; para os cristãos, a causa foi o abando divino aos romanos, pois estes são decadentes e pecadores, destacando a prática da luxúria.
b) Nos primórdios o cristianismo foi proibido e os cristãos perseguidos. Durante o reinado de Constantino foi promulgado o Edito de Milão, que concedeu liberdade aos cristãos e iniciou-se um processo de vinculação entre Estado e Igreja, que atingiu seu apogeu durante o reinado de Teodósio, com o Edito de Tessalônica, instituindo o cristianismo como religião oficial do Estado Romano.


Questão 14
Os motivos que levaram Colombo a empreender a sua viagem evidenciam a complexidade da personagem. A principal força que o moveu nada tinha de moderna: tratava-se de um projeto religioso, dissimulado pelo tema do ouro. O grande motivo de Colombo era defender a religião cristã em todas as partes do mundo. Graças às suas viagens, ele esperava obter fundos para financiar uma nova cruzada.
(Adaptado de Tzvetan Todorov, “Viajantes e Indígenas”, em Eugenio Garin. O Homem Renascentista. Lisboa: Editorial Presença, 1991, p. 233.)
a) Segundo o texto, quais foram os objetivos da viagem de Colombo?
b) O que foram as cruzadas na Idade Média?
Resolução:
a) Segundo o texto, o principal motivo foi religioso, ou seja, obter riqueza em sua viagem que lhe permitisse financiar uma nova cruzada contra os muçulmanos, portanto uma idéia medieval, ou seja, “nada tinha de moderna”.
b) Expedições militares dos cristãos europeus, que pretendiam retomar a Terra Santa, então nas mãos dos muçulmanos, e que envolveu diversos interesses, de reis, mercadores e da própria Igreja Católica Romana.


Questão 15
A base da teologia de Martinho Lutero reside na idéia da completa indignidade do homem, cujas vontades estão sempre escravizadas ao pecado. A vontade de Deus permanece sempre eterna e insondável e o homem jamais pode esperar salvar-se por seus próprios esforços. Para Lutero, alguns homens estão predestinados à salvação e outros à condenação eterna. O essencial de sua doutrina é que a salvação se dá pela fé na justiça, graça e misericórdia divinas.
 (Adaptado de Quentin Skinner, As fundações do pensamento político moderno. São Paulo: Companhia das Letras, 1996, p. 288-290.)
a) Segundo o texto, quais eram as idéias de Lutero sobre a salvação?
b) Quais foram às reações da Igreja Católica à Reforma Protestante?
Resolução:
a) Segundo o texto, Lutero acreditava na predestinação, quer dizer, era a vontade de Deus que definia aqueles que seriam salvos.
b) Em relação à Reforma Luterana, a Igreja Católica recorreu ao imperador e tentou impedir sua expansão pela região alemã. Em geral, a Igreja Católica procuru se reorganizar internamente a partir do Concílio de Trento, adotou práticas de repressão – com a Inquisição e o Índex – e preocupou-se com a expansão de sua doutrina para fora da Europa, a partir da ação dos jesuítas.


Questão 16
A união de Espanha e Portugal, em 1580, trouxe vantagens para ambos os lados. Portugal era tratado pelos monarcas espanhóis não como uma conquista, mas como um outro reino. Os mercados, as frotas e a prata espanhóis revelaram-se atraentes para a nobreza e para os mercadores portugueses. A Espanha beneficiou-se da aquisição de um porto atlântico de grande importância, acesso ao comércio de especiarias da Índia, comércio com as colônias portuguesas na costa da África e contrabando com a colônia do Brasil.
(Adaptado de Stuart B. Schwartz. Da América Portuguesa ao Brasil. Lisboa: Difel, 2003, p. 188-189.)
a) Segundo o texto, quais foram os benefícios da união ibérica para Portugal e para a Espanha?
b) No contexto da União Ibérica, o que foi o sebastianismo?
Resolução:
a) Segundo o texto, Portugal beneficiou-se das riquezas da Espanha, que teriam favorecido mercadores lusitanos, enquanto a Espanha beneficiou-se de um porto no Atlântico, das feitorias africanas e do comércio oriental.
b) Crença religiosa no retorno de D. Sebastião, que lideraria os portugueses na recuperação de sua liberdade frente aos espanhóis.


Questão 17
No quadro das revoltas ocorridas em Minas Gerais na primeira metade do século XVIII – entre 1707 e 1736 –, verificamos, em algumas delas, elementos de marcante originalidade, por contestarem abertamente os direitos do Rei e envolverem participação ativa de segmentos procedentes dos estratos sociais inferiores.
(Adaptado de Luciano Raposo de Almeida Figueiredo, “O Império em apuros: notas para o estudo das relações ultramarinas no Império Português, séculos XVII e XVIII”, em Júnia Furtado (org.). Diálogos oceânicos: Minas Gerais e as novas abordagens para uma história do Império Ultramarino Português. Belo Horizonte: UFMG, 2001, p. 236.)
a) Segundo o texto, quais eram as características originais apresentadas por algumas revoltas ocorridas na primeira metade do século XVIII?
b) Dê duas características da Inconfidência Mineira que a diferenciam das revoltas ocorridas na primeira metade do século XVIII.
Resolução:
a) duas características são consideradas originais, a contestação aos direitos do Rei e a participação de camadas inferiores.
b) As revoltas da primeira metade do século são denominadas nativistas, enquanto que a Inconfidência Mineira foi um movimento emancipacionista, ou seja, lutou pela Independência e foi organizada por setores elitizados.


Questão 18
No ano de 1808, entrou em vigor a proibição do tráfico negreiro, tanto nos Estados Unidos como no Império Britânico. No caso do Império Britânico, a proibição teria maior impacto em escala mundial. Enquanto isto, no Império Português, o porto do Rio de Janeiro continuaria a comprar escravos da zona congo-angolana em quantidade cada vez maior.
(Adaptado de João Paulo Pimenta & Andréa Slemian, A corte e o mundo. Uma história do ano em que a família real portuguesa chegou ao Brasil. São Paulo: Alameda, 2008, p. 82-83.)
a) Segundo o texto, quais as mudanças relativas ao tráfico negreiro ocorridas em 1808?
b) Quais eram os interesses do Império Britânico na proibição do tráfico negreiro na primeira metade do século XIX?
Resolução:
a) Segundo o texto, os Estados Unidos e a Inglaterra aboliram o tráfico de escravos para seus territórios, situação que causou impacto em nível mundial.
b) Destacam-se dois interesses principais, a difusão do trabalho livre na América que formaria um novo mercado consumidor e a manutenção da população africana em suas regiões de origem, áreas atingidas pelo neocolonialismo.


Questão 19
O progresso econômico no Brasil da segunda metade do século XIX acarretou profundo desequilíbrio entre poder econômico e poder político. Na década de 1880, o sistema político concebido a partir de 1822 parecia pouco satisfatório aos setores novos. O Partido Republicano recrutou adeptos nesses grupos sociais insatisfeitos.
(Adaptado de Emília Viotti da Costa, Da monarquia à república: momentos decisivos. São Paulo: Editorial Grijalbo, 1977, p. 15-16.)
a) Dê duas características do sistema político brasileiro concebido em 1822.
b) Quais as transformações ocorridas no Brasil da segunda metade do século XIX que levaram ao desequilíbrio entre poder econômico e poder político?
Resolução:
a) A monarquia e o unitarismo. Na verdade esses modelos foram melhor definidos pela Constituição de 1824, como um modelo autoritário e centralizador, apoiado no Poder Moderador e na subordinação da províncias ao poder central.
b) O Brasil vivenciou um processo de modernização socioeconômica, caracterizado pelo desenvolvimento do trabalho livre e pela urbanização que, apesar de subordinada aos interesses do café, deu origem a novas atividades, novos grupos empresariais e novos interesses políticos.


Questão 20
Nos Estados Unidos da década de 1870, o projeto político sulista de excluir os negros venceu. Os Republicanos Radicais ficaram isolados em sua defesa dos negros e tiveram que enfrentar a oposição violenta do terrorismo branco no sul. A Ku Klux Klan, formada por veteranos do exército confederado, virou uma organização de terroristas, perseguindo os negros e seus aliados com incêndios, surras e linchamentos. A depressão de 1873 apressou o declínio dos Republicanos Radicais, que sentiram a falta do apoio financeiro dos bancos. Para o público, a corrupção tolerada pelos Republicanos Radicais agora parecia um desperdício inaceitável.
(Adaptado de Peter Louis Eisenberg, Guerra Civil Americana. São Paulo: Brasiliense, 1982, p. 102-105.)
a) De acordo com o texto, aponte dois fatores que levaram à vitória do projeto de exclusão dos negros no sul dos Estados Unidos após a Guerra da Secessão.
b) Quais foram as causas da Guerra da Secessão?
Resolução:
a) Segundo o texto, os Republicanos Radicais (nortistas) que defendiam os negros, foram afetados pela crise econômica e pela crise moral, pois o governo instituído após a Guerra Civil foi caracterizado pela corrupção.
b) A Guerra Civil nos Estados Unidos foi determinada pelos antagonismos entre os interesses da elite agrária sulista e da elite industrial nortista. Os sulistas defendiam a manutenção da escravidão e uma política econômica baseada no livre cambismo, enquanto os nortistas eram abolicionistas e protecionistas.


Questão 21
Na busca de um herói para a República, quem atendeu as exigências da mitificação foi Tiradentes. O busto de Tiradentes idealizado em 1890 era a própria imagem de Cristo. A simbologia cristã apareceu em várias outras obras de arte da época. Mas Tiradentes não era apenas um herói republicano, era um herói do jacobinismo, dos setores mais radicais do Partido Republicano. Além do republicanismo, atribuía-se a Tiradentes um caráter plebeu, humilde, popular, em contraste com a elite econômica e cultural, aproximando-o assim do florianismo.
(Adaptado de José Murilo de Carvalho, A formação das almas: imaginário da República no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1998, p. 57-69.)
a) De acordo com o texto, quais os significados associados à imagem de Tiradentes pela propaganda republicana no Brasil?
b) Dê duas características políticas dos primeiros governos da república (Marechal Deodoro e Floriano Peixoto).
Resolução:
a) A imagem de mártir republicano, com caráter messiânico, e de herói popular.
b) Os governos militares do início da Republica foram responsáveis por reorganizar o Estado do ponto de vista institucional, eliminando as características monárquicas. Dessa forma a elaboração de nova Constituição e o combate aos movimentos de oposição, como a Revolta da Armada ou a Revolução Federalista, foram fundamentais.


Questão 22
À meia-noite de 15 de agosto de 1947, quando Nehru anunciava ao mundo uma Índia independente, trens carregados de hindus e muçulmanos, que associavam a religião às causas de uma ou outra comunidade, cruzavam a fronteira entre a Índia e o novo Paquistão, em uma das mais cruéis guerras civis do século XX.
Gandhi, profundamente comovido, começava um novo jejum, tentando a conciliação. Mais tarde, já alcançada a Independência, foram as diferenças entre hindus e muçulmanos que levaram Nehru, primeiro-ministro da Índia, a separar religião e Estado, para que as minorias religiosas, como os muçulmanos, não fossem vitimadas pela maioria hindu.
(Adaptado de Cielo G. Festino, Uma praja ainda imaginada: a representação da Nação em três romances indianos de língua inglesa. São Paulo: Nankin/Edusp, 2007, p.23.)
a) De acordo com o texto, que razões levaram Nehru a separar religião e Estado, após a Independência da Índia?
b) Quais os métodos empregados por Gandhi na luta contra o domínio inglês na Índia?
Resolução:
a) Promover a tolerância religiosa e evitar que os muçulmanos fossem perseguidos na Índia, de maioria Hindu.
b) Na luta pela independência, Gandhi defendeu a desobediência civil com o boicote aos produtos ingleses, a resistência pacífica e o principio da Não-violência.


Questão 23
O ativista negro Steve Biko, um dos críticos do Apartheid, que vigorou oficialmente na África do Sul entre 1948 e 1990, afirmou:
Nós, os negros, temos que prestar muita atenção à nossa história se quisermos tornar-nos conscientes. Temos que reescrever nossa história e mostrar nossa resistência aos invasores brancos. Muita coisa tem que ser revelada e seríamos ingênuos se esperássemos que nossos conquistadores escrevessem uma história imparcial sobre nós.
Temos que destruir o mito de que a nossa história começa com a chegada dos holandeses.
(Adaptado de Steve Biko, I write what I like: a selection of his writings. Johannesburg: Picador Africa, 2004, p. 105 106.)
a) Segundo o texto, por que os negros necessitariam reescrever a história da colonização sul-africana?
b) O que foi o regime denominado Apartheid na África do Sul?
Resolução:
a) Porque a história conhecida é a história da colonização, ou seja, a história contada pelo colonizador e, portanto, é necessário contar a história anterior a chegada do europeu, assim como destacar a resistência e a luta dos povos africanos contra a dominação.
b) Regime de segregação racial, imposto oficialmente no país pela minoria dirigente branca, que separava os indivíduos pela cor da pele, discriminando os negros do ponto de vista político, econômico e social.


Questão 24
Em 1980, num show comemorativo ao Primeiro de Maio, o cantor Chico Buarque apresentou uma canção intitulada “Linha de Montagem”, que fazia referência às recentes greves do ABC:
As cabeças levantadas,
Máquinas paradas,
Dia de pescar,
Pois quem toca o trem pra frente
Também, de repente,
Pode o trem parar.
(http://www.chicobuarque.com.br/letras/linhade_80.htm)
a) Qual foi a importância das greves do ABC nos últimos anos do regime militar brasileiro, que vigorou de 1964 a 1985?
b) Aponte duas mudanças políticas que caracterizaram o processo de abertura do regime militar.
 


Resolução:


a) as greves questionavam a política econômica do governo e ao mesmo tempo o processo de abertura, limitado. Pode-se considerar como importante o fato das greves terem dado origem a um novo sindicalismo no país e criado as bases para o surgimento do Partido dos Trabalhadores, com um discurso de “esquerda”.
b) A “abertura política” executada pelos militares durante o governo Figueiredo promoveu a Lei de Anistia e garantiu a liberdade individual e de imprensa, além de restabelecer o pluripartidarismo.
 

Pesquisar em
1128 conteúdos

Notícias

MASP

Passagens por Paris - Arte moderna na capital do séc. XIX

Notícias

Universidades latinas atraem poucos estrangeiros

Instituições têm melhorado sua presença em rankings internacionais, mas continua

Roteiros de Aula

Ninguém tira Zero

Província elimina nota zero para proteger autoestima de alunos

Notícias

França e Alemanha lembram 100 anos da Primeira Guerra

Presidentes Hollande e Gauck homenageiam mortos nas batalhas e destacam importân

COPYRIGHT © HISTÓRIANET INTERNETWORKS LTDA

PRODUZIDO POR

SOBRE O HISTORIANET