HISTORIANET

Vestibulares

FGV 2009

FGV | REDAÇÃO | GRADUAÇÃO | 07/12/2008 |

A banca aceitará qualquer posicionamento ideológico. No caso específico dos textos,
portanto, o candidato pode concordar com os autores ou discordar deles.

- Evite fazer rascunho, para ganhar tempo.
- A redação pode ser escrita a lápis.
- Escreva com letra bem legível.
- Não ultrapasse o número disponível de linhas.

Para avaliar a redação, serão considerados, principalmente:
• O conhecimento de fatos necessários ao desenvolvimento do texto; por exemplo, de
História, de Geografia e da realidade atual.
• A correta expressão em língua portuguesa.
• A clareza, a concisão, a coesão e a coerência.
• A capacidade de argumentar.

TEXTO 1
“As empresas não são cidadãs. São pilhas de contratos. O objetivo das empresas é participar do jogo econômico com o máximo de agressividade e eficácia. É fácil compreender por que as grandes empresas abraçaram a causa da responsabilidade social com tanto interesse, pois as iniciativas nessa área não só projetam boa imagem perante a imprensa, mas também tranqüilizam o público. As declarações de compromisso da empresa com as virtudes sociais também podem impedir ou retardar a intervenção do governo em área de interesse público (...). O compromisso reconfortante com a responsabilidade social pode desviar a atenção do público da necessidade de leis ou de regulamentos mais rigorosos ou convencer o público de que, na verdade, não há problema.”
Robert B. Reich. Supercapitalismo. São Paulo: Campus, 2008.

TEXTO 2
Em janeiro de 1999, o ex-Secretário-Geral das Nações Unidas (ONU), Kofi Annan, apresentou o Pacto Global (Global Compact), durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos, que ficou conhecido como uma iniciativa para promover a responsabilidade social das empresas, já que seu objetivo era mobilizar a comunidade empresarial para a adoção de valores fundamentais nas áreas de direitos humanos, trabalho, meio ambiente e desenvolvimento.
Em julho de 2007, o atual Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, em seu discurso na Conferência do Pacto Global — maior encontro de lideranças empresariais promovido pela Organização das Nações Unidas (ONU) —, realizada em Genebra, na Suíça, reforçou esse pacto declarando:
”O pacto global é hoje a maior iniciativa de cidadania corporativa do mundo. Cada vez mais as corporações estão abraçando o pacto global não porque isso é bom para as suas relações públicas ou porque elas devam pagar um preço pelos seus erros. Elas estão fazendo isso porque, no nosso mundo interdependente, os líderes de negócios não podem ser sustentáveis sem mostrar liderança em questões ambientais e sociais (...). Vivemos um tempo no qual os objetivos e prioridades da comunidade internacional e do mundo dos negócios estão mais alinhados do que nunca, ambos acreditando na solução coletiva, compartilhando objetivos e entendendo que, em nosso mundo globalizado, muitos desafios estão interligados e são muito complexos para serem enfrentados por um único setor ”.
Adaptado de Centro de Notícias das Nações Unidas – (United Nations News Centre)
http://www.un.org/apps/news/infocus/sgspeeches/search_full.asp?statID=97. Acesso em 24/10/2008.

Com base nos dois fragmentos, elabore um texto dissertativo que, entre outros aspectos,
contemple os seguintes:
• o seu entendimento sobre o que é a responsabilidade social;
• o seu entendimento sobre qual deveria ser o papel das empresas e qual deveria ser o papel
do governo quanto à responsabilidade social.

Vestibular de dezembro de 2008

Questões de História e Atualidades

46) Leia atentamente o poema O Infante, do poeta português Fernando Pessoa.

Deus quer, o homem sonha, a obra nasce.
Deus quis que a terra fosse toda uma,
Que o mar unisse, já não separasse,
Sagrou-te e foste desvendando a espuma.
E a orla branca foi, de ilha em continente,
Clareou, correndo, até ao fim do mundo,
E viu-se a terra inteira, de repente,
Surgir, redonda, do azul profundo.
Quem te sagrou, criou-te português,
Do mar por nós em ti nos deu sinal.
Cumpriu-se o Mar, e o Império se desfez.
Senhor, falta cumprir-se Portugal!

O poema permite pensar sobre dois relevantes acontecimentos históricos, que são, respectivamente:
a) a formação do Condado Portucalense, em 1142 e a União Ibérica (1580-1640), período de extinção do império português.
b) a invasão de Portugal por tropas napoleônicas em 1808, comandadas pelo general Junot, e a vinda da família real portuguesa para a América, no mesmo ano.
c) a descoberta do Brasil em 1500 e a perda de territórios no Nordeste e na África com a invasão holandesa no século XVII.
d) o protagonismo marítimo lusitano nos séculos XV e XVI e a redução do seu império colonial no século XIX.
e) a elaboração da idéia do Quinto Império Bíblico, relacionado ao destino de Portugal e, depois, o fortalecimento dos partidos socialistas que tomaram o poder em 1910.
Resposta: D
Comentário: Uma questão de interpretação de texto sobre a história de Portugal, porém em dois momentos diferentes. Para a resposta é necessário conhecimento da história de Portugal, no entanto, uma leitura atenta do texto, facilita muito a resolução.

47) Uma antiga profecia maia, datada do século XIII, afirmava: “a terra queimará e haverá grandes círculos brancos no céu. A amargura surgirá e a abundância desaparecerá. A época mergulhará em graves trabalhos. De qualquer modo, isso será visto. Será o tempo da dor, das lágrimas e da miséria. É o que está por vir”.
Frei Bartolomeu de Las Casas, teólogo e missionário dominicano espanhol (século XVI), retomou essa curiosa profecia para retratar um episódio marcante para a história da América e do próprio Ocidente. Trata-se:
a) da conquista da América pelos espanhóis, que resultou num desastre demográfico das populações americanas e na imposição de formas compulsórias de trabalho, como a mita e a encomienda.
b) da fundação da cidade-estado de Tenochtitlán, no Vale do México (1235 d.C.), e do imperialismo mexica (asteca), que subjugou as demais cidades-estado da região.
c) da disputa interna, no Império Inca, entre Atahualpa e Huascar pela soberania em Cuzco, que gerou destruição, miséria e retração da economia agrícola.
d) das guerras de independência que as colônias da América Espanhola precisaram travar contra sua Metrópole, no primeiro quartel do século XIX.
e) do genocídio das populações de iroqueses e outras etnias pelos colonos ingleses na América do Norte, o que explica a predominância de população de origem européia, até recentemente, nos Estados Unidos da América.
Resposta: A
Comentário: a resolução do exercício exige conhecimento, interpretação, mas principalmente, segurança do aluno. Isso por que é de conhecimento de grande parte dos alunos que os Maias desapareceram antes da chegada dos espanhóis; assim como o texto não trata exatamente das formas de exploração do trabalho indígena – elementos que aparecem na resposta correta.

48) Uma das conferências que selaram o fim da II Guerra Mundial (1939-1945), a Conferência de São Francisco, originou a Carta de São Francisco (26 de junho de 1945), que estabeleceu a Organização das Nações Unidas (ONU). Seu artigo 23 estabelece os Estados Unidos da América, a União Soviética (URSS), a França, a Grã-Bretanha e a China como membros permanentes do Conselho de Segurança, órgão responsável pela “manutenção da paz e segurança internacionais”, podendo declarar ou vetar guerras em nome de todos os membros. A escolha desses países deve-se:

a) à preocupação de repartir o poder numa nova ordem internacional, para que não houvesse qualquer nova potência hegemônica.
b) ao reconhecimento jurídico da contribuição da China, aliada ao Japão do imperador Hiroito, para a derrota da Alemanha nazista.
c) à nova correlação internacional de forças que, em 1945, já prenunciava a polarização entre estadunidenses e soviéticos, além de conceder poder decisório aos países que haviam enfrentado as potências do Eixo.
d) à recusa de Alemanha, Japão e Itália ao convite para integrar o Conselho de Segurança devido ao ressentimento popular com respeito aos países aliados.
e) à preocupação de proteger os países em desenvolvimento de agressões imperialistas e dificultar o surgimento de regimes totalitários.
Resposta: C
Comentário: Questão de conhecimento histórico.
Ao final da Segunda Guerra Mundial foi formada a ONU e um dos organismos internos mais importantes é o Conselho de Segurança, formado por 15 países, sendo 5 considerados membros permanentes.

49) “[A Década Perdida] pode ser a década de 1980, mas pode ser também uma década
‘expandida’, começando em 1982, com a moratória mexicana, e terminando em 1994 com o Plano Real. Ou começando mesmo antes, em 1979, quando teve início, com o catastrófico episódio da pré-fixação da correção monetária, toda uma série de feitiçarias cuja expressão mais madura seriam os choques heterodoxos, dos quais o Cruzado e o Collor seriam os mais assustadores. A Década Perdida parece, portanto, uma década longa, até porque foi sofrida no campo econômico e pontilhada de frustrações no plano político.” (FRANCO, Gustavo. A década perdida e a das reformas. Jornal do Brasil, 30/01/2000)
O sofrimento no campo econômico e as frustrações no plano político a que o autor se refere são:
a) os altos índices de inflação que o país apresentava na época, o desemprego e a crise social, aliados ao fortalecimento da ditadura militar no governo João Figueiredo.
b) a sucessão de planos econômicos que fracassaram no combate ao processo inflacionário, o alto índice de desemprego no período e a decepção provocada pela eleição direta de Tancredo Neves.
c) a escalada inflacionária e a recessão, gerando desemprego e crise social, o que levou o governo a adotar medidas repressivas para controlar a escalada de violência, como o fechamento do Congresso e a imposição do Pacote de Abril.
d) a estagnação da economia do país, o desemprego e os altos índices inflacionários, no campo econômico, e, no plano político, as sucessivas vitórias da ARENA e do PDS nas eleições legislativas e executivas no início da década.
e) o descontrole inflacionário, os altos índices de desemprego, o fracasso de sucessivos planos econômicos e, no plano político, a derrota da emenda das Diretas Já e a morte de Tancredo, entre outros fatos.
Resposta: E
Comentário: Questão que envolve conhecimento histórico (no aspecto político) e interpretação de texto (no aspecto econômico), uma vez que o enunciado orienta o aluno para aspectos de crise e descontrole na economia.

50) Leia os trechos abaixo.
A – “Nunca me anuviou o espírito o fantasma da restauração monárquica. A atitude dos adeptos do regime decaído (...) deixou-me desde a primeira hora a convicção de que a República não tinha adversários, que devessem ser temidos. Consolidar as novas instituições não era, portanto, atacar e destruir inimigos, (...), mas completar a organização de aparelhos democráticos e normalizar as suas funções.”
(CAMPOS SALES, Manuel Ferraz de. Da Propaganda à Presidência. Brasília: Ed. da UNB, p.69)

B – “(...) a institucionalização da República não poderia comportar a existência de um parlamento com substância liberal, formado a partir de escolhas individuais dos cidadãos e segmentado segundo clivagens político-partidárias. (...) A estabilidade deve derivar de um arranjo entre o governo nacional e os chefes estaduais, tentando definir o que deveria ser chamado de parte não constitucional do pacto político.”
(LESSA, Renato. A Invenção Republicana: Campos Sales, as bases e a decadência da Primeira República Brasileira.
Rio de Janeiro: IUPERJ; São Paulo: Vértice, 1988, p. 100)
De acordo com a leitura dos textos, podemos concluir que:

a) Campos Sales temia a restauração monárquica e, tentando evitá-la, concebeu a política dos governadores, mecanismo explicado pelo texto B, de Renato Lessa.
b) para Renato Lessa, a estabilidade da República dependia de um acordo entre o governo federal e os chefes estaduais, o que foi articulado por Campos Sales, que, em seu texto, defende a necessidade de se consolidar a obra republicana, não por medo de ameaças monárquicas, mas por necessidade do próprio regime.
c) o texto A afirma que, apesar da não existência de uma ameaça de restauração monárquica iminente, a República deveria se proteger dessa eventual ameaça, estabelecendo medidas restritivas no campo político, tema discutido pelo texto B.
d) o texto B defende a idéia de que a consolidação do novo regime republicano seria feita pela adoção de fórmulas democráticas e liberais. No texto A, Campos Sales anuncia as medidas necessárias para instituir o Estado liberal e democrático no país.
e) os dois textos abordam a necessidade de se institucionalizar o regime republicano no Brasil, mas elaboram diagnósticos diferentes: enquanto Campos Sales afirma que não havia risco de restauração monárquica no Brasil, para Renato Lessa, o risco da restauração era real.
Resposta: B
Comentário: Questão clássica de interpretação de texto, com maior grau de dificuldade. Não há dúvida que o conhecimento histórico contribuiu para a resolução, mas não é decisivo, uma vez que o primeiro texto é de campos Salles e o segundo trata do governo de campos Salles.



56) O STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu por unanimidade, em agosto de 2008, proibir a prática do nepotismo na administração direta e indireta, em qualquer dos poderes – Executivo, Legislativo e Judiciário -, no âmbito da União, estados, Distrito Federal e municípios. Para isso, o STF editou uma “súmula vinculante” (decisão que não pode ser desrespeitada pelas instâncias inferiores da Justiça) estabelecendo que é proibida a contratação, sem concurso público, de parentes de autoridades e funcionários para cargos de confiança no serviço público. Essa decisão do STF incluiu, também, a proibição à prática denominada de “nepotismo cruzado”, que é caracterizada:
a) pela contratação de um mesmo parente em mais de um órgão público, seja da administração direta ou indireta, configurando dois ou mais empregos para um mesmo parente.
b) pela contratação de um mesmo parente em estados diferentes da federação, configurando dois ou mais empregos para um mesmo parente, em poderes e estados federativos diferentes.
c) pela contratação de parente em primeiro grau para cargo de secretário de município.
d) por procedimento pelo qual um agente público emprega o familiar de outro e vice-versa, como troca de favor.
e) por procedimento pelo qual um agente público emprega o familiar concursado de outro agente público.
Resposta: D
Comentário: Conhecimento de política atual, que exige leitura atualizada de jornal,

57) No final de maio de 2008, o Festival Internacional de Cinema de Cannes, na França, premiou, com a Palma de Ouro de melhor atriz, a paulista Sandra Corveloni, que recebeu oito dos nove votos do júri presidido pelo ator e diretor Sean Penn. Assinale, dentre as alternativas, aquela que apresenta informações corretas sobre o filme e o papel em que a atriz foi premiada em Cannes.
a) No filme Tropa de Elite, a atriz faz o papel de uma diarista, mãe de quatro filhos e grávida do quinto, que tem de equilibrar as exigências do trabalho, da falta de dinheiro, das aspirações dos meninos e da torcida apaixonada pelo Flamengo.
b) No filme Linha de Passe, a atriz faz o papel de uma diarista, mãe de quatro filhos e grávida do quinto, que tem de equilibrar as exigências do trabalho, da falta de dinheiro, das aspirações dos meninos e da torcida apaixonada pelo Corinthians;
c) No filme Tropa de Elite, a atriz faz o papel da ativista social que administra uma ONG na favela da Rocinha (RJ) e vive conturbada por problemas éticos devido ao seu envolvimento com os traficantes da favela;
d) No filme Linha de Passe, a atriz faz o papel da ativista social que administra uma ONG na favela da Rocinha (RJ) e vive conturbada por problemas éticos devido ao seu envolvimento com os traficantes da favela e jogadores de futebol.
e) No filme Tropa de Elite, a atriz faz o papel da mulher do capitão Nascimento e vive conturbada por problemas éticos devido ao envolvimento do seu marido militar com traficantes.
Resposta: B
Comentário: Uma questão para quem viu o filme ou leu sobre o mesmo.


58) O Parlamento Europeu aprovou, em 18 de junho de 2008, a Diretiva de Retorno, lei que estabelece regras para o tratamento dado aos imigrantes sem documentos na União Européia, unificando as leis nacionais européias até 2010. Sobre essa Diretiva e, especialmente, sobre a repercussão que sua aprovação provocou nos países latino-americanos, é correto afirmar que:
a) a Diretiva de Retorno determina que imigrantes ilegais poderão ser deportados e, caso não cumpram o prazo da ordem de expulsão, poderão ser presos por até dezoito meses, sem necessidade de ordem judicial.
b) a Diretiva de Retorno não prevê a deportação de menores.
c) a Diretiva de Retorno considera que o imigrante sem documentos comete apenas uma infração administrativa, sujeita a multa.
d) a Diretiva de Retorno teve aceitação generalizada dos governos dos países latino-americanos, onde a imigração ilegal também é tipificada como crime.
e) a Diretiva de Retorno baseou-se no princípio de "reciprocidade histórica", já que, em outros séculos, as nações européias, que hoje rejeitam os imigrantes, foram tradicionalmente geradoras de correntes migratórias.
Resposta: A
Comentário: Novamente uma questão que envolve uma certa interpretação e conhecimento geral, no sentido de ter “noção” da questão da xenofobia e das novas leis européias quanto aos imigrantes.


59) A Agência Internacional de risco (ou agência de rating) Standard & Poor's (S&P) classificou o Brasil como “grau de investimento” em abril de 2008. Que significado essa classificação teve, para o Brasil, no contexto da economia internacional?
a) Significou que o país não possui mais dívida junto ao FMI.
b) Possibilitou que, pela primeira vez, empresas globais brasileiras, como a Vale e a Petrobrás, pudessem iniciar a venda de ações na Bolsa de Nova York.
c) Indicou aos investidores que o país é um destino seguro para o dinheiro, pois tem condições de honrar seus compromissos ou dívidas.
d) Sinalizou aos investidores que o país não tem condições de honrar os seus compromissos.
e) Significou que o Brasil ainda possui "grau especulativo", já que conseguiu resolver a maioria dos seus problemas econômicos, sociais e políticos.
Resposta: C
Comentário: Não é necessária a leitura do caderno de economia. Normalmente é uma questão tratada inclusive pela mídia não especializada; mas é necessária a atualização do conhecimento.


60) A Rodada Doha de negociações, que tinha como objetivo dirimir os obstáculos ao comércio mundial, foi lançada na capital do Catar, Doha, em 2001, em uma reunião da OMC (Organização Mundial do Comércio). Depois de sete anos de reuniões, as negociações entraram em colapso, em 29 de julho de 2008. Qual o principal fator de intransigência entre países (ou bloco de países) que fez ruir a Rodada Doha nessa data?
a) EUA e Índia não conseguiram chegar a um acordo sobre as medidas a serem adotadas para proteger os agricultores de países pobres contra uma entrada maciça de produtos importados (dispositivo das salvaguardas).
b) Os EUA não aceitaram reduzir os subsídios de seus produtos agrícolas, o que causou forte choque com a França.
c) O Brasil, por intermédio do seu chanceler Celso Amorim, não aceitou a taxação imposta pelos EUA ao etanol brasileiro.
d) Brasil e Índia, em conjunto, não aceitaram o fato de os EUA e a EU (União Européia) estarem exigindo uma abertura excessiva para o mercado de produtos agrícolas dos países desenvolvidos.
e) Brasil e Índia, em conjunto, não aceitaram fazer cortes em seus subsídios de produtos manufaturados (dispositivo das salvaguardas), o que provocou impasse com a EU (União Européia).
Resposta: A
Comentário: Questão de atualidades e de leitura.
Veja - http://veja.abril.com.br/060808/p_130.shtml

A Rodada Doha entrou num beco sem saída à vista – e a diplomacia do governo Lula sofreu a sua maior derrota até aqui. O colapso das negociações deveu-se ironicamente à intransigência de um dos supostos aliados do Brasil, a Índia, que se negou a abrir mão de um dispositivo que protegeria ainda mais o seu já fechado mercado interno, lançando-se num desentendimento insolúvel com os Estados Unidos. Pelas regras da OMC, ou todos estão de acordo ou não há acordo. Não houve acordo.
 

Pesquisar em
1128 conteúdos

Notícias

MASP

Passagens por Paris - Arte moderna na capital do séc. XIX

Notícias

Universidades latinas atraem poucos estrangeiros

Instituições têm melhorado sua presença em rankings internacionais, mas continua

Roteiros de Aula

Ninguém tira Zero

Província elimina nota zero para proteger autoestima de alunos

Notícias

França e Alemanha lembram 100 anos da Primeira Guerra

Presidentes Hollande e Gauck homenageiam mortos nas batalhas e destacam importân

COPYRIGHT © HISTÓRIANET INTERNETWORKS LTDA

PRODUZIDO POR

SOBRE O HISTORIANET