HISTORIANET

Vestibulares

FUVEST

Prova realizada em 05 de janeiro de 2009 

1) No ano passado, aconteceu em Pequim mais uma Olimpíada. No mundo, peças teatrais estão sendo continuamente encenadas. Como se sabe, Olimpíadas e teatro (ocidental) foram uma criação da Grécia antiga.
Discorra sobre
a) o significado dos jogos olímpicos para os antigos gregos;
b) as características do teatro na Grécia antiga.

Originalmente conhecidas como Festival Olímpico, faziam parte dos quatro grandes festivais religiosos pan-helênicos celebrados na Grécia Antiga. Sediado na cidade de Olímpia, o Festival era muito antigo, mas foi a partir de 776 a C. que passou a ser feito um registro ininterrupto dos vencedores. O caráter festivo dos jogos foi alterado a partir da segunda metade do século V a C., quando a rivalidade entre as cidades, principalmente entre Esparta e Atenas, resultou na Guerra do Peloponeso; o mundo grego estava mais do que nunca esfacelado e enfraquecido. Na Grécia antiga, a cada quatro anos declarava-se uma trégua nas guerras, para que a população pudesse participar dos jogos de Olímpia, competição que originou os modernos Jogos Olímpicos, realizados em honra de Zeus;
O teatro grego se propõe a retratar dimensões do cotidiano do homem que encontram-se além do representar por representar, mas sobretudo, propõe a educar, ensinar, evidenciar que existem costumes, personalidades, belezas, enfim, adjetivos extremamente diversificados do homem que atua no maior palco já visto, o mundo. O teatro representando os diferentes momentos norteados pelas ações do homem, de certa forma, está lidando com a História.


2) No feudalismo, a organização da sociedade baseava-se em vínculos de dependência pessoal como os de vassalagem e servidão.
Descreva o que eram e como funcionavam, na sociedade feudal,
a) a vassalagem;
b) a servidão.

a) As relações de vassalagem envolviam sempre dois nobres, homens de mesma posição social. Essas relações de subordinação desenvolveram-se desde o século V, no entanto foi durante o reinado de Carlos Magno que tomaram sua forma mais desenvolvida. O incentivo aos laços de vassalagem num primeiro momento fortalecia o poder real, pois direta ou indiretamente estendia-se a toda a sociedade, no entanto, com o passar tempo o resultado tornou-se oposto na medida em que as relações pessoais foram reforçadas, diminuindo, portanto, a importância do Estado.
b) Esse sistema se caracteriza pela exploração do trabalho servil, responsável pela produção. O servo não é considerado um escravo, porém não é um trabalhador livre. O que determina a condição servil é seu vínculo com a terra, ou seja, o servo estava preso a terra. Ao receber um lote de terra para viver e trabalhar, e ao receber (teoricamente) proteção, o servo era forçado a trabalhar sempre para o mesmo senhor feudal, não podendo abandonar a terra. 


3) A Reforma religiosa do século XVI provocou na Europa mudanças históricas significativas em várias esferas. Indique transformações decorrentes da Reforma nos âmbitos
a) político e religioso;
b) sócio-econômico.

a) O movimento reformista provocou a ruptura da cristandade na Europa Ocidental e representou para a Igreja Católica, a perda de elevado número de fiéis. Ao mesmo tempo reforçou o sentimento religioso e as religiões foram utilizadas como elementos de centralização política, reforçando poder de reis absolutistas que adotavam a prática da intolerância.
b) as religiões reformadas fortaleceram o individualismo, tanto com a idéia de livre-arbítrio de Lutero como de predestinação de Calvino, que valoriza o trabalho, e indiretamente fortaleceram os ideais burgueses de acumulação de capitais.


4) E [os índios] são tão cruéis e bestiais que assim matam aos que nunca lhes fizeram mal, clérigos, frades, mulheres... Esses gentios a nenhuma coisa adoram, nem conhecem a Deus.
Padre Manuel da Nóbrega, em carta de 1556.

(...) Não vejo nada de bárbaro ou selvagem no que dizem daqueles povos; e na verdade, cada qual considera bárbaro o que não se pratica em sua terra.
(...) Esses povos não me parecem, pois, merecer o qualitativo de selvagens somente por não terem sido se não muito pouco modificados pela ingerência do espírito humano e não haverem quase nada perdido de sua simplicidade.
Michel de Montaigne. Ensaios, 1588.

a) Compare as concepções dos dois autores sobre as populações nativas do Brasil.
b) Indique a concepção que prevaleceu e quais as conseqüências para a população indígena.

a) As duas concepções expressam visões antagônicas em relação às populações nativas do Brasil, ambas referem-se aos índios como diferentes em relação aos europeus, porém o Padre Manoel da Nóbrega refere-se a eles como inferiores por julgar que lhes falta o conhecimento e o respeito aos princípios da civilização cristã e por ignorarem da existência de Deus. (obviamente trata-se do Deus cristão). Para Montaigne, o fato dos indígenas não possuírem elementos da cultura européia não os torna inferiores ou selvagens, reconhecendo a diversidade como algo inerente às civilizações humanas.

b) A concepção que prevaleceu foi a de Padre Manoel da Nóbrega, que refletia a visão dos jesuítas, pois a idéia de inferioridade dos indígenas e de viverem em estado de selvageria serviu como base para justificar os ataques a esses povos e ao processo de catequese com a imposição dos valores cristãos, tendo como conseqüência a dizimação e a aculturação das populações nativas do Brasil.



5) Imagem de Ângelo Agostini sobre o impacto da Guerra do Paraguai na sociedade brasileira.




 Observando a ilustração, explique
a) o impacto social a que ela se refere;
b) os desdobramentos políticos dessa guerra.

a) a imagem faz clara referência à contradição social que se expressou ao final da Guerra do Paraguai, ao expor um homem negro escravo chicoteado, visto por um soldado negro. Isso se deu basicamente porque boa parte dos soldados que compunham a tropa brasileira era formada por escravos, que não eram considerados cidadãos brasileiros, mas a despeito disso lutaram em defesa dos interesses do país. Assim, após a Guerra a posição dos militares em relação à escravidão modificou-se e grande parte deles passou a defender o fim do trabalho escravo no país

b) O exército brasileiro, que havia sido relegado a um papel secundário na política nacional, desde o Período Regencial, saiu fortalecido e prestigiado da Guerra da Paraguai, na qual boa parte de oficiais e soldados tomou contato com os ideais republicanos e fortaleceu o sentimento abolicionista, características reforçadas pelas idéias positivistas que se difundiram através da Escola Militar. Dessa forma os militares assumiram uma posição de que deveriam comandar a nação brasileira, engrossaram as fileiras republicanas e lideraram a “quartelada” que destituiu o Imperador e implantou a República no Brasil em 15 de novembro de 1889 sob o comando do exercito, aliado aos partidos republicanos





6)
 

a) Os dados da tabela indicam que, apesar das oscilações, houve expressivo crescimento industrial no período 1914-1920. Explique as razões desse crescimento.
b) Estabeleça relações entre os dados da tabela sobre custo de vida e salários com o movimento operário do período.


a) Em 1914 teve inicio a Primeira Guerra Mundial e conseqüentemente a produção industrial européia voltou-se para as necessidades do conflito, por isso o Brasil teve suas importações reduzidas e para compensar essa defasagem os industriais brasileiros passaram a investir na produção de bens de consumo não duráveis. Portanto, esse surto de crescimento industrial, que estendeu-se até o período pós guerra, explica-se pela dificuldade de importar produtos europeus e a conseqüente substituição das importações por uma produção nacional. 

b) Percebe-se na tabela que o custo de vida aumentou em um ritmo muito mais acelerado do que os salários no período abordado. Essa defasagem fortaleceu o movimento operário e culminou na eclosão da Greve Geral de 1917, na qual os operários demonstraram o seu poder de organização e conseguiram conquistar espaço nas negociações trabalhistas e efetivos aumentos salariais, pois a partir desse ano fica claro pelos números apresentados que os salários aumentaram em um ritmo mais acelerado em comparação ao período anterior retratado na tabela diminuindo assim a defasem em relação ao custo de vida. As conquistas dos trabalhadores refletem a organização sindical do período, particularmente em São Paulo, sob o comando de lideranças anarcossindicalistas.


7) A expressão “política do café com leite” é muito utilizada para caracterizar a Primeira República no Brasil. Sobre essa política, descreva
a) seu funcionamento;
b) seu colapso na década de 1920.

a) A Política do Café com Leite caracterizou-se pelo domínio das oligarquias paulista e mineira na política nacional, com a alternância de poder entre seus representantes. Para garantir esse predomínio foi indispensável a montagem e manutenção de um sistema eleitoral que permitisse o controle do eleitorado e conseqüentemente a garantia do resultado das eleições, isso se dava através do “voto de cabresto” e da “Política dos Governadores”.  

b) O colapso da “Política do café com leite” é percebida ao longo da década de 20, a partir de um conjunto de manifestações contrárias ao predomínio das oligarquias e que refletem a crescente urbanização do país, como a manutenção das mobilizações operárias e do movimento sindical, o movimento militar tenentista que se colocou frontalmente contra os mecanismos de poder vigentes, o Movimento Modernista, que questionou os valores culturais e comportamentais, e a organização do empresariado urbano com o apoio crescente da pequena classe média. Soma-se a essa situação a crise de superprodução agravada na década, que foi responsável pela ruptura eleitoral entre o PRP e o PRM, manifestada na escolha de Julio Prestes como candidato em 1930, em um momento onde se faziam sentir os primeiros efeitos da quebra da Bolsa de valores de Nova York.


8) Dentre as Revoluções ocorridas na América Latina, no século XX, duas sobressaem: a Mexicana de 1910 e a Cubana de 1959. Pode-se afirmar que o traço distintivo da primeira é seu caráter camponês e o da segunda, seu caráter socialista.
Explique o significado desses traços distintivos em relação à
a) Revolução Mexicana.
b) Revolução Cubana.

a) A Revolução Mexicana iniciada em 1910 foi responsável pelo fim da ditadura de Porfírio Diaz e levada adiante principalmente pela massa camponesa do país, sob a liderança de Emiliano Zapata. O Porfiriato (1876 – 1911) fora responsável pela eliminação das terras comunitárias camponesas (ejidos) e por uma política de concentração fundiária responsável pela miséria de milhares de trabalhadores, que passaram a se organizar e, sob a liderança de Zapata, a reivindicar uma reforma agrária no país, que se tornou o eixo da mobilização revolucionária, acompanhada por outros setores sociais.

b) Se considerada a partir do seu início, a Revolução Cubana pode ser entendida como um movimento essencialmente nacionalista. O foco da oposição era de a ditadura de Fulgêncio Batista, que preservava os privilégios dos capitais estadunidenses. Nessa fase havia até a simpatia da burguesia nacional cubana, interessada em livrar a ilha o jugo norte-americano. No entanto, na medida em que a pressão dos EUA se faz presente, principalmente no auge da crise a invasão da Baia do Porcos (1961), a Revolução Cubana tornou-se socialista no seu processo. Aos poucos, o governo de Fidel se aproxima do governo soviético, construindo as bases de uma versão caribenha de socialismo. 


9) A construção de Brasília foi um marco no governo de Juscelino Kubitschek (1956-1961).
a) Relacione a construção de Brasília com as metas do governo JK.
b) Indique algumas decorrências da mudança da capital federal para o interior do país.

a) O Plano de Metas do governo do presidente Juscelino Kubitschek tinha como objetivo o desenvolvimentismo, com a projeção da indústria de bens de consumo duráveis, reestruturação da infra-estrutura e a construção de estradas. A construção da nova capital federal expressava o símbolo da modernidade colocada no Plano de Metas, com as linhas arrojadas nos traços de Niemayer e Lucio Costa, associada a prioridade para a circulação de automóveis.

b) A mudança da capital federal significou uma tentativa ainda que tímida de integração regional, além de possibilitar o isolamento do centro nervoso do poder. Sob o ponto de vista financeiro, podemos considerar o agravamento do endividamento do Estado brasileiro.


10) Criado em 1948, o Estado de Israel acaba de completar 60 anos. Discorra sobre
a) o contexto histórico internacional que levou à criação desse Estado;
b) as razões históricas dos conflitos entre israelenses e palestinos, que persistem até hoje.

a) O Estado de Israel foi criado no contexto do pós Segunda Guerra Mundial, em um momento em que a opinião pública estava sensibilizada com o Holocausto e que representou o auge do movimento sionista, iniciado no final do século XIX, que reivindicava uma pátria para os judeus. No final de 1947, a ONU aprovou resolução a favor da criação de um Estado Judeu e um Estado Palestino, no entanto, os judeus proclamaram sua independência unilateralmente em maio de 1948.

b) A fundação do Estado de Israel com base em resolução da ONU, dava aos judeus cerca de 53% do território da Palestina, fato que forçou milhares de árabes a se refugiarem em outras regiões ou a viverem em uma situação de segregação, em um território em que viviam à alguns séculos. No entanto é possível perceber as origens desse conflito mesmo antes de 1948, com a ação de colonos judeus na região e de uma milícia – Haganá – criada para protegê-los, além do choque cultural provocado com a “colonização”.


Correção e comentários dos professores Claudio Recco, Hélio Moretti e Leandro, para o Alferes Vestibulares.
 

Pesquisar em
1123 conteúdos

Livros

PROMOÇÃO

o HISTORIANET e a Editora M Books do Brasil sorteiam o livro...

Notícias

Guerra e Paz

Exposição relativa à obra de Portinari exposta no Memorial da América Latina

Notícias

Exposição no Rio de Janeiro

Modigliani - Imagens de uma vida; no Museu Nacional de Belas Artes

Notícias

Fórum Mundial de Educação

Evento que se realizará em Florianópolis já tem mais de 9 mil inscritos

COPYRIGHT © HISTÓRIANET INTERNETWORKS LTDA

PRODUZIDO POR

SOBRE O HISTORIANET